Academia Cross RPG
Bem Vindos!!

Aos visitantes e Novatos Na Academia Cross.

Leiam as Regras para participar do RPG.

Regras Gerais, orientações e Sistema do Jogo

Arigato pela Visita e volte Sempre!

Administração Equipe Cross



RPG Vampire Knight
 
Portal CrossInícioCalendárioFAQBuscarRegistrar-seLogin

Compartilhe | 
 

 Club FIVE

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte
AutorMensagem
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Club FIVE    Dom 10 Jan 2016 - 13:52

Relembrando a primeira mensagem :

[Lounge] [Bathroom] [BAR] [DJ] 



Spoiler:
 


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D


Última edição por Master em Dom 7 Fev 2016 - 20:37, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda

AutorMensagem
Luthica
C
C


Feminino
Char RPG : Daryl Cannigan (B)

Naru Jenkins (ex-humana; D)

Elliot Casper von Wright (A)

Euphemia von Wright (A)

Vilhelmina von Wright (A)

Clã von Wright
Posts: : 481
Inscrição : 28/08/2015

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Dom 14 Fev 2016 - 12:00



~ * Vilhelmina



Daniel era bom com espadas. Adrian, com armas. E o "senhor Sorel" era piromaníaco.

Vilhelmina anotou tudo mentalmente.  

Mas o que tinha naquela pasta? Já considerava o ruivo uma criatura bem interessante e se mordia de curiosidade.

Seguiu Layla, esbarrando nos convidados ao redor e querendo saber onde seria a conversa sobre a pasta. O que será que a caçadora que era tão prezada pelos outros dois faria?

Mas por enquanto tinham coisas mais interessantes acontecendo, não é mesmo? Ela tentou aproximar-se mais daquele camarote, pois queria ouvir a conversa.

Caminhou até o camarote ao lado na esperança de conseguir captar o papo.

(edit após os testes)
Vilhelmina praguejou insatisfeita por não conseguir saber o que eles falavam e cruzou os braços contrariada.

"Ah, mas essa história não vai ficar assim", prometeu a si mesma. Ficaria bem de olho naquelas pessoazinhas que estavam envolvidas em algo muito de interessante.


- - -




~ * Naru e Daryl


Daryl estava louco para saber quem era o "amiguinho" de Lily e nem disfarçou o mau humor quando o assunto foi mencionado. Ele a soltou para que pudesse contar melhor e cruzou os braços ouvindo atentamente.

Então aquele maldito além de tudo tinha prendido a menina em uma gaiola?

O grupinho tinha tentado matar os dois e ela achava maravilhoso? Não interessava que ele tinha sido ""gentil"". Como ser gentil prendendo alguém como moeda de troca e ameaçando sutilmente sua vida?

Achou o máximo que Nero tinha feito o serviço e botado fogo em tudo. Teria feito o mesmo se prendessem Lily daquele jeito de novo.

Sobre a condenação de Nero, ele já sabia, mas a surpresa era o quanto Lily tinha ciência daquilo. Agora não sabia se tinha mais raiva do caçador ou do antigo Nero, por tê-la metido na confusão.

Apesar de toda a raiva que sentia, a expressão triste dela conseguia frear que ele fizesse aqueles comentários odiosos.

Naru, por sua vez ouviu tudo atentamente e muito surpresa. Tinha calafrios de lembrar-se dos reais sonhos que tivera. Então aquele mal presságio aconteceria a Nero por causa dos caçadores?

Ela sim conseguia ter sentimentos dúbios por eles e entender que os caçadores protegiam humanos, que um dia ela fora, de abusos... como os que ela mesma poderia vir a cometer um dia.

Olhou para o chão de forma triste. Vampiros eram vampiros, afinal. Até Lily já tinha cometido atos horríveis por tabela. Até Nero, que até então, apesar do medo inicial, tinha sido tão gentil com ela...


- Nós vamos proteger o senhor Sorel!  E...e você também! - prometeu Naru segurando as mãos de Lily e um olhar emocionado no rosto. Tinha muito medo. Estava lidando a todo tempo com pessoas que poderiam ser tão boas quanto más. Mesmo os caçadores! E ela não sabia direito o que achar, só sabia que gostava muito daquela familia que tinha ganhado.   - ... Não fique triste... estamos do seu lado - pediu. Queria poder tirar aqueles sentimentos da outra vampira.

Daryl suspirou pesadamente.  Ele não queria comentar sobre os "crimes"  que ela cometera. Esse fato o deixava revoltado com o que Nero tinha feito. Mas sabia que isso tudo era passado. E se esforçava para tentar fazê-la enxergar em frente.

- Levante a cabeça. Nero está fazendo o máximo que pode. Por você, ele pensou até mesmo em ouvir a proposta daqueles que tentaram assassinar vocês dois - reforçou a palavra porque achava um absurdo que depois de tudo Lily viesse feliz os apresentando. - E tudo que ele precisa agora é saber que você está lutando para ficar firme com toda essa situação, para não se sentir miseravelmente culpado.  Ele é um idiota teimoso. Não vai morrer fácil. Já você... você está comigo. Não vou deixar nenhum desgraçado encostar em você de novo. - Agora sim se aproximou e fez Naru dar um passo para o lado. - Você é a minha responsabilidade - Olhou-a bem diretamente e dessa vez encostou em seu rosto, para que ela o olhasse também. Não eram palavras tão gentis quanto o habitual, mas continham a mesma firmeza das promessas que ele fizera a Nero nas duas ocasiões, como se fossem uma verdade incontestável.


Última edição por Luthica em Dom 14 Fev 2016 - 13:56, editado 1 vez(es) (Razão : (edit após os testes))
Voltar ao Topo Ir em baixo
Luthica
C
C


Feminino
Char RPG : Daryl Cannigan (B)

Naru Jenkins (ex-humana; D)

Elliot Casper von Wright (A)

Euphemia von Wright (A)

Vilhelmina von Wright (A)

Clã von Wright
Posts: : 481
Inscrição : 28/08/2015

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Dom 14 Fev 2016 - 13:41

Dadinhos do fail para a Vilhelmina

Citação :
Investigação + furtividade + inteligencia (8 dados)
Dificuldade 8
2 acertos
Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Dom 14 Fev 2016 - 13:41

O membro 'Luthica' realizou a seguinte ação: Lançar Dados

'D10' : 5, 3, 5, 7, 9, 5, 7, 7


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Dom 14 Fev 2016 - 15:23



+ Layla + Adrian + Daniel +

Ambos entre olharam quando o vampiro começou a escrever naquele papel, Adrian franziu a testa quando viu o que ele escreve, deu uma leve risada, ficou nervoso com aquela informação. Daniel passou a mão na nuca e encostou no encosto do sofá.

_Isso vai dificultar a coisas... Merda!

Adrian suspirou e quando ia começar a falar o vampiro voltou a escrever, assim que ambos leram Daniel começou anotar aquelas informações.

_Nós as testamos e não encontramos nada diferente, a não ser que haja um inibidor que reaja e libere a verdadeira composição. - Daniel continuava anotar, pensando nos testes que havia feito tentando descobrir mentalmente qual poderia ser o reagente.

Adrian somente via e esperava as conclusões de Daniel. quando o vampiro citou Alanis como a que fabrica a formula, o hunter pegou uma outra pasta e abriu, era os registros da vampira na Associação.

_Bingo! Aqui diz que ela é uma vampira de ervas, manipula plantas e venenos segundo os arquivos não há registro de crimes contra humanos até o momento, pode ser que ela tenha criado um reagente na formula. - Daniel deu um largo sorriso satisfeito com aquela informação. _Vou dar um jeito de segui-la, se ela for ao local onde fabricam irei descobrir. - Colocou a pasta sobre a mesa visível a todos ali, os arquivos dela falavam da família que decairá em ruína e dela ser uma extremamente inteligente formada em bioquímica, medicina, botânica, biologia e química com base em alquimia, pegou outra pasta na mochila, essa era sobre Vincent. _Esse vampiro é forte, não vou querer esbarrar com ele de fato, mas segue a irmã e na certa a protege, melhor fazer essa missão com cautela. - Colocou a pasta na mesa e retirou mais uma aquela última falava de Louis. _Me diga uma coisa sr Sorel esse outro vampiro, pelos boatos que investiguei ele era o assistente de Magnus e claro tenho largo arquivo sobre ele até porque era o que ocupava seu lugar no momento, o que aconteceu com ele? Pelo que soube ele foi punido por traição a Magnus, ele foi eliminado pelo seu chefe? - Quando ele pousou a pasta aberta na mesa haviam várias fotos inclusive de Nero com Louis em frente ao pub's, a imagem fez o ruivo lembra do dia que viu Louis tocar violino, era fotos deles na rua após a crise que Nero tivera.

Adrian olhou Nero ao ver que ele estava colaborando e pelo fato de querer punir o mafioso, deu um leve sorriso satisfeito com o acordo que estava se formando, sentiu que o vampiro estava fazendo algum jogo já que ele não deu uma resposta direta.

_As informações foram muito úteis, vai nos  ajudar e muito. Claro que com isso haverá a punição que deseja.

Adrian já ia encerrar aquela conversa quando o vampiro fez seu pedido a qual não gostou.

_Como?! Desculpe sr Sorel, não tenho mesmo interesse em estragar as nossas negociações, deixei ela fora disso e sabemos bem os motivos, melhor ficar entre nós. - Apontou para Daniel e ele mesmo.

Daniel olhou para Adrian meio que repreendendo.

_Cara, sei da coisa toda, mas temos interesses maiores.

_Daniel não faz ideia de como esses dois são perto um do outro, vai haver morte se colocarmos ambos juntos, ela não se controla e ... - Olhou para Nero. _ Acha mesmo que ele vai ficar calado e não provocar?

Daniel olhou a expressão do vampiro e suspirou chateado.

_Sr Sorel se eu conseguir que Layla fique na dela, será que poderia cooperar conosco?

Daniel se levantou e andou rápido a porta do camarote, abriu-a e fez um gesto a eles que voltaria logo.
Layla viu o hunter sair do camarote e não entendeu o que estava acontecendo, mas sentiu seu peito apertar e a garganta ficar seca, bebeu outro gole agora de cerveja.

_ O que houve?

_Ele disse que só vai continuar a nos dar informações se você estiver presente. - Daniel estava muito nervoso. _ Escute será que poderia dessa vez se controlar? Ele sabe de muita coisa e nos deu informações valiosas, é importante Layla.

_Puta que Pariu... Eu não quero olhar na cara desse merda... Não! Eu não vou, se eu for lá e ele dizer qualquer merda me provocando vou matar esse desgraçado. - A morena estava muito nervosa, não queria ver aquele vampiro e muito menos ter contato com ele, odiava-o e para não estragar a missão queria ficar de fora. _ Daniel escuta ele pediu isso de vocês porque quer provocar, na certa esta planejando algo contra nós.

_Ai que lhe digo, quebra ele, chega lá e se mostre profissional, sei que é muito te pedir isso, mas se você não fizer o jogo dele vamos conseguir que ele faça o nosso jogo, qual é? Sei que pode fazer isso, vamos mostrar para ele que é superior a isso? - Daniel estava apreensivo.

Ela suspirou baixo, baixou a cabeça e olhou o chão , colocou uma das mãos na testa, realmente não queria encontrar o vampiro.

_Preciso beber mais uma margarita, só de cara cheia para aguentar, está me devendo. - Olhou Daniel e pegou uma taça da bebida e tomou -a em três goles. _Ok, vamos ...

Daniel sorriu e ambos atravessaram a multidão que dançava na pista e chegaram a escada do camarote. A cada passo Layla ficava nervosa entoando em sua mente algo como "não caia nas provocações" praticamente um mantra para poder ficar naquele lugar com o ruivo.

Assim que abriram a porta eles entraram, Layla estava atrás de Daniel e cruzou os braços olhando o vampiro sentado a mesa, não havia visto os detalhes de perto, notou que seu cabelo crescera pelo tamanho da trança, balançou um pouco a cabeça para tirar aqueles pensamentos da cabeça, olhou Adrian que tinha uma expressão nervosa, na certa com medo dela fazer alguma merda, pensou por fim.

_Então, estou aqui sr Sorel... - Deu um sorriso meio amargo ao vampiro, ela nitidamente estava se forçando aquilo.


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Fabi
SP
SP


Feminino
Char RPG : Nero Sorel (B)

Lillian (Lily) Sorel (B)

Órion Sorel (B)

Lewis S. Murdock (A)

Lucius Sallazar (A)

Leon Gianni (Hunter)



Humor : Sei lá
Localização : Rio de Janeiro - Brasil
Posts: : 1389
Inscrição : 06/09/2008

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Dom 14 Fev 2016 - 18:45

~*Lily
 
 
A menina sorriu de leve para Naru quando a amiga segurou suas mãos. Lily apertou as mãos dela de volta, agradecida pelo apoio que a outra lhe dera, dizendo que iriam proteger tanto seu pai quanto ela. Apesar que a francesa acreditava que o pai precisava de mais proteção do que ela mesma.
 
 
- Obrigada, Naru... – agradeceu baixo. Não queria alarmar ela e o namorado, mas ambos precisavam saber daquela história, era direito deles agora que haviam sido acolhidos na família.
 
 
Lily levantou a cabeça quando Daryl mandou e o olhou, receosa. Ouviu as palavras dele, suspirando. Sabia que os dois haviam tentado assassinar seu pai, mas ela entendia que aquilo era o trabalho deles. Mas ela também entendia que se fosse necessário, qualquer um dos vampiros ali seria capaz de matar pessoas como os caçadores para se alimentar. Nenhuma das situações era algo pessoal. Mas senti a que Daryl não estaria disposto a ouvir aquela explicação, não ali naquele momento. Ela não queria aborrecer seu amado e nem o pai.
 
 
- Eu estou bem, Daryl... Eu sou forte... E sei que vão me proteger... – ela fechou os olhos quando ele tocou seu rosto.
 
 
Reabriu os olhos e desviou o olhar. Ela queria dizer a eles que não precisavam tratá-la como uma criança indefesa. A menina podia ser jovem, mas ela sabia se cuidar.  Eles todos não precisavam agir como se ela fosse algo a ser protegido 24h por dia como um bebê.
 
 
“ Eles fazem isso porque te amam... Não fique chateada” a voz suave de sua consciência falou.
 
 
“Eu sei... Vou tentar” prometeu a si mesma e voltou a olhar o namorado, sorrindo docemente para ele.
 
 
- Vai ficar tudo bem – assegurou a eles como se assegurasse a si mesma.
 
 
Suspirou e abraçou o rapaz, escondendo o rosto em seu peito.
 
 
- Desculpem.
 
 


+ Nero
 

Nero observou a discussão deles sobre um possível componente que Alanis havia colocado na fórmula para que reagisse somente ao ser absorvido por um vampiro. Bem, o ruivo não entendia merda alguma sobre aquelas coisas. Ele ficou surpreso, apesar de não demonstrar, com a ficha de conhecimentos científicos que aquela vaca tinha. Com aquela aparência ela parecia mais ser uma puta da Amadeus do que uma cientista realmente.
 
 
- O grandão é apenas um pau mandado, mas é melhor não o irritarem – Nero concordou sobre terem cuidado com Vincent.
 

No entanto, quando mencionaram Louis, a expressão do vampiro se fechou. Aquelas fotos mexeram com ele. Aquela noite fora tensa, mas também especial. Não podia mencionar a eles que o terceiro irmão era seu atual companheiro. Não queria que envolvessem o seu amado ainda mais naquela história.
 
 
- Arthur está morto – respondeu frio e sombrio. Se achassem aquilo seria melhor para todos.
 
 
Ele aguardou então Adrian e Daniel discutirem sobre se deveriam levar Layla ali ou não. Sabia que era dela que falavam a momentos atrás. Ele jamais deixaria aquela vadia de fora quando poderia torturá-la um pouco mais depois do tiro que ela lhe dera. Uma mordida não havia sido vingança suficiente para ele.
 
 
Sorriu docemente para Adrian quando o homem o olhou, mencionando que o ruivo e Layla seriam capazes de se matarem se estivessem no mesmo recinto.
 
 
- Claro, se ela pedir com jeitinho eu serei um anjo – prometeu rindo baixo. Ele duvidava que a humana fosse ficar na dela por muito tempo. No entanto, Nero realmente pretendia cooperar com eles por seus próprios motivos, mas os caçadores não precisavam sair daquilo. Que deixassem que Layla viesse se humilhar diante dele. Seria divertido.
 
 
Esperou Daniel ir e voltar trazendo a caçadora, e enquanto isso sorria de lado para Adrian, com um leve olhar de desprezo. Nero ainda não gostava do caçador pelo que ele havia feito com sua filha. Sua língua coçou para perguntar como estavam as queimaduras dele, mas era mais prudente se controlar naquela ocasião, se quisessem trabalhar juntos. Então, curiosamente, o vampiro ficou calado sem falar gracinhas ou insultos ao outro.
 

- Olá, docinho – ele sorriu largamente para Layla -  Fico feliz que tenha vindo tão gentilmente me ver e nos dar a honra de sua presença nessa reunião... – ele provocou a menina – Então... tem algo a me dizer?
 


Ele esperou a menina pedir a ajuda dele nas investigações, com um sorriso no rosto.
 
 
... 

 
Assim que Layla respondeu o que ele queria, mesmo que fosse de uma forma agressiva, ele continuou. O sorriso sumiu de seu rosto e ele respirou fundo. Nero apoiou os cotovelos nos joelhos e entrelaçou os dedos das mãos, apoiando o queixo nas costas das mãos. Então voltou a olhar Adrian.
 
 
- Agora eu posso prosseguir com as informações – Nero falou sério – Mas eu creio que vocês não vão gostar... – ele ficou em silêncio por um tempo, pensando em como falar sobre o que havia descoberto sem que fosse expor Skye e a colega dela, Lohanne.
 
 
Nero pegou o bloco e a caneta e continuou a escrever.
 
 
+Eu entrei nos arquivos secretos do meu chefe e descobri algumas coisas+
 
 
Deixou eles absorverem a informação e continuou a contar as informações.
 
 
+Ao que descobri, meu chefe, Adolf Magnus, tem alguma ligação com vocês. Ele foi caçador da associação... no século XVII. Tem algo estranho com ele, mas eu não tenho certeza EXATA do que ele realmente é... Mas pensem, que humano prenderia um vampiro como eu + ele apontou para si + um vampiro nobre, em um laço de sangue? Não é algo viável a menos que tenha algo mais +
 
 
Olhou para os três e seu semblante se tornou sombrio.
 
 
- No entanto, isso ainda piora... – ele pegou a caneta e tornou a escrever.
 
 
+ Há uma vampira anciã naquele lugar, ela está junto a Magnus e ele parece controlá-la. Lya Merelyn é seu nome, é uma vampira italiana. Ela... + Nero parou um tempo, com um visível calafrio e continuou + Ela é uma vampira que controla demônios. E ela foi a responsável pelo ataque à mansão Lutont meses atrás +
 
 

Nero terminou de escrever e se encostou no assento, esperando a reação deles diante de todas aquelas informações.






Última edição por Fabi em Seg 15 Fev 2016 - 13:33, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Luthica
C
C


Feminino
Char RPG : Daryl Cannigan (B)

Naru Jenkins (ex-humana; D)

Elliot Casper von Wright (A)

Euphemia von Wright (A)

Vilhelmina von Wright (A)

Clã von Wright
Posts: : 481
Inscrição : 28/08/2015

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Dom 14 Fev 2016 - 20:04



~ * Naru e Daryl


Daryl a abraçou firme e não soltou até que ela o fizesse. Mas também não disse mais nada, mesmo com o pedido de desculpas. Não sabia o que se passava em sua cabeça e achava que já tinha dito o máximo que poderia naquele estado, pois continuava irritado.

Não queria discutir aquela situação além do que já tinha sido dito, pois não toleraria que a garota defendesse aqueles humanos como uma vez tinha feito com o fato de ser uma lacaia e corria o risco de ser descontrolado.

Apesar desse sentimento que o corroía, tinha um dever moral de cumprir com a promessa a Nero e isso estava fazendo: cuidando dela apesar de toda a irritação.

Mantinha um olhar concentrado e sério em direção ao camarote, onde estava o foco todo de seus problemas.

Dentro dele, havia um silêncio incomum daquela personalidade sombria. Ela apenas instigava a raiva e o ciúme, de certa forma obsessiva.

Já Naru se sentia um tanto desesperada por entender a tristeza alheia, mas talvez não ser muito boa com conselhos por pouca experiência "no assunto", mas agora que Lily finalmente parecia se aquietar nos braços de Daryl, então estava tudo certo, não é!?

Olhou ao redor. O que a amiga faria se ela estivesse triste? Distrairia com algo legal! O que poderia oferecer? Pensou, pensou, pensou... e finalmente disse:

- E-er-.. .Lily-san! Sabe... Em fevereiro seria o meu aniversário. Podíamos sair, não é!? Queria comemorar com todo mundo! -
acrescentou rapidamente, como se nem ela ou Nero estivessem mais em risco.


Daryl ignorava esse tipo de iniciativa naquele momento, pois achava muito inapropriado




~ * Vilhelmina



Apesar de ter falhado em ouvir o "prato principal" da conversa, conseguiu captar, no entanto, a aproximação de Layla e Daniel.

Vilhelmina sorriu muito entretida. Então havia mesmo algo muito do esquisito entre Layla e o senhor Sorel.


"Ah~~  o que será que acontece se a dona 'Layla' for fazer uma visitinha para ele depois?"
, perguntou-se divertindo-se muito com a possibilidade, mesmo que isso fosse cheio de falhas, por conhecer bem pouco da caçadora e de seus assuntos tratados. Mas já sabia, por exemplo, que seguir qualquer um daquele grupinho no camarote a levaria a uma história ótima!
Voltar ao Topo Ir em baixo
kagura
SP
SP


Feminino
Char RPG :
Chars: Charles | William | Vincent (Arthur) | Melissa
NPCS: Murtagh | Junes | Junniper | Ryan | Trevor
Humor : Mutavel.
Localização : Brasília
Posts: : 3598
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Seg 15 Fev 2016 - 0:39

++Junes++

Humanos eram seres estranhos. Seres únicos de alguma forma e talvez por isso Junes se interessasse neles. Tão frágeis, tão autodestrutivos e, por que não, tão idiotas e ainda assim capazes de sorrir aquela maneira e tratar cada momento da vida como único. Um misto de diversão e despreocupação que o moreno raramente via em outros vampiros, mas que estava presente ali naquela festa. Com álcool, música alta e, por que não, a companhia de duas belas damas? Mesmo que uma aparentemente não fosse sua maior fã.

Aquilo o divertia? Com certeza. Junes sempre havia invejado os humanos exatamente por esse senso imediatista e quase arriscado que os mortais mantinham entre si. Principalmente os jovens, que mal podiam notar o ninho de mais puro sangues que era agradável que se formará ali. De onde vieram tantos? Pessoalmente Junes não se importava por saber. Ainda mais por causa daqueles dois cheiros. Seu pai e sua irmã. Eles estavam sendo observados.

-Um uísque e uma Bloody Mary então... - Sorridente o menino acenou com uma piscadela e os belos cachos escuros caindo sobre os olhos, antes de se dirigir para o bar mais distante de seus conhecidos com as duas meninas. Aquele segundo pedido, não era ele sugestivo? Ele riu diante da ideia, embora em seu caso não fosse cogita-lá por enquanto. Ele era quase Pacífico afinal, e só queria se divertir ali. - Quero um pouco disso... - Indicou uma bebida feita com vodka que existia no cardápio, apenas mostrando o cartão e tomando um gole assim que foi servido. A bebida nova tinha um gosto meio amargo, diferente, mas não podia-se dizer que ele não havia apreciado. -Então, também são novas na cidade? - Perguntou, tentando ignorar os conhecidos olhares sobre si. Se seu pai queria alianças, por que não ir em busca delas por si próprio em vez de querer manda-lo. Ele estava ali mesmo.

++Charles++

Podia não ser adequado tirar um príncipe de sua corte. Mas quem disse que o menino loiro se importava, principalmente quando o monarca parecia tão animado com apresentações quanto ele próprio? De qualquer forma, talvez sua intuição estivesse tão precisa que logo o puro sangue resolveu acompanhá-la em seu fingimento, muito embora novamente viesse com aquela conversa de charles-Sama.

Charles-Sama? Charles-sama seu cu, príncipe escroto. Talvez fosse o que ele queria falar ali, mas tudo que manteve foi sorrisos e reverências. O mais perfeito fingimento até que Loran, sua noiva e Lewis o seguissem. -Me lembre de te chamar de "Vossa Alteza" e babar aos seus pés da próxima vez... - O loiro respondeu um pouco incomodado, e mais relaxado, talvez como uma provocação usada por velhos amigos, para devolver o charles-sama utilizado tanto por Lewis quanto por Loran.

Não que isso logo não fosse esquecido pelo próximo comentário do monarca. Muitos puro sangues. Sim. Ele havia percebido isso, muito mais do que jamais vira. O suficiente pra uma boa festa de massacre. - Sim... A cidade está parecendo bem "animada". - E bem propensa a abrir uma nova guerra civil, não que ele não achasse aquilo deveras divertido, principalmente se pudesse presenciar um ou dois se matando ali por uma discórdia qualquer e esquecendo todas aquelas cortesias bestas.

-Quanto as apresentações, sempre pensei que o cretino Murdock tivesse boca para isso ao invés de depender de babás, mas já que vejo o contrário... - Charles deu um sorriso quase sarcástico e malicioso, apontando em direção a Lewis. - O ruivo filho da puta aqui é Lewis Murdock, quanto ao japinha sacana aqui... - E acenou com a cabeça em direção a Kuran. - É Vossa alteza real suprema e inigualável, Loran Kuran-sama com sua noiva, Rose Valentine. - Completou com certo sarcasmo zuiero a frase, pegando uma taça de champanhe para si. Afinal, se estava ali, tinha que aproveitar até a última bebida.

-Agora, se não se importam, "crianças", vou ter que interromper as apresentações da quarta série para fazer uma sugestão... - E puxando o celular do bolso, charles deu uma olhada por segundos em algumas mensagens. Ótimo. Era bem como pensava. - O que acham de deixarmos o "chá das 5 dos lordes e falsos nobres" e irmos ver um pouco de sangue, violência, drogas e diversão de verdade? - Afinal, ninguém ali parecia disposto a brincar de fingimentos e cortesia por mais umas horas, aquilo simplesmente revirava seu estômago. - Já foram em alguma rinha ilegal de leveis E?


Voltar ao Topo Ir em baixo
Makie
E
E


Char RPG : Personagens:

Freya Gatemberg - Night Class
Aidan Becker - Day Class
Lilac Löfgren - Universitária
Juliet Glotieb - Prof.ª Ed. Fisica
Posts: : 323
Inscrição : 26/08/2015

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Seg 15 Fev 2016 - 15:21

 com sorrisos travessos, achava blood mary uma bebida um tanto perigosa para aqueles que não conheciam o lugar o barman, como era uma inauguração, não haveria como ser embebedada, apesar do suco de tomate com vodka e os outros ingredientes extravagantes, tudo podia ser facilmente manipulado para que a quantidade de álcool fosse maior e o resultado, um pouco de vergonha alheia.

— na verdade, já estou aqui faz algum tempo, estudo na faculdade não muito longe daqui.
o incomodo de Lara a fez ficar quieta sobre a menina dos cabelos azuis , ela poderia dizer por si mesma, mesmo que Junes parecesse usar alguma magica que a fazia olhar para ele a todo instante, os cachos sobre seus olhos apenas davam um aspecto de bom moço, porém Lila conhecia os deste tipo, eram perfeitos para uma noite de fantasias e uma semana de coração partido, “ talvez fosse isso que lara sentia? Havia o encontrado em outra festa e com um nome falso?” tal pensamento passava por sua cabeça, mas achava um tanto impossível como um roteiro de algum romance, desses que passam nos cinemas na época dos dias dos namorados.

O vermelho em contraste com sua pele e roupas chamava um tanto de atenção, a mistura dos ingredientes era exótica ao paladar, e o melhor de tudo, não a deixava com cheiro de bebida, justamente por conta dos sabores. O copo longo era apreciado em demoradas goladas,  era um de seus drinks favoritos, principalmente por conta de sua suavidade e por não ser um drinque pesado e nem tão refrescante para o momento. Seus olhos lilases vislumbraram o copo e por sua vez os acompanhantes.

— acredito que além da banda não haverá mais nada por hoje, seria divertido se alguma coisa funcionasse além disso aqui
A saudade de casa apertava um pouco, e aquele ambiente de alguma forma começava a sufoca-la, de alguma forma sentiu que apenas queria algum lugar mais tranquilo para comemorar , do que um bando de gente desconhecida se movendo num ritmo qualquer, estava um pouco farta disso , era rotineiro por seu trabalho, mas agora, tudo que queria era tirar seus sapatos e apreciar uma taça de vinho lendo algum livro. Colocou o copo sobre o balcão do bar e levemente esticou as costas, observando agora  o bar tender  que preparava e servia outros drinks, o admirava de alguma forma, ou apenas a bebida havia feito algum efeito rápido e havia começado a querer sua companhia, e porque não junes? Pelo fato que compreendia, corria um grande risco de se tornar possessiva sobre ele, afinal era seu tipo, mas não queria correr riscos desnecessários, ao menos não antes de entender a reação de Lara.
— por que não vamos procurar por alguma outra diversão?  Gostaria de ir conosco  jun? posso te chamar de jun?


Muitos cheiros se misturavam naquela festa, era algo humano, ela sabia, mas por algum motivo muitos vampiros foram chamados, e isso só significava uma coisa, ali seria outro matadouro igual ao outro clube que foi, o que era uma pena, e principalmente sentia pelos pobres humanos que estavam ali e nem mesmo sabiam da verdade. Sua garrafa d’água havia acabado entre uma dança e outra, havia dançado com um numero que havia parao de contar após o quinto, seu cabelo estava um tanto húmido assim como sua segunda pele, estava quente, seu corpo ofegava num ritmo que acompanhava a batida da musica, sentia um pouco de cansaço, mas felicidade por ter a oportunidade de ser “humana” novamente. Esperava que isso a fizesse dormir profundamente aquela noite, sem sonhos, sem pesadelos e coisas do tipo, apenas a escuridão de uma noite tranquila. Havia sorrido para tantos homens que havia perdido a conta, haviam tentado agarra-la inúmeras vezes,  mas se esquivou da maioria, em alguns pequenos casos, aproveitou a oportunidade para roubar algumas miseras gotas de sangue entre os beijos ardentes. Ninguém sentiria um cheiro amais com tantos vampiros andando com suas taças servidas de sangue. Umas mordidas atrevidas e algumas simples gotas roubadas, não estava em descontrole, o sangue  que havia tomado para si ainda corria em suas veias,  não sentiria necessidades de tentar se controlar para não matar ninguém,  mas a presença de Daniel foi detectada como a de outros vampiros, principalmente quanto uma grande soma de vampiros de alta linhagem se encontravam feito abutres sobre os animais moribundos. Não havia o que fazer diante aquela situação além de sair do local em meio as sombras, poucos notariam sua presença ali ( ou talvez nenhum), não era o momento de chamar a atenção, principalmente com tanto a perder.


mushu:
 
coisas que apenas o chat explica!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sebastian A. Walker
Não morda, Novato!
Não morda, Novato!


Masculino
Char RPG : Sebastian Ares Walker (Vampire PB / Vagante/ Musico)
Richard Wilson (Vampire B | Musico | NPC)
Tomo MIlicents (Vampire B | Musico | NPC)
Humor : Incostante / Caotico
Localização : Em algum lugar do mundo...
Posts: : 20
Inscrição : 15/12/2015

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Seg 15 Fev 2016 - 16:24




Eu estava vendo a péssima performance da pirralha no palco, mas por causa do barulho acho que poderia nem ser notado. Fiz um gesto para Charles, Lewis, Norman e Angel, antes de sair de perto do local indo em direção a um local que era próximo ao palco. A musica tinha acabado, e sabia que ela não iria cantar novamente, pela sua cara, ela não tinha gostado da apresentação, no palco também. Dando um sorriso, eu subi ao palco, não para cantar, hoje não iria fazer isso. Não estava afim disso. 

Fiz com quem descessem um grande relógio que mostrava as horas que estávamos, e vendo que estava na hora de fazer algumas coisas a mais chamei a atenção de todos e pedi para distribuir a champanhe a todos, em alguns minutos seria ano novo, para ser mais exato, daqui a um minuto e meio. seria uma meia noite. Dei um sorriso forçado chamando a atenção de todos. 

- Obrigado a todos por virem. Foi uma noite incrível. Hoje e o ultimo dia do ano, e dentro de um minuto, seria um novo ano. Agradeço a presença de todos nessa pequena comemoração. Tanto da abertura da boate, que acho que posso considerar um sucesso. Quando a festa de ano novo. E vamos a contagem. - falei olhando os segundos rolando. - 10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1. - falei contando ate o um. E naquele momento um enorme movimentação tomou conta da boate, quando pareciam gritar feliz Ano Novo. - Happy New Year! - falei para todo a plateia. 

Assim que sai do palco, o DJ já tocava uma forte musica animada para contagiar a todos. Olhava para Andy que me olhou com cara fechada, falei baixo para ela. 

- Não se ganha sempre você não estava bem, não deveria ter mandado você subir ao palco. - falei olhando para ela, e vi sua cara fechada para mim. Somente Milli ouvia nossa conversa. - Vai se diverte um pouco, aproveite o resto da noite, amanha começando com os ensaios. - falei para ela, vendo que a mesma estava emburrada. 


Sebastian Ares Walker | 840 anos | Vampire Pure Bloody
Vampiro Vagante / Musico profissional / Idol Vampírico
(*) Richard "Rick" Wilson (Vampire B | Musico | Compositor | NPC)
(*) Tomo Milicents (Vampire B | Musico | Compositor | NPC)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Dark_Rose
B
B


Feminino
Char RPG : Rose Valentine (PB)
Lara Kapetine (Hunter)
Humor : Incompreesível
Localização : Inglaterra
Posts: : 663
Inscrição : 06/09/2008

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Seg 15 Fev 2016 - 16:35


Lara mantinha a compostura, naquela altura do campeonato já nem dava para perceber o incomodo dela. Ficava repetindo da sua mente que se atacar um vampiro que não está na lista poderia ser penalizada, ou até mesmo presa pela associação. Ele teria que fazer algo para que ela pudesse reagir, então resolveu "atacar o foda-se" naquela hora, iria curtir. Se ele não está na lista é porque, ao menos, atualmente, não havia aprontado. Mas por dentro ela sempre soube que eles podem muito bem fazer suas “travessuras” sem ninguém saber.
Mas mesmo assim, não iria dar mole para ele, um desperdício de fato. Se fosse um vampiro normal quem sabe investiria. Provavelmente iria. Ela não tinha como quebrar aquele encanto que os puros têm sobre os humanos, não tinha como afastar Lilac dele. Só restava torcer.
 
Ela ouve a pergunta dele sobre a origem delas e ela responde normalmente. Tinha que parecer inofensiva mesmo...
 
- Cheguei há pouco tempo. – Ela dá um gole na bebida. – Morava no Brasil, mas nasci na Grécia.
 
Ela voltava a beber, já estava na metade do que lhe foi servido.
 
- E você? É daqui? – Ela já parecia mais simpática no seu comportamento.
 
Quando Lilac fala de sair dali ela e convida o Junes ela termina a bebida em um rápido gole.
 
- Acho que vou precisar de outra dose antes de irmos.
 
Então pede ao barman outra dose da forte bebida. Para ela era obvil que ele iria, se fosse outra pessoa ela até deixaria eles sozinhos, não tinha ciúmes de Lilac, mas ela não tinha noção do que realmente estava acontecendo. Mas nessa situação não tinha como incentivar a pegação. Mas, tinha que fingir que era burra...
 
- Então, Junes, bora? – Dizia já bebendo o segundo copo. Seu rosto parecia mais animado, ela já estava dando um sorriso.

Logo depois que ela fala isso, é interrompida pelo anuncio que a virada de ano estava para chegar. Recebendo a taça de champanhe ela faz uma cara de surpresa.


- Olha, gostei mesmo daqui. - Diz levantando a taça. - Feliz Ano Novo. - E dá um gole na bebida.


Lara Kapetine
Voltar ao Topo Ir em baixo
Andrômeda A. Walker
Não morda, Novato!
Não morda, Novato!


Feminino
Char RPG : Andrômeda Athena Walker (Vampire B | Musica | Night Class)
Milli Muniz (Vampire B | Gerente | Empresaria | NPC)
Jane Watson (Vampire D | Assistente | Secretária | NPC)
Humor : Incostante / Caotico
Localização : Em seus sonhos...
Posts: : 20
Inscrição : 23/12/2015

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Seg 15 Fev 2016 - 18:05

rolagem de dados.

Performace (1) + carisma (2)
Dificuldade 6 
2 acertos

Passando ela agradou, mas cantou em playback, devido a ter pontuação baixa e não é considerada cantora profissional.
já to cuidando desse assunto. 


Andrômeda Athena Walker | 17 anos | Vampire B
Cantora / Idol Vampírico / Night Class
(*) Milli Garcia Muniz (Vampire B | Gerente | Empresaria | NPC)
(*) Jane Liwne Watson (Vampire D | Assistente | Secretária | NPC)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Seg 15 Fev 2016 - 18:05

O membro 'Andrômeda A. Walker' realizou a seguinte ação: Lançar Dados

'D10' : 7, 2, 4


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Andrômeda A. Walker
Não morda, Novato!
Não morda, Novato!


Feminino
Char RPG : Andrômeda Athena Walker (Vampire B | Musica | Night Class)
Milli Muniz (Vampire B | Gerente | Empresaria | NPC)
Jane Watson (Vampire D | Assistente | Secretária | NPC)
Humor : Incostante / Caotico
Localização : Em seus sonhos...
Posts: : 20
Inscrição : 23/12/2015

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Seg 15 Fev 2016 - 18:18



Ela tentava fazer algo no palco, mas não tava indo bem, e sabia disso. Mesmo com o maldito playback, pois não queria gastar sua voz. Ela não gostou dessa apresentação, deveria ter cancelado isso e pedido para tocarem suas musicas, apenas isso, mesmo assim, não ela queria aparecer um pouco, pelo menos uma aparencia de vampira deixava os humanos encantados com ela, mas os vampiros perceberiam. 


Dando um falso sorriso no final da musica, ela apenas foi para a lateral do palco e esperou seu pai falar. Sim, aquela pessoa com cara de novo, era seu pai, e mesmo assim era super normal aqui em seu mundo. Dando um fino sorriso para isso, ela parou o que estava fazendo e ouviu as palavras dele. Desejando a todos um feliz ano novo. 


Ela somente deu um assobio inssdecedor para quem tivesse ouvidos sensiveis, e voltou a fazer o que fazia antes olhando para seu pai que já chegava criticando ela por alguma coisa, e como sempre por não ter feito sua lição de casa. E dai de ela estava pensando em outra coisa no momento que estava cantando aquela musica, uma certa albina vinha em sua mente. Logo então depois que ele reclamou e falou que ela iria começar os ensaios mais cedo, fez um muxoxo, e olhou para o pai com raiva. 


- Tudo bem. Agora me da licença, quero ver se meu amigo ainda esta na boate. - falou ela saindo de perto do pai.


Estava cansativo isso, e ela sabia disso, quando desceu do palco, sorria para as pessoas, e olhava para elas como se fosse a coisa mais normal do mundo. passou pelas mesmas antes de ver onde estava Lilac, Lara e Junes, torcia para eles estarem perto. Deu um sorriso passando perto de Selene com os amigos dela, antes de seguir adiante, ao ver Junes, por ser alto, no balção do bar pedindo algo para beber. Dando um fino sorriso. 


Ela foi ate o barman, olhou para ele e fez um gesto no qual ele entendeu, e logo em sua mão tinha uma bebida doce que ela adorava. Não sabia o nome daquilo, mas sabia que era fabulosa, e deliciosa. Chegando perto dos 'amigos' por assim dizer, olhou para eles. 


- Feliz Ano Novo. - falou com a voz um pouco rouca para fingir o porque de nao ter ido tão bem na apresentação no palco.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Norman McWolf
Recem Criado
Recem Criado


Masculino
Char RPG : Norman McWolf (Vampiro B / Nobre / Empresário)
Gabriel Mostif (Vampiro C / Servo / NPC)
Anabelly Finningan (Vampiro C / Secretária / NPC)
Humor : Incontrolavel
Localização : em algum lugar da casa.
Posts: : 56
Inscrição : 27/10/2015

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Seg 15 Fev 2016 - 18:36


Eu estava ao lado de minha esposa e como sempre ela estava imparcial, com sua aura do tipo que não ta nem ligado para nada. Quando Sebastian Saiu de perto, me virei para o ruivo, fiz um gesto com a cabeça antes de voltar para o local onde estávamos anteriormente. o Garçom tinha guardado nosso lugar ate agora. Pedi um martini para mim, e um vinho para ela, sabia que não ia beber mais do que isso. Me aproximei casualmente dela, dando um sorriso travesso quando ouso Sebastian se pronunciar.

Depois das contagem do tempo de muita gente fazendo bagunça, de um assobio forte, eu não pensei duas vezes, e no mesmo momento peguei de surpresa minha adorável esposa, lhe dando um caloroso beijo de ano novo, algo típico de alguns lugares do mundo. Dei um sorriso para ela, e vi sua cara fechada, e com a cara mais lavada do mundo.

- Feliz Ano Novo meu amor. - falei sorrindo para ela e lhe roubando um selinho. - Para com a cara fechada, ate parece que não gostou disso. E a muito tempo não fazia isso, estava com saudades. - falei puxando ela para mim e a abraçando forte. - Que esse ano tenhamos muitas coisas boas. - falei sorrindo para ela.


Norman McWolf | 435 anos | Vampiro (Vampire B)[size=15]
Nobre | Empresário | Playboy | Milionário | Filantropo
Conde de BlackMoon

(*) Gabriel Mostif | 465 anos | Vampire C | Assistente Pessoal[/size]
(*) Annabelly Finningan | 130 anos | Vampire C | Secretária
Voltar ao Topo Ir em baixo
Angel D'Angelys
Recem Criado
Recem Criado


Feminino
Char RPG : Angel D'Angelys (Vampira / Professora)
Humor : Inconstante...
Localização : Onde menos se espera.
Posts: : 68
Inscrição : 25/10/2015

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Seg 15 Fev 2016 - 19:07


Angel ouvira as palavras de Charles, como sempre sendo educado, 
não fazendo diferente, fez uma reverencia a ele, antes de ficar ao 
lado do marido que como sempre queria causar boa impressão, logo 
então ela viu que cada um ia se afastando, e ele também resolveu 
se afastar, levando ela. 


Ela tinha ficado curiosa sobre o puro de cabelos ruivos que estava 
ali com eles naquele momento, não o conhecia, mas seu nome, não
lhe era estranho, por que motivo não lembrava. Dando um fino sorriso
ela fez uma reverencia e saiu de perto das pessoas. 


Voltando a se sentar novamente no mesmo lugar que estava antes,
agradeceu ao barman por ter guardado para ela, e sorriu ao ver 
a cara de norman que começava a se aproximar dela, e a voz de 
Sebastian ecoou pela casa. Ela ouviu as palavras do mesmo.


E sobre assobios, vozes, e tudo mais desejando feliz ano novo, 
Norman a surpreende lhe dendo um beijo daquele, que ela ficou
um tempo sem reação, enquanto o escutava, ate que olhando para 
ele. 


- Hoje estou boazinha, não vou lhe matar por isso. Mas não tente
novamente fazer isso em publico, sabe que não gosto disso. - falou 
a mulher que estava com uma cara de poucos amigos.


Pelo cartão dele, ela pediu alguns frios, pois estava com fome, e um
drink que era calda de cereja pura com um cereja dentro, e leite 
condensado. E um gole de teor alcoólico, que não era recomendado
falar qual era. 


- Que esse ano traga novas coisas para nós dois. - falou ela
olhando para ele calmamente, e tomando a bebida. Era doce
e amarga ao mesmo tempo.


Angel D'Angelys / 350 anos / Vampira (Vampire B)
Professora de Treinamento de combate.
Condessa de BlackMoon
Voltar ao Topo Ir em baixo
Selene D'Angelys
Recem Criado
Recem Criado


Feminino
Char RPG : Selene D'Angelys (Vampira B / Night Class)
Alicia Sophy D'Angelys (Vampira B / Socialite / NPC)
Humor : Alegre
Localização : Academia Cross
Posts: : 66
Inscrição : 05/11/2015

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Seg 15 Fev 2016 - 19:23


Sele estava curtindo a musica quando percebeu um erro ao ver ela cantar, e antão percebeu que era Playback, com isso ficou meio magoada, mas aceitou isso. Logo ela se virou e viu que Christian estava dando uns beijos em Lissa, na maior cara de pau, em plena pista de dança. Ela cutucou então Rose, para ela pode ver a cena, e logo em seguida deu uma risadinha. 


- Acho que alguém, esta feliz ate demais agora. - falou ela para Rose.


Se bem que ter o Syaoran ali em frente a ela, dançando com ela, lhe tava dando ideias, mas era melhor não, esses dois sempre era uma complicação juntos, melhor abafa o caso por enquanto. Dando um sorriso fofo, olhou para Syaoran, e para os amigos.


Naquela hora ela ouviu as palavra de Sebastian, e isso era algo que ela gostava, ele fazia a contagem do ano novo, dando um fino sorriso quando ele desejou a todos feliz ano novo. Selene deu um leve beijo na bochecha de Syaoran, fazendo o mesmo ficar vermelho. Dando um sorriso para ele, se um shii com o dele, como se fosse um segredo. Logo ela viu que Andrômeda deu um sutil aceno para ela, no qual ela retribuiu antes de voltar sua atenção para os amigos. 


- Eu vou me sentar um pouco minha perna cansou. - falou saindo da posta de dança e indo em direção a mesa que ainda estava colocada como reservada. Onde ela sentou calmamente. E na maior cara de pau do mundo, entregando seu cartão. - Pega água para mim Syaoran? E um batida de Morango. - falou ela pedindo com carinha fofa e vendo que o mesmo a tinha seguido.


Selene Luna D'Angelys McWolf | 15 anos | Vampire B
Nobre | Estudante - Night Class

(*) Alicia Sophy D'Angelys | 758 anos | Vampire B | Socialite
Voltar ao Topo Ir em baixo
Vasilisa Dragomir
Não morda, Novato!
Não morda, Novato!


Feminino
Char RPG : Vasilisa Dragomir (Vampire B | Realeza | Night Class)
Tatiana Marina Ivashkov (Ancião / Queen USA / NPC)
Humor : Alegre / Esnobe
Localização : Academia Cross
Posts: : 24
Inscrição : 25/12/2015

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Seg 15 Fev 2016 - 19:35



Ela então foi pega de surpresa, quando sentiu a mãos de Christian em sua cintura, logo sua bocas em uma dança bem diferente acontecendo, ela se deixou levar, parecia muito mais empolgante do que a musica que rolava ou qualquer outra coisa que acontecia ao seu redor. Ate que ouviu as palavras de Selene, e parou o beijo, mas por falta de ar mesmo do que qualquer coisa. Ela deu um sorriso tímido escondendo com a mão, e olhou os belo olhos azuis de Christian. 


- Adorei o beijo. - falou baixinho, somente para ele ouvir o que ela disse.


Logo então o anfitrião começava a fazer a contagem regressiva, e ela apenas ficou ao lado de Christian e quando a contagem terminou e todo mundo gritou feliz ano novo. Ela deu um selinho longo nele.


- Feliz Ano novo. - falou ela sorrindo para ele. 


Logo ela viu Selene se afastar da pista dizendo que estava cansada, ela aproveitou para ir junto, puxando Christian pela mão, para que ele viesse e se sentasse ao lado dela, queria namorar um pouco também. Não é? Ouviu Selene pedindo para Syaoran trazer bebida, e na maior cara de pau do mundo olhou para Christian fazendo a mesma carinha fofa.


- Pega para mim também. Quero uma água, e também uma Batida de Morango. Um pratinho de frios grande cairia bem também. - falou ela sorrindo descaradamente para ele. 


Assim que os meninos sairam, ela olhou para Selene e deu uma risada meio alta, vendo que ambas tinham mandando mesmo nos rapazes, e os mesmo tinham ido de boa. Lissa esperava que Rose deve uma parada, para poder em fim conversar com ela um pouco, ou pelo menos ficar ali onde estavam. 


Vasilisa Sabina Rhea Dragomir | 17 anos | Vampire B
Realeza "Princesa" | Night Class
(*) Tatiana Marina Ivashkov (Ancião / Queen USA / NPC)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Dimitri Belikov
Não morda, Novato!
Não morda, Novato!


Char RPG : Dimitri Belikov (Vampire C | Guardião)
Christian Ozera (Vampire B | Night Class | NPC)
Posts: : 46
Inscrição : 18/11/2015

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Seg 15 Fev 2016 - 20:01



Eu somente observa aquela pequena cena, quando eu percebi que não ia ser fácil, teria que ir junto para aquele maldito palco, por que uma certa princesa resolveu ir também. Ouviu as palavras de minha Roza, para mim, nada poderia fazer. Mas o que me surpreendeu mesmo foi o beijo que ela ganhou do Ozera, parecia que o cara ia sumir com ela com aquele beijo. Viu o comentário de Selene, e dei uma risada abafada, tampando com a mão. 

Logo então ouso que a contagem vai ser feita, e então começa a fazer a mesma, dou um sorriso para ela, espero terminar, não ligo para o que o povo ia fazer, mas eu sabia o que iria fazer. Puxei minha Roza para meus braços levantei ela ate ficar da minha altura, e no mesmo momento, dei um daquele beijos nela, de tirar o folego, do tipo que eu ai vou continuar dando ate me cansar disso, mas infelizmente a falta de ar vence, e tive que parar, dando um sorriso para ela. 

- Feliz Ano novo. - falo no ouvido dela, dando uma leve mordida no mesmo. - Acho que já podemos ir não é? Quero ver se vai cumprir com aquela promessa. - falei sussurrando para ela. 
















Ainda beijava a boca deliciosa de Lissa, mas logo tive que parar, precisava de ar, isso era um saco mesmo, não é? Na mesma hora ouvimos a piadinha de Selene, a mesma parecia querer zoar com nosso beijo, mas nao falei nada, ainda mais que ela falou baixinho para mim que adorou o beijo, já estava feliz nesse ponto.

Então ouvimos a contagem regressiva para o ano novo, e logo todo mundo estava fazendo feliz ano novo. Dei um aceno de cabeça para os conhecidos, e recebi mais um beijo de minha amada, isso era bom, muito bom. Logo foi arrastado da pista de dança o que era uma maravilha, pois não estava afim de dançar mesmo. 

E naquele momento vi que Selene estava dando ordens, ao tal Syaoran, eu apenas vi ele fazendo o que ela mandava, antes de receber as mesma ordens de Lissa. Parecia que ela queria mesmo irritar. Logo então fomos buscar os drinks, escolho um leve para mim, não tava a fim de bebe, e trouxe uma bandeja grande de frios, acho que isso iria aplacar um pouco a fome dela.

Entreguei os itens para a mesma e voltei para pegar meu drink, que me esperava com um olhar de 'eu sou seu'. Logo então sentamos nas poltronas e ficamos ali ouvindo as coisas. Ate que me virei para o rapaz. 

- Tipo. Sou Christian Ozera, desculpa não me apresentar. - falei olhando para o garoto. 


Dimitri Belikov | 24 anos | Vampire C | Guardian
(*) Christian Ozera (Vampire B | Night Class | NPC)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Syaoran Kinomoto
Não morda, Novato!
Não morda, Novato!


Masculino
Char RPG : Syaoran Lee Kinomoto (Vampire C / Night Class)
Sousuke Orion Kinomoto (Vampire C / Artesão)
Humor : Descontraido
Localização : Academia Cross
Posts: : 48
Inscrição : 05/11/2015

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Seg 15 Fev 2016 - 20:12


Logo então estavamos todos dançando na pista, quando ouço as palavras de Selene, a mesma era uma intrometida mesmo. Mesmo assim logo começou a contagem para o ano novo, e quando deu meia noite, senti um beijo em meu rosto, era uma certa pirralha que estava me beijando no rosto e ainda fazendo pedido de segredo, mas que coisa hem? 

Dei os ombros, logico que depois de ficar um pimentão de tão vermelho. Logo tava sendo puxado para fora da pista de dança, o que era um alivio, pois não queria mais dançar, so dançava por causa dela, e nada mais. Então já vejo ela dando ordens, e pego o cartão no qual faço os pedidos dela, e no meu a minha bebida, uma heineken, caia bem, no momento. 

Dando um fino sorriso para ela, voltamos a mesa trazendo as coisas que foram pedidas, pois o outro carinha também virou garoto de recado. Assim que sentamos, ele veio se apresentar, educado como eu era, estiquei a mão para cumprimentar o mesmo.

- Syaoran Lee Kinomoto. Sem problemas, estamos todos na pista de dança. - falei sobre a demora ao se apresentar. 


Syaoran Lee Kinomoto | 15 anos | Vampire C
Estudante Night Class
(*) Sousuke Orion Kinomoto | 550 anos | Vampire C | Artesão
Voltar ao Topo Ir em baixo
Rose Hathaway
Recem Criado
Recem Criado


Feminino
Char RPG : Rosemarie Hathaway
Humor : sarcástica
Localização : onde Tohru estiver e/ou com o Dimitri
Posts: : 130
Inscrição : 03/09/2015

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Seg 15 Fev 2016 - 20:40

Rose percebeu que Andy não tava em seus melhores dias, mas o que queria mesmo era curtir, nem ligou. A noite tava ótima, afinal. Ia comentar com a Lissa, mas sua amiga estava...um tanto ocupada. Ela deu um sorriso malicioso pra Selene, que também tava com seu love. Enfim uma noite perfeita.
 Veio a contagem regressiva pro AnoNovo e os cumprimentos...Dimitri estava ali com ela e então o sempre contido deus dos guardiões a surpreende com aquele beijo de tirar o fôlego.Uau!!
-  Camarada....Puxa...-disse um tanto trôpega e ofegante, ainda sob os efeitos daquele beijo. -Assim que deixarmos o casalzinho real num lugar seguro, vou mostrar como cumpro minhas promessas...Não vejo a hora de irmos pra...nossa festinha particular...-se colou nele,com os olhos se avermelhando,ligeiramente.




"Eles vêm primeiro."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Seg 15 Fev 2016 - 21:43


+ Layla + Adrian + Daniel +

Citação :
Fabi
- O grandão é apenas um pau mandado, mas é melhor não o irritarem – Nero concordou sobre terem cuidado com Vincent. - Arthur está morto – respondeu frio e sombrio. Se achassem aquilo seria melhor para todos. - Claro, se ela pedir com jeitinho eu serei um anjo – prometeu rindo baixo. Ele duvidava que a humana fosse ficar na dela por muito tempo. No entanto, Nero realmente pretendia cooperar com eles por seus próprios motivos, mas os caçadores não precisavam sair daquilo. Que deixassem que Layla viesse se humilhar diante dele. Seria divertido. - Olá, docinho – ele sorriu largamente para Layla - Fico feliz que tenha vindo tão gentilmente me ver e nos dar a honra de sua presença nessa reunião... – ele provocou a menina – Então... tem algo a me dizer? - Agora eu posso prosseguir com as informações – Nero falou sério – Mas eu creio que vocês não vão gostar... – ele ficou em silêncio por um tempo, pensando em como falar sobre o que havia descoberto sem que fosse expor Skye e a colega dela, Lohanne. +Eu entrei nos arquivos secretos do meu chefe e descobri algumas coisas+ +Ao que descobri, meu chefe, Adolf Magnus, tem alguma ligação com vocês. Ele foi caçador da associação... no século XVII. Tem algo estranho com ele, mas eu não tenho certeza EXATA do que ele realmente é... Mas pensem, que humano prenderia um vampiro como eu + ele apontou para si + um vampiro nobre, em um laço de sangue? Não é algo viável a menos que tenha algo mais + - No entanto, isso ainda piora... – ele pegou a caneta e tornou a escrever. + Há uma vampira anciã naquele lugar, ela está junto a Magnus e ele parece controlá-la. Lya Merelyn é seu nome, é uma vampira italiana. Ela... + Nero parou um tempo, com um visível calafrio e continuou + Ela é uma vampira que controla demônios. E ela foi a responsável pelo ataque à mansão Lutont meses atrás +

A morena olhava-o no canto dos olhos e tentava se controlar quando ele a chamou de "docinho", que ódio a garota pensava consigo querendo esganar aquele cretino.

_Deixa-me ver se entendi, presa tanto pela minha presença que só quis continuar se eu estivesse junto? Nossa me sinto honrada com isso. - seu sorriso e tom era de puro sacarmos. - Se virou andou até a mesa e apoio a mão inclinando para ver bem de perto aquele vampiro, a mão esbarrou no do vampiro sobre a mesa e ela espantou-se, afastou de imediato franzindo a testa como quem analisasse o mesmo. _É acho que fará o que pedir, então entenda bem que esse pedido é pela missão porque por mim eu executava seus mandatos, mas temos interesses maiores. - Sentou no sofá cruzando as pernas e olhando-o de lá, mas a expressão mudará ela agora parecia analisar cada ato e palavra dele.

Adrian suspirou aliviado e Daniel sentou dando um leve sorriso de vitorioso quanto a postura de Layla.

Os três ficaram atentos a tudo que o vampiro dizia e escrevia, e a cada palavra eles se olhavam sem muita surpresa quanto aquela informação, Zero já havia alertado da possibilidade de Lya está escondida na cidade e que o traficante teria haver com isso. Sobre o fato de o antigo assistente está morto, Daniel lamentou baixo, pois sabia que aquele vampiro deveria ter muitas informações, era uma pena não ter chego antes e até de certa forma conseguido mais informações dele.

A surpresa veio com o fato das suspeitas sobre o fato de o mafioso ser um ser sobrenatural , afinal humano nenhum viveria tanto a não ser que tivesse algo sobrenatural envolvido.

_Sr Sorel, essas informações foram muito valiosas, irei informar ao presidente sobre sua cooperação e claro que o que prometemos será cumprido. - Adrian olhou para Daniel que entendeu de imediato e pegou na mochila seu notebook.

Ele abriu e acesso rápido os arquivos e enviou uma mensagem para associação, virou o note para o vampiro ver sobre a mesa e sorriu.

_Quer fazer as honras? Basta clicar em deletar.

A tela havia a ficha dele e de Lilian como a tarja em vermelho de condenados.

Assim que todos conseguiram o que queriam, Adrian levantou e estendeu a mão a Nero para um aperto de cumprimento.

_Sr Sorel manteremos contato, e tudo que descobrir espero que nos informe, há uma grande chance de conseguirmos pegar esse mafioso e se isso acontecer, acredito que terá sua "vingança" contra ele. - Adrian afastou e se dirigiu a porta do camarote para sair. _ E vai dar meia noite, melhor irmos logo não quero mesmo passar virada de ano perto de um monte de vampiros.

Daniel guardou as pastas e o notebook, chegou perto de Nero e curva-se agradecendo pelo apoio, seguindo Adrian, Layla por sua vez ainda estava sentada bebendo o último gole de margarita quando olhando o copo falou com o vampiro.

_Sabe Nero, eu e meu irmão temos certas peculiaridades no nosso sangue que nos dá certos dons, Adrian é sensitivo, sente tudo ao seu redor e pode identificar perigo ou não. - Olhou-o o vampiro e sorriu mais satisfeita com as suas conclusões mentais sobre o vampiro. _ Já eu, posso só com o toque sentir toda energia e aura do lugar e pessoas. - Levanta deixa a taça sobre a mesa e sacode os cabelos seguindo Adrian que já estava de porta aberta esperando por ela, já que Daniel estava no lado de fora descendo a mesma.

_Adoraria conhecer quem fez isso com você...rs

Ela deu de ombros como quem desdenhasse o fato de isso ser importante, mas por curiosidade.

_ Seria interessante ver quem fez você perder essa sua energia de crueldade e maldade... rs

Saiu olhando de lado descendo as escadas se juntando a Daniel, Adrian deu um leve sorriso de lado como quem entendesse o que ela falava, eles viram que aquele vampiro mudará e por isso que Adrian teve certeza ao vê-lo que daria certo a proposta.

_Manteremos contato, não precisa se preocupar na forma, se precisarmos iremos até sr Sorel. - Acenou com a cabeça. _Feliz Ano Novo! - saiu fechando a porta deixando o vampiro naquele lugar a sós.


+ Loran +

Citação :
++Charles++ -Me lembre de te chamar de "Vossa Alteza" e babar aos seus pés da próxima vez... - Sim... A cidade está parecendo bem "animada". -Quanto as apresentações, sempre pensei que o cretino Murdock tivesse boca para isso ao invés de depender de babás, mas já que vejo o contrário... - Charles deu um sorriso quase sarcástico e malicioso, apontando em direção a Lewis. - O ruivo filho da puta aqui é Lewis Murdock, quanto ao japinha sacana aqui... - E acenou com a cabeça em direção a Kuran. - É Vossa alteza real suprema e inigualável, Loran Kuran-sama com sua noiva, Rose Valentine. - Completou com certo sarcasmo zuiero a frase, pegando uma taça de champanhe para si. Afinal, se estava ali, tinha que aproveitar até a última bebida. -Agora, se não se importam, "crianças", vou ter que interromper as apresentações da quarta série para fazer uma sugestão... - E puxando o celular do bolso, charles deu uma olhada por segundos em algumas mensagens. Ótimo. Era bem como pensava. - O que acham de deixarmos o "chá das 5 dos lordes e falsos nobres" e irmos ver um pouco de sangue, violência, drogas e diversão de verdade? - Afinal, ninguém ali parecia disposto a brincar de fingimentos e cortesia por mais umas horas, aquilo simplesmente revirava seu estômago. - Já foram em alguma rinha ilegal de leveis E?

_ Errr... menos né Charles- SAMA ... - bufa, olha para o outro vampiro ruivo e da um meio sorriso já imaginando que pelo tratamento de Charles com ele deveria ser naquele mesmo nível o que se confirmou com as apresentações.

_ Muito adjetivo numa mesma frase para nos apresentar, posso presumir que o cretino - SAMA tenha algo de interessante para me falar, com todo esse "elogios" em me apresentar rs - Olhou Lewis- E então conhece a muito tempo esse cretino?

Charles era um vampiro até que menos chato de aturar, fora que o tratamento de ambos já demonstravam de grande amizade, Loran gostava disso, preferia lidar com os que era cara de pau como ele do que os fingidos e os puxa sacos de plantão.

_Rinha de Level E?! Nunca fui em uma... Entendo que na certa isso é invenção sua, bom preciso de algo para me distrair, se tiver que arrancar umas cabeças então... - Olhou para Rose. _ O que acha? Será ao menos curioso ver.




Finalmente faltava pouco para virada do ano novo e a contagem regressiva começara, vozes contavam em coro para os últimos segundos do ano novo e todos gritaram e ao fundo podia se ouvir os fogos estourarem e o telão mostrava a queima de fogos no lago da cidade.


Loran virou para Rose e diz baixinho ao seu ouvido.

_Feliz ano Novo tenshi, te amo!

Em seguida dá um beijo até ousado na frente dos outros vampiros, ja tinha bebido o suficiente e pouco estava se importando com os outros e que pensariam dele. Afastou os lábios dela e sorriu voltando a beber daquela bebida com sangue.



~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
kagura
SP
SP


Feminino
Char RPG :
Chars: Charles | William | Vincent (Arthur) | Melissa
NPCS: Murtagh | Junes | Junniper | Ryan | Trevor
Humor : Mutavel.
Localização : Brasília
Posts: : 3598
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Seg 15 Fev 2016 - 22:56

++Junes++


Outro gole ele deu na bebida, aproveitando a oportunidade para pedir mais uma daquelas. Embora as letras em japonês não fossem muito de sua compreensão, mesmo que, oralmente ele fosse quase perfeito com o idioma. De qualquer forma, logo a resposta veio das duas meninas, elas não eram dali, mas vieram estudar. Então, como o esperado aquela cidade realmente havia trazido estrangeiros humanos junto a sua expansão e reabertura da academia. Aquilo era perigoso, de certa forma ele notou. Talvez perigoso demais no estilo que seu pai esperava mas que, ele próprio, preferia evitar. Não era muito fã de disputas de territórios ou chacinas com humanos, embora isso se devesse mais ao seu estilo de querer aproveitar de melhor forma os benefícios daquela “sociedade paralela moderna” que qualquer outra coisa. Falando nisso, Lara tinha relaxado ou era impressão sua? Aquilo era bom. Não necessitaria fazer nada impensado por causa de um ataque de ciúmes humano a si, ou inventar desculpas e usar meios de apagar memória.

-Sou de Newisgar¹, embora tenha nascido na Turquia. – O moreno deu mais um gole, acabando sua bebida enquanto o álcool queimava suave e deliciosamente sua garganta. Lugar estranho para se morar realmente, aquela ilha de dimensões continentais de economia tão rica, mas tão isolada do resto do mundo. Mais ele não daria mais detalhes sobre isso até porque, falar que seu avô era praticamente o monarca secreto naquele território lhe geraria problemas. – Mas já morei na Inglaterra, na frança e na Alemanha também, meu pai adora me carregar em suas viagens. – Normalmente era para que ficasse do lado dele e para afastá-lo da vida irresponsável e libertina que tanto gostava, mas isso também não era coisa para se falar.

Outra bebida, a menina de cabelo azul mais relaxada e a bela Lilac quase capturada sem intenções por seu encanto natural. Ou seria o contrário, enquanto ele admirava a bela albina embeber seu liquido vermelho distraído. Tão vermelho quanto as pastilhas na champanhe que não podia tomar, ou o alimento que ingerira antes de ir para lá. Tão distraído que talvez sua proposta tivesse lhe surpreendido um pouco, não que de alguma forma ele fosse recusar. – Claro seria um prazer acompanha-las. – O moreno sorriu aberta, animada e divertidamente. Não via mal naquilo, sair com humanos sem qualquer intenção de mordê-los (por enquanto), e não podia negar que também gostava e muito de um pouco de diversão. – E podem me chamar de Jun...

Completou de forma despreocupada. Afinal, era assim que sua irmã lhe chamava quando não estava irritada consigo ou querendo lhe matar, e seu nome completo as vezes podia traduzir essas impressões.

O show também logo se encerrou e Andromeda logo apareceu rouca para cumprimenta-los. E com a contagem regressiva, Junes apenas levantou o copo. – Feliz ano novo! – Pronunciou ante aos novos amigos, pegando mais um copo de champanhe e virando de uma vez em seguida. Sim. Era ano novo mais uma vez. Seu octogentésimo nonagésimo ou algo assim, se ainda tivesse paciência para conta-los. E a noite era uma criança que ele queria manter acordada. – Então, temos alguma sugestão de lugar pra ir?

Newisgar ¹: Uma ilha enorme que inventei localizada no atlântico norte e sede do clã Fallneaves. Fica próxima a Islandia e groelandia e é conhecida por ser um país fechado e muito rico, com clima ultragelado e sem muita carga de imigrantes ou turistas.

++Charles++

Tres puro sangues que nada valiam reunidos em um único lugar e entediados. Aquilo não era uma coisa que normalmente daria certo, e provavelmente acabaria resultando em um caos generalizado. Mas quem disse que aquilo era importante para algum dos três, ou, pelo menos, para Charles. Sim. Pois ele não aguentava mais aquele jogo de fingimento escroto ou os elogios falsos e falando com aqueles dois de seu jeito direto e quase desrespeitoso, ele conseguira um clima mais confortável. E, por que não, arranjar um jeito divertido de irritar Loran. Ou melhor, sua grandiosíssima Alteza Real, deixando-o com um sorriso vitorioso em face, mesmo diante da provocação do outro.

-Infelizmente eramos colegas de classe... – Completou o loiro, deixando com que o ruivo e o moreno trocassem palavras em seguida enquanto pegava uma nova bebida para si. Outra daquelas champanhes fracas sem as irritantes pastilhas de sangue que tanto odiava. Pelo menos até que “sua rinha” fosse anunciada.- Não... Não sou o criador delas, embora não possa garantir que não seja um apostador assíduo. – E um fornecedor. Completou mentalmente. – Para falar a verdade, existe um grupo “ultra bem apessoado” envolvido que não costuma gostar muito de estranhos. Mas, como sempre vivo por lá, não teremos problemas.

E com super bem apessoado Charles queria dizer vampiros que agiam no mercado negro e até humanos corruptos de alguma forma. Pessoas não muito bem quistas que de vez em quando lhe proporcionavam um serviço ou outro com máxima descrição em certos assuntos.

De qualquer forma, antes que qualquer outra resposta viesse, Charles logo ouviu a voz do anfitrião que fazia o feliz ano novo e então o cumprimento geral. – Feliz Ano Novo! – Gritou com os olhos nos fogos do telão, enquanto virava mais um copo de uma vez. Mas aquilo continuava não ser um cenário dos mais animadores para ele, e não parecia tão empolgado enquanto ignorava o amasso dos dois puro sangues ao seu lado virando copo atrás de copo que roubava dos garçons. Sakura, será que você estaria comemorando o ano novo em algum lugar?


Voltar ao Topo Ir em baixo
Makie
E
E


Char RPG : Personagens:

Freya Gatemberg - Night Class
Aidan Becker - Day Class
Lilac Löfgren - Universitária
Juliet Glotieb - Prof.ª Ed. Fisica
Posts: : 323
Inscrição : 26/08/2015

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Seg 15 Fev 2016 - 23:30

Lilac

estava um tempo longe de casa, e ouvir o moreno falar dar viagens por onde foi com seu pai, fazia lembrar de quando viajava com os seus, havia conhecido bastante da europa, neste momento sentiu um pouco de falta da família, já estava há algum tempo longe. Ver a contagem e e brindar com  o espumante, a fez corar pela baboseira que pensava sobre estar só, sabia que contava com o apoio da família para ser independente, e principalmente, se sentia feliz com suas escolhas
—Gott Nytt År! Andrômeda.

A albina levantou a taça e brindou al ar, virando a bebida de uma única vez, não era para ser elegante, apenas era uma tradição que fazia com seus amigos . deixou a taça sobre o balcão  e se viu m pouco desconcertada pelo pequeno espetáculo, com as maçãs do rosto coradas pela bebida (nem era tão forte,, mas a vodka com o espumante ingerido rapidamente havia provocado uma onda de calor). Talvez a maquiagem e a luz não conseguissem disfarçar o rosto corado pela bebida e a forma um tanto mais desinibida de Lilac.

- então jun! pode me chamar de lila, é mais fácil de lembrar, pois bem, é dia primeiro de janeiro, estamos todos aqui e sinceramente acho que pra mim já chega de música alta, o que acha de todos sairmos e comemorarmos o ano novo? Se formos rápidos talvez cinsigamos ver os fogos de artificio?!

Para dizer a berdade a voz rouc da andrômeda de alguma firma não a enganava, não que tivesse oprestado tanta atençao na música para saber os erros, mas pelo fato de ter conversado com tamanha empolgaçao e com a voz em seu explendor. De qualquer forma, era algo sem importancia para a albina, afinal, não curtia este tipo de música direito.


mushu:
 
coisas que apenas o chat explica!


Última edição por Makie em Ter 16 Fev 2016 - 0:08, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Luthica
C
C


Feminino
Char RPG : Daryl Cannigan (B)

Naru Jenkins (ex-humana; D)

Elliot Casper von Wright (A)

Euphemia von Wright (A)

Vilhelmina von Wright (A)

Clã von Wright
Posts: : 481
Inscrição : 28/08/2015

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Seg 15 Fev 2016 - 23:51

(adiantando um pedaço)
Vilhelmina

A vampira aguardou um pouco mais em seu camarote. Agora que eles tinham saído de perto, não poderia tentar ouvi-los pela escada ou eles a veriam e estragaria toda a confusão.

Que depressivo ficar sozinha em uma noite como aquela! Não podia aceitar.

Sentia como era decadente ser líder de um clã e ter que se apresentar por aí como se fosse uma garota qualquer. Mas era essa garota qualquer que podia sair agora e gritar 'Feliz Ano Novo' com os demais.

E foi o que ela fez. Saiu em meio a multidão e comemorou com todos para qualquer um por perto, abraçando o primeiro jovem bêbado que lá estivesse disposto a isso e riu aos montes.

Depois só perambulou por aí. A noite era uma criança.




Casper


(...)
A noite de Casper tinha sido produtiva a final de contas!

- Se tiver algum lugar que precisa estar, senhor Beamount, fique à vontade. Pode não ser de seu agrado tanta algazarra - disse gentilmente. No fim, não se importou de brindar ao lado de Jacky Fry a passagem do ano. - Feliz ano novo! Foi bom conhecer o senhor.

Depois pensou em Euphemia, sozinha em seu quarto de hotel durante aquele show bonito e ficou um pouco triste. Da próxima seria mais insistente para trazê-la.

Passou mais um tempo jogando conversa fora, sem tempo. Depois notara que o público já estava se exaltando na bebida e estava na hora de homens de negócios e "crianças" irem embora.

Certamente deveria se desculpar com o anfitrião da festa em outra oportunidade
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fabi
SP
SP


Feminino
Char RPG : Nero Sorel (B)

Lillian (Lily) Sorel (B)

Órion Sorel (B)

Lewis S. Murdock (A)

Lucius Sallazar (A)

Leon Gianni (Hunter)



Humor : Sei lá
Localização : Rio de Janeiro - Brasil
Posts: : 1389
Inscrição : 06/09/2008

MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Ter 16 Fev 2016 - 3:05

> Lewis <



O ruivo riu entre um gole e outro da taça que havia acabado de trocas, com a troca de apelidos "carinhosos" entre Charles e Loran. Quando o loiro falou sobre achar que ele precisava de babá, o ruivo o olhou bravo inicialmente, mas resolveu entrar na brincadeira. Afinal, era o Charles, e aquele maldito sempre agia com aquele tipo de piadinha.

- Ah, Charles-SAMA, não se preocupe, você sabe que sempre será a minha babá preferida - disse com um sorrisinho no canto dos lábios - E muito obrigado pelo apelido gentil, meu caro amigo dissimulado... Não lhe dou a resposta adequada em repeito a patroa do nosso digníssimo japinha real.

Lewis jogou toda etiqueta para escanteio de vez, já estava se sentindo a vontade com os dois, somente a dama ali presente destoava do trio de jovens e ele não pretendia ofender a garota e deixar o casal furioso. Ao menos não até ter certeza de em qual terreno estava pisando.

- É um prazer, magnânimo Kuran - ele brincou - E senhorita Valentine - acenou com a cabeça a ela.

Ele iria responder a Loran a pergunta que o rapaz havia feito, no entanto o loiro acabara respondendo antes dele. Olhou Charles e deu um leve chute em sua canela, enquanto mantinha um sorriso sonso no rosto.

- Sim, nos conhecemos a alguns anos, daquele antigo antro de torturas - falou se referindo à outra academia. Lewis odiava aquele lugar e sinceramente só estava ali para ter uma bom álibi enquanto viera para exterminar sua cria rebelde. Afinal aquele era o dever de um puro, não era? E ele, como o bom puro que era, iria cumprir com suas obrigações na sociedade vampírica.

O ruivo parou a taça a meio caminho dos lábios ao ouvir sobre as rinhas de level's E e ergueu uma sobrancelha.

- Rinhas de ex-humanos? - aquilo era novo para ele - Não vou nem perguntar como você descobriu sobre isso, é melhor não saber.

Então o anfitrião os interrompeu com a contagem regressiva. Até que enfim, ele pensou, já estava ficando deveras vergonhoso aquela loirinha no palco fazendo aquele playback horroroso. Talvez a tal fama dela fosse um tanto falsa afinal. Que decepção para os fãs.

Sorriu e acompanhou a contagem até chegar no zero. Ouviu todas as comemorações e desejos de um bom ano novo para todos. Mas então o casalzinho ternura tinha logo que fazer o favor de se beijarem ao lado. Fez uma careta e desviou o olhar. Ao menos podia dizer, como um consolo um tanto sádico, que estava feliz que Charles estava ali com ele, ambos “sozinhos”, tendo que pagar de castiçais segurando vela para os outros dois.

Lewis levou a bebida aos lábios, mas parou pouco antes de beber. Os dois ali juntos se beijando o lembrou da última virada de ano que havia comemorado. Sua família vampírica ainda estava se restabelecendo e eles pouco se importavam com aquelas comemorações humanas, então a última vez que estava comemorando daquele jeito era quando ainda vivia com Leon...

Quando estava com ela.

Se lembrava do sorriso radiante dela e da alegria exagerada de Leon depois de ter bebido um pouco além da conta. Lembrava da pele macia e do toque de seus lábios. Da leve maquiagem que ela mal usava mas que havia usado para agradá-lo naquele dia. Da forma com que aquele vestido branco contrastava com os cabelos de fogo e delineava o corpo ainda em amadurecimento dela, mas que a deixava deslumbrante. Do toque suave de seu beijo, seu cheiro doce delicioso e natural. Das bochechas coradas quando lhe desejava alegremente que ele tivesse um bom ano... O ano em que ele havia a abandonado em troca de seguir sua verdadeira natureza.

Lewis bebeu o resto da bebida em um só gole, com um olhar irritado, e sentiu o líquido descer amargo com aqueles sentimentos. Era tolice, fraqueza. Riu internamente de si mesmo por sentir o peito apertado ao relembrar aquele momento. Saudade... Há! Ele estava muito melhor agora, uma lacaia traidora como ela não iria lhe fazer falta alguma.

- Ótimo, já cumprimos os nossos papéis como bons convidados, agora podemos dar no pé. Vamos logo embora - falou mais para Charles do que para o casal - Partiu!

E foi saindo na frente, tentando convencer a si mesmo que o local não havia ficado sufocante de repente. Não queria mais saber de toda aquela felicidade irritante e nem daquelas memórias desnecessárias. Tudo que ele queria naquele momento era o sangue e a violência que o loiro prometera, para esquecer aquela sensação desconfortável e poder se divertir de verdade.


___________________________________________




+ Nero


O ruivo ignorou o sarcasmo de Layla, sabia que ela estava fazendo aquilo para se vingar das provocações dele e Nero já estava satisfeito só em saber que havia conseguido a irritar, pois mais que ela se esforçasse a manter a pose. Entretanto, quando ela o tocou o vampiro retirou a mão de perto dela de imediato, desde o que havia acontecido em Paris ele seria arisco com aquela mulher. Olhou para ela inicialmente bravo pelo contato, mesmo que acidental, mas depois olhou desconfiado e intrigado para a expressão espantada no olhar da humana. Por que ela estava o olhando daquela forma? Naquele momento não importava, ele deveria se concentrar para resolverem logo aquele assunto, por mais incomodado que estivesse com a reação dela e a forma com que a humana passara a o estudar.

Nero continuou a mentir sobre a morte de Louis e a omitir as informações sobre ele. Não sabia o que aqueles caçadores fariam se soubessem se ele estava vivo. Provavelmente tentariam o interrogar, mas o vampiro não estava em condições de passar por aquela experiência. O que Louis precisava naquele momento era de paz e sossego, então o ruivo faria de tudo para proteger o vampiro que amava.


Aguardou enquanto Daniel pegava o notebook e entrava em contato com o presidente da Associação. Olhou o aparelho com as fichas dele e da filha na tela e apertou com prazer o botão para deletar as informações. Se encostou e soltou um suspiro aliviado. Sentia como se tivessem tirado um peso enorme de seus ombros ao tirarem todas as acusações dele e de Lily. Finalmente poderiam voltar a transitar sem ter medo de serem presos ou mortos. Nero ainda estava preso a Magnus pelo laço de sangue, mas aquela carta de alforria parcial que havia acabado de receber o deixava feliz. E sabia que Lily também ficaria feliz com aquilo.


Nero se permitiu sorrir a Adrian quando apertou sua mão.


- Tudo tem um preço, não é mesmo? - falou com o caçador quando este lhe pedira para mantê-los informados de possíveis descobertas futuras - No entanto, creio que ver Magnus preso - ou morto, pensou - seria um pagamento adequado.
Correspondeu o cumprimento de Daniel com um aceno com a cabeça. Então olhou a humana diante de si. Olhou intrigado e alerta quando a mulher começou a falar sobre dons sobre-humanos que ela e o irmão possuíam. Dons sensitivos, sentir o ambiente, energia e auras. Seria uma ironia do destino ou ele queria lhe pregar alguma peça fazendo-o se envolver justamente com pessoas que possuíam aquele tipo de dom? Lembrava claramente uma certa pessoa que Nero conhecia...

A observou se afastar e se levantou, mas quando ouviu aquele comentário de Layla o vampiro paralisou. Maldição! Droga de poder que não dava pra esconder nada! Só esperava que aquilo não desse motivos para que a vadia ficasse curiosa e viesse atrás dele investigar mais sobre o assunto.

- Vá se foder - xingou e começou a resmungar - Ver quem fez isso comigo… francamente… - Nero passou a mão sobre o colete para alisar o tecido, visivelmente constrangido, falando irritado e ranzinza - Eu hein. Não sei do que está falando - tentou se fazer de desentendido.


Esperou os humanos estarem longe e sorriu enquanto encarava a porta por onde haviam saído.

- … Feliz ano novo, humanos… - murmurou feliz e então desceu para se encontrar com sua filha.



___________________________________________



~* Lily e Nero


A menina continuou agarrada a Daryl, tentando manter-se calma com o cheiro e o calor dele. Mas ela começava a ficar nervosa com a demora do pai. Será que Nero estava bem? Será que ele havia feito alguma outra besteira e agora estava em maus lençóis? Fez como o namorado e olhou em direção ao camarote onde o trio estaria (já que ela não sabia que Layla também havia se juntado a eles).

Então Naru a tirou da sensação de tensão com aquela proposta deslocada. Sorriu a ela. Mesmo que Lily não estivesse no clima para aquilo, ela ficava feliz com a tentativa da menina de amenizar a situação. Era algo ingênuo de se tentar, mas ela gostava do jeito puro da menina, tão diferente das ações daqueles vampiros que os rodeavam.

- Vai ser ótimo, Naru. Vamos sair para comemorar sim, todos juntos - ela prometeu como se aquilo fosse necessário para afirmar que estava tudo bem.

Assim que terminou a frase ela viu o pai se aproximar novamente deles. Soltou Daryl e olhou aliviado ao ver Nero chegar até eles com um largo sorriso nos lábios.

- E então? - perguntou esperançosa.


- Está tudo bem - ele falou para todos e então olhou para a filha, se dirigindo diretamente a ela - Estamos livres, Lillian. Eles apagaram nossas fichas. Estamos limpos.

Lily olhou sem acreditar no início, mas então sorriu e abraçou o pai apertado, sendo correspondido da mesma forma por ele.

- Então eles não querem mais te matar? - perguntou com a voz embargada.

- Não - ele sorriu, achando melhor omitir o fato que a família nobre francesa ainda estava atrás dele.

- Eu posso voltar à Paris?! - ela se soltou dele, olhando-o com os olhos brilhando. A menina adorava a França, sua terra natal.

- Pode - Nero riu baixo.

- Isso! - a menina comemorou dando pulinhos, animada e feliz.

Em seguida houve a contagem regressiva para a virada de ano. Lily sorriu e se virou para o relógio, passando um braço pelas costas de Daryl e outro pelas costas do pai. Nero sorriu e passou o braço pelos ombros da menina e puxou Naru com o outro, a abraçando também como se a japonesa fosse uma outra filha.

Comemoraram entre si e permaneceram ali mais algum tempo antes de voltarem para o castelo. Assim que saíram do local, Nero olhou para cima, para o céu onde os fogos ainda eram soltos vez ou outra e sorriu, com um pensamento: aquele seria um bom ano, afinal.




Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Club FIVE    Hoje à(s) 21:19

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Club FIVE
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 6 de 7Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte
 Tópicos similares
-
» ArremateClub
» Boate Freedom
» Esporte Club Pin (ESCUDO)
» Rock The World - Online Music Game
» OLHO NO CLICK CLUB

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Academia Cross RPG  :: Província Ambarantis :: Ambarantis :: Cidade Central-
Ir para: