Academia Cross RPG
Bem Vindos!!

Aos visitantes e Novatos Na Academia Cross.

Leiam as Regras para participar do RPG.

Regras Gerais, orientações e Sistema do Jogo

Arigato pela Visita e volte Sempre!

Administração Equipe Cross



RPG Vampire Knight
 
Portal CrossInícioCalendárioFAQBuscarRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Galpão - Fazenda Casa Grande

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Master
Administrador
Administrador
avatar

Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2336
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Galpão - Fazenda Casa Grande   Qua 23 Nov 2016 - 18:06

Galpão - Fazenda Casa Grande









~* Narrador Master *~
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Master
Administrador
Administrador
avatar

Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2336
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Dom 18 Dez 2016 - 15:43

A acensão 


+ Magnus +

Aquela noite era a crucial para os planos do mafioso, após ter tido uma significativa perda que foi a explosão de seu laboratório de refino de drogas, não abalou tanto seus planos, afinal aquele local era só um ponto pequeno diante do local real que eram produzidas as pastilhas de sangue.

O comboio de carros negros atravessaram o campo pela pequena estrada de barro, levantando uma leve poeira até a fazenda Casa Grande, ali ao parar o mafioso saltou do carro e se recolheu ao interior da casa, estava em silencio como uma concentração profunda preparando para o ritual de ascensão a sua antiga forma vampírica. Seu corpo já regenerado imerso ao sangue de puros as quais assassinou para poder obter a regeneração total fora encaminhado para o galpão principal da fazenda.

O local estava totalmente cercado de seguranças humanos e vampiros, era necessário a garantia de sua proteção assim que acordasse, além do farto rio de sangue que necessitaria para se alimentar, aqueles seres ali o protegendo serveriam além desse propósito, seriam a fonte inicial para aplacar a sua sede quando renascer.

Valery coordenava tudo e fora direto para o galpão e de lá preparava a volta de seu senhor, junto a ela um pequeno grupo de vampiros obedeciam suas ordens preparando o ambiente e os equipamentos que mantinham o corpo fresco e forte imerso ao tanque de sangue.

- Srta Valery está tudo pronto para nosso senhor retornar.

Ela sorriu satisfeita e pegou o celular fazendo a chamada.


-Estamos aguardando meu Senhor, chegou a hora.

Magnus aparece na porta de entrada da fazenda tinha um brilho no olhar e um leve sorriso no rosto, estava perto de sua volta gloriosa a poucos passos de largar aquela carne humana velha e fraca de uma vez.

+++++++++++++
Missão Hunter


+ Adrian + Layla + Daniel +


Estava aguardando na van perto da associação o grupo se reunir, partiriam naquela van negra com equipamentos de monitoramentos para implantar na região da zona rural, local onde havia relatos de ser ninhos de vampiros Level E.

- Olá Adrian, espero não ter demorado. - Daniel apareceu já arrumado, estava com roupas negras e carregava sua katana. 

Layla estava na van e apareceu na janela do lado do motorista.

-Ainda falta Aidan e Lara, vamos esperar um pouco mais.

-Não está atrasado, nós que nos adiantamos um pouco.

Adrian olhava a tela de um ipad e fazia algumas anotações.

Missão:
 



~* Narrador Master *~
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Dark_Rose
B
B
avatar

Feminino
Char RPG : Rose Valentine (PB)
Lara Kapetine (Hunter)
Humor : Incompreesível
Localização : Inglaterra
Posts: : 673
Inscrição : 06/09/2008

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Sab 24 Dez 2016 - 18:50

+Lara+

A jovem chega ao local marcado para encontrar os outros hunters na missão. Ela vestia um sobretudo preto com uma camisa de gola alta e uma calça justa também pretas, seu par de sai estava preso ao seu corpo mas costas na altura do quadril, mas estava escondido pelo sobretudo. O cabelo estava preso em uma rabo de cavalo para não atrapalhar caso precise lutar ou para chamar menos atenção por causa da cor. 

Vendo-os parados e sem conhecer-los ela se aproxima sem muita cerimômia.

- Olá. Espero que não tenham esperado muito.


Lara Kapetine
Voltar ao Topo Ir em baixo
Makie
E
E
avatar

Char RPG : Personagens:

Freya Gatemberg - Night Class
Aidan Becker - Day Class
Lilac Löfgren - Universitária
Juliet Glotieb - Prof.ª Ed. Fisica
Posts: : 335
Inscrição : 26/08/2015

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Seg 26 Dez 2016 - 20:38

Ele podia ser meio britânico, mas pontualidade não era algo exatamente que levava ao pe da letra todo tempo. As pessoas poderiam estranham pois andou pelas ruas todo vestido de escuro e com uma mochila nas costas.  Era uma investigação com possível invasão, nada melhor do que ir vestido apropriadamente para isso. Sua roupa o protegia do frio e o protegia de uma possível umidade. Na mochila o rifle desmontado, enquanto os cabelos estavam presos num rabo de cavalo (ao menos a parte superior para que os cabelos não o atrapalhasse). Pegou um carro alugado até uma parte próxima ao local que iria (desabilitando o localizador) e seguindo por um pequeno trecho a pé ate o ponto de encontro. Sobre o  banco traseiro montou seu rifle e então se equipou também com suas pistolas e suas luvas. Pronto fechou o carro e foi em direção ao local indicado, la estavam o trio de sempre mais uma menina, seus cabelos chamavam atenção desnecessária, porem era algo que deveriam relevar e ainda sim cumprir com o objetivo.

- pronto cheguei, acredito que não falta mais ninguém. Me desculpe se me atrasei.
O moreno olhou ainda a contra gosto o cabelo da garota (mas não poderia falar muita coisa afinal o seu próprio a poucos meses atrás tinha uma parte vermelha) estendeu a mão e então se apresentou com seu sotaque forte em sua fala.

- sou o Aidan, você deve ser a Lara não é? Eu já conheço os outros.


mushu:
 
coisas que apenas o chat explica!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador
avatar

Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2336
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Qui 5 Jan 2017 - 18:19

+ Adrian + Layla + Daniel +

Adrian finalizava os equipamentos com ajuda de Daniel para colocar na van, quando os outros hunters da missão chegaram, deu um leve sorriso e se aproximou deles.

_ Sr Kapetine... Sr Becker... Estamos dentro do horário. - Olhou ambos e pegou alguns equipamentos, passando a eles. - Esse equipamento é para auxiliar na missão dessa noite, óculos de visão noturna, máscara e luvas, refil para as pistolas com bala especial para vampiros, e rádios para mantermos contato o tempo todo. - Entregou.

Olhou Daniel e fez um sinal para irem.

_Vamos entrar na van, vou passando as instruções até o local combinado.

Dentro da van Daniel estava sentado com o equipamento de monitoramento e havia bancos para sentarem.

Layla estava no volante e olhou Aidan dando um sorriso doce e fez sinal com o dedo chamando para ele sentar na frente com ela.

_Olá... Nossa segunda missão juntos rs

Adrian apontou o lugar para Lara sentar e sentou fazendo sinal para irem.

Layla ligou a van e pegou o rumo da estrada para a zona rural.

_A missão consiste em monitorar e catalogar a região como possíveis ninhos de Level E, existe duas fazendas abandonadas que há uma possibilidade grande de ter ninho ativo.

Abriu o mapa da região no ipad e mostrou a eles, com uma caneta marcadora mostrou o local das fazendas.

_ Temos ordens para exterminar qualquer ameaça caso isso atrapalhe nosso monitoramento.- mostrou a eles equipamento de video - Essas mini cameras serão colocadas por nós em pontos estratégicos e estrada.

A van alcançara a estrada e pouco depois entravam pela estrada de barro, somente a luz baixa dos faróis da van iluminavam o local.

_Dúvidas, falem comigo.

Adrian separava outros equipamentos e havia armas com dardo tranquilizantes e umas com uma bala de um líquido que Lara e Aidan não haviam visto antes.



~* Narrador Master *~
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Dark_Rose
B
B
avatar

Feminino
Char RPG : Rose Valentine (PB)
Lara Kapetine (Hunter)
Humor : Incompreesível
Localização : Inglaterra
Posts: : 673
Inscrição : 06/09/2008

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Sex 6 Jan 2017 - 22:17

Lara observava atentamente os hunters e o novo que parecia observar seu cabelo. Lógico. Toda vez era a mesma coisa.
 
Apesar de tudo, ela esboça um gentil sorriso e aperta a mão do hunter. Ele era bonito, isso não podia negar. Quem sabe o que poderia ganhar sendo simpática com ele?
 
- Sim, sou Lara. Cheguei há pouco na cidade. Prazer em conhecer, Aidan. – Aidan poderia sentir certa malícia nos olhos dela, mas não a motivação do por que.
 
Ela pega os equipamentos que lhes são entregues e os analisa para ver se tudo estava certo. Em missões passadas já foi deixada na mão por um binóculo quebrado.  
 
Quando entra na van e vê a menina falando com o outro hunter sobre ser a segunda missão deles juntos ela discretamente revira os olhos. Podia imaginar o clima entre eles. Melhor ficar quieta.
 
Ela senta no local indicado por Adrian imaginando que tipo de papel deveria desempenhar:  a quieta ou a que toma a frente, não sabia como era a harmonia daquele grupo. Preferiu ficar quieta e observar por enquanto. Acha interessante a munição do hunter, mas fica no silêncio, nunca foi muito fã de armas de tiro apesar de já ter sobrevivido graças a elas.


Lara Kapetine
Voltar ao Topo Ir em baixo
Makie
E
E
avatar

Char RPG : Personagens:

Freya Gatemberg - Night Class
Aidan Becker - Day Class
Lilac Löfgren - Universitária
Juliet Glotieb - Prof.ª Ed. Fisica
Posts: : 335
Inscrição : 26/08/2015

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Ter 24 Jan 2017 - 12:49

+Aidan+


Aquele brilho levemente sutil nos olhos da menina do cabelo azul... seria impressão sua? Ele balançou a cabeça afastando algum pensamento inútil da cabeça e se focando na missão.

- poderia ter sido numa situação melhor, porém, ainda sim muito prazer.

Um sorriso gentil era o que vinha do moreno, gentileza talvez o descrevesse bem. Adrian havia chamado os dois que pareciam perder um pouco de tempo em apresentações formais (talvez culpa de Aidan).  Virando-se viu também Daniel ali do lado então sabia que era melhor irem. Com sua mochila se aproximou da van e viu Layla que o chamava, o caçador não compreendeu o fato do que ela disse, afinal ela estava contando isso? Bem oficialmente sim mas já havia saído com ela se se encontrado em momentos onde apenas o lado profissional poderia resolver (será que isso também contava? Talvez só na cabeça do moreno). De qualquer forma Aidan teve que recusar.

- perdoe-me Layla eu preciso montar meu equipamento, seria estranho demais fazer isso na parte da frente, principalmente por que não há tanto espaço...

Ele sabia que sua namorada podia ser um tando sentimental quando ele precisava agir de forma mais madura, mas esperava que ela não se magoasse para num futuro próximo poder recompensa-la.

- espero que esta noite não tenhamos problemas

O moreno foi entrando no banco de traz, se sentando um pouco mais afastado e abrindo a mochila, seu rifle estava desmontado e embalado, de fato precisava de um tanto de espaço para alojar cada peça e assim monta-lo adequasamente.


mushu:
 
coisas que apenas o chat explica!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador
avatar

Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2336
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Qui 9 Fev 2017 - 23:03

+ Hunters +

Layla olhou Aidan e ficou um pouco séria pela negativa dele, no instante seguinte deu de ombros e concordou ligando o veículo e partindo para a zona rural.

Adrian ainda separava os equipamentos voltando a dar instruções a todos.

- Ficarei na van para uma cobertura, enquanto instalam os rastreadores estarei fazendo a conexão online para monitoramento em tempo real de toda região. - mostrava a eles o mapa do lugar. - Vou dividir em duplas, Layla vai com Daniel e Aidan com Lara. - estende a eles rádios. - Vamos nos comunicar por esses rádios, qualquer sinal de vampiros E atacando não exitem em exterminar, temos autorização para isso.

A van saiu das estrada principal, pegando a estrada de terra que levava a região das fazendas. Layla dirigia e vez ou outra olhava para o retrovisor, Daniel sentou ao lado dela no banco do carona e carregava as armas pendendo na cintura, foi nesse momento que Layla viu junto ao cinto granadas.

- Vai levar isso também ? - olhou curiosa.

- Nunca se sabe se vamos precisar... rs - terminou de arrumar as armas e colocou por dentro do seu casaco preto e fechando em seguida.

Pouco depois, estavam parando, Layla estacionou a van em um local de bastante mata e árvores em volta. 

- Vamos, está na hora... - Adrian acenou e a porta da van se abriu na lateral.

Daniel pegou a sacola e olhou Layla.

- Vamos...

Layla o seguiu sem antes dá uma olhada a Aidan, sentiu um arrepio estranho, porém preferiu ignorar.

- Tome cuidado Aidan... Lara... - Saiu atrás de Daniel.

- Tomem cuidado. - Adrian entrou na van e fechou a porta lateral de correr e sentou na frente do monitor começando a se conectar online com a Associação de Caçadores.

Assim as duplas seguiram seus caminhos para lados opostos afim de começarem a instalar as câmeras de monitoramento.

+++++++

No Galpão...


Magnus estava em uma área onde havia preparado para ele se acomodar até que fosse finalmente chamado a iniciar o seu processo de renascer sangue puro. Estava um tanto nervoso, mais que o normal, porém o sorriso nos lábios de satisfação era nítido.

Valery entrou na sala e olhou o chefe ao aproximar sentou ao seu lado com um sorriso satisfeito.

- Agora falta pouco meu senhor, dentro de alguns minutos estará na sua real forma livre desse corpo humano, fraco e mortal.

Magnus sorriu a ela e fechou os olhos, suspirou baixo e encostou a cabeça na poltrona que sentava. 

- Minha recompensa está por vir, agora eu poderei realizar a minha vingança contra todos que me colocaram nessa condição decadente de um mero gado no pasto pronto para o abate... Corpo desprezível e sem forças que envelhece a cada dia, murchando, se tornando decadente.

Ela levantou curvando a cabeça para voltar a porta abrindo-a em seguida.

- Venho chamá-lo em breve meu senhor.

Sai deixando o mafioso no aguardo para iniciar sua transição de corpo.

Magnus aguardava a hora, levantou e parou de frente a um espelho tinha uma expressão de pouco caso para aquela face envelhecida e fraca.

- Logo estarei olhando para minha verdadeira face novamente, fraqueza dessa carne desaparecerá e voltarei triunfante. - Sorri tocando o rosto.

“Acha mesmo que conseguiu?”

O mafioso franziu a testa e olhou em volta, ouvia aquela voz, mas não via de onde vinha.

“Não permitirei que continue, não deixarei que consiga...”

Adolph sorriu baixinho já identificando a voz.

-Então, diga-me Bronwen como irá fazer para impedir-me? - Olhou-se novamente no espelho. - Já que estou com seu corpo.

O silêncio se tornou e Adolph sorriu satisfeito.

- Nada e nem ninguém me impedirá, nem você, maldito hunter, nenhum Kuran e o principalmente aquele que me colocou nessa prisão, tenho tudo no meu controle.

Uma batida na porta fez ele voltar atenção para a mesma.

-Entre...

Marlon apareceu e olhou o interior fez uma pausa ainda perto da porta aberta.

-Vim o mais rápido que pude.

- Sente-se Sr Marlon, tenho algumas instruções para lhe dá.

Aguardou que o matador se acomodasse em um sofá naquele escritório e sentou-se também. 

- Irei aguardar Sr Sorel, aliás viu se já chegou? Tenho algumas instruções e você irá auxiliá-lo.

-O que precisar irá auxiliar sem nenhum problema, quanto a ele, não vi, vim direto para o escritório assim que cheguei.

Marlon não gostava do clima daquele galpão e aquela parafernália toda e uma enorme banheira transparente com líquido vermelho no centro só lhe confirmava o que estava preste acontecer, aquele mafioso iria realizar o ritual, a questão era qual seria?

+++++


+ hunters em missão +


A direção tomada por Aidan e Lara, levaram a uma fazenda que aparentemente estava fechada, tinha aspecto por anos de abandono e assim ambos se aproximaram com o equipamentos de monitoramento nas mochilas. Ao observaram notaram pela janela que as mobilhas estavam cobertas por lençóis brancos e havia muita poeira e teia de aranha nas janelas com vidraças sujas e opacas pelo tempo.


Precisavam colocar em pontos estratégicos aquelas pequena câmeras com visão noturna em todo o local conforme o mapa que Adrian havia lhes dado e marcado em vermelho os lugares. 

Nesse momento notaram que havia uma movimentação dentro da casa, ao observarem pela janela viram vultos passar pela porta dos fundos.




~* Narrador Master *~
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Fabi
SP
SP
avatar

Feminino
Char RPG : Nero Sorel (B)

Lillian (Lily) Sorel (B)

Órion Sorel (B)

Lewis S. Murdock (A)

Lucius Sallazar (A)

Leon Gianni (Hunter)



Humor : Sei lá
Localização : Rio de Janeiro - Brasil
Posts: : 1418
Inscrição : 06/09/2008

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Qua 1 Mar 2017 - 17:47

+ Nero +


Não fora nada fácil deixar Louis na casa deles e ter que voltar. Tudo o que ele queria era poder ficar com o moreno dele e ter certeza que estava mesmo bem, mas não podia correr o risco de ter o mafioso desconfiado com ele. Nero estava fazendo muita coisa errada trabalhando como agente duplo, se fosse descoberto... ele nem queria pensar no que poderia acontecer.

Tinha prometido para Louis que voltaria assim que pudesse para vê-lo e que levaria mais da cura para mantê-lo sobre controle e quem sabe tirar aquela intoxicação de vez. Tinham que ter esperança... Queria mesmo fugir daquele lugar para sempre com seu amado e sua família, devia haver um jeito de fazer aquilo... Mas primeiro precisava ajudar Marlon a acabar com os planos de Magnus de despertar aquela múmia nas ruínas.

Parou no meio do caminho para abastecer a moto até encher o tanque e aproveitou para olhar a mensagem que Adrian havia lhe mandado. Respondeu que ele poderia marcar uma reunião o mais breve possível e depois voltou a dirigir rápido pela estrada.

Chegou no local indicado pouco mais de uma hora depois de Marlon, tivera que passar em casa e se trocar para que não reconhecessem o cheiro de Louis nele. Rapidamente foi até o escritório improvisado para se encontrar com o chefe. Deu uma olhada em Marlon, fingindo pouco caso, e cumprimentou o mafioso.

- Desculpe o atraso, senhor, tive um imprevisto. Em que posso servi-lo?




Voltar ao Topo Ir em baixo
Makie
E
E
avatar

Char RPG : Personagens:

Freya Gatemberg - Night Class
Aidan Becker - Day Class
Lilac Löfgren - Universitária
Juliet Glotieb - Prof.ª Ed. Fisica
Posts: : 335
Inscrição : 26/08/2015

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Dom 9 Abr 2017 - 21:34

+Aidan+


Como era de se esperar Layla estava meio chateada, entretanto aquela cara de aborrecida era o que mais gostava da Hunter (principalmente quanto ele a provocava para depois a abraçar forte). A noite seria uma desvantagem, para eles (mas vampiros caçam em momentos mais escuros, então a chance do local ter alguém seria mínimo), Aidan montou seu rifle e preparou suas pistolas nos coldres que levava próximo ao peito. O problema não seria em entrar, mas sim sair de lá!
 
“- Tome cuidado Aidan... Lara... - Saiu atrás de Daniel.”

Aidan se apressou em segura-la pelo braço e então a puxou para perto olhando em seus olhos.
- não se atreva a ser a heroína! Quero você viva de volta entendeu?
Com um movimento gentil deu um suave beijo na testa da morena e então a soltou para concluir a sua missão.

“- Tomem cuidado.”

Aidan acenou com a cabeça para Adrian e então se reuniu novamente com Lara para a sua missão.

***

Com o rifle em punho, Aidan toma a dianteira andando cautelosamente se escondendo entre a vegetação de um pequeno arbusto. A lente da mira telescópica permitia que ele enxergasse a uma distância segura, e ao que parecia havia movimentação na casa pelos vultos que se dirigiam a alguma entrada secundária da casa. O moreno então acenou para Lara. Eles precisavam montar uma estratégia para entrar (afinal quantos haveriam ali dentro? Ele esperava que não fosse um ninho).


mushu:
 
coisas que apenas o chat explica!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador
avatar

Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2336
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Sab 15 Abr 2017 - 22:17

+ Magnus +

O Mafioso começou a se levantar quando Nero bateu a porta e entrou, olhou-o e acenou para que se aproximasse. 

- Ótimo que tenha chego sr Sorel, preciso que esteja aqui, aliás todos nossos aliados estarão aqui reunidos assistindo a minha retomada de poder. - disse um tanto vago sobre o que aconteceria naquele galpão. - sr Marlon, sr Sorel queiram me acompanhar, está na hora.

Saiu daquela sala seguido por ambos, desceu as escadas indo direto para o centro do galpão, onde havia equipamentos para todo lado e no centro iluminado uma enorme caixa retangular de vidro cheia de um liquido vermelho que logo ambos, o matador e Nero pode notar ser sangue.

Valery estava com uma prancheta anotando algumas observações e olhando o monitor junto com dois assistentes, virou para Magnus e se aproximou.

- Tudo pronto, vamos iniciar o ritual?

- Ótimo. - O mafioso andou até um pedestal e começou a retirar o palito e em seguida a blusa, gravata e por fim as calças ficando somente de samba canção, a cena era estranha, porém alguns ali não se abalaram. Valery trouxe um roupão e lhe ajudou a vestir.

O humano estava muito concentrado e abriu o livro antigo a sua frente e começou a entoar palavras de uma língua estranha, alemão ou russo ao que parecia, falava rápido e repetidamente.

Marlon notou em volta um grupo enorme, havia humanos e vampiros e pareciam assistir tudo atentos. Cutucou Nero fazendo dá um passo atrás e falou perto dele.
- A cúpula de aliados de Magnus está toda aqui, não fazia ideia que viriam, mas são os testas de ferro dele em todos os países que ele controla o trafego de drogas e armas. - Voltou a olhar em volta e passou a mão nos cabelos parecendo tenso. - Pelo que entendi, ele está fazendo o ritual de voltar a ser vampiro, melhor ficarmos afastados e preste atenção em possíveis rotas de saída, se der merda, fugimos. - Ficou numa posição onde via tudo inclusive a saída daquele galpão.

No lado de Fora …

Layla seguia pela mata rasteira escondida e conforme passava fincava o aparelho de monitoramento nos pontos marcados pelo irmão no mapa. 

Viu Daniel fazer o mesmo ao longe, ambos usavam óculos de visão noturna e andavam até alto do monte. Chegaram por fim até a entrada de uma fazenda, haviam muitos carros dentro do lugar e uma iluminação forte aos fundos da fazenda.

Pelo mapa dado a eles, a fazenda era dita como abandonada e que deveriam colocar lá os aparelhos, porém não parecia tão abandonada assim e eles se reunirão para decidir o que fariam.

- Dany, o que vamos fazer? - olhou com binóculo e viu movimentação de vários homens de terno e gravata, seguranças ao que parecia. - Seguranças.

- Deve ser a fazenda de Magnus, pela quantidade de carros e seguranças, algo grande deve está acontecendo. - Daniel olhou o alto procurando a lua e de repente se ligou. - Olha, talvez estejamos errados sobre o dia, Lua nova, o ritual dizia isso.

Layla olhou ele estranhou não entendendo o que dizia.


- Ele deve está realizando o ritual de regeneração, vai voltar a ser vampiro, droga... - bufou. - Temos que avisar Adrian. - Pegou o rádio e tentou contato, porém parecia que algo bloqueava o sinal. - Vamos nos afastar, estou sem sinal no rádio, deve ter algo na fazenda bloqueando.

Layla se arrepiou com aquelas palavras e concordou em eles se afastarem logo dali, ela era até doida, mas não maluca o suficiente para se meter naquela confusão enorme, sozinha com Daniel.

Quando iam levantar ouviram cliques de armas sendo engatilhadas e atrás deles três homens apontaram armas para suas costas.

- Olha só o chefe irá gostar disso, dois curiosos e com esse equipamento todo. - Um dos homens pegou a mochila de Layla.

- Ei, não toca nela. - Daniel se levantou, mas foi acoronhado pela arma de outro capanga.
Caiu de joelho sentindo a nuca. - Ai Droga...

- DANY...!!! - Layla ajoelhou junto a ele.

Layla ia enfrentar eles quando Daniel a segurou puxando para ela parar.
- Não...

Assim ambos foram pegos pelo três homens e levados até a fazenda, chegando no lugar reparam a grande movimentação de entra e sai de figurões bem conhecidos, havia além de alguns mafiosos de outros países também alguns políticos conhecidos tanto do Japão como de outros países.

- Meu Deus... Isso está pior que imaginávamos... - Daniel ainda sentia a cabeça doer e virou para Layla fazendo gesto para ficar calma.

Ambos foram levados para o galpão e assim que entraram se assustaram com o tamanho do aparato que havia sido montado no lugar. Era realmente o ritual e pelo que notaram havia sido iniciado.

- Dany... Agora ferrou tudo... - Layla falava tensa ao parceiro – Ele vai voltar...

Daniel e Layla foram empurrados para o canto e presos em correntes, olhou no outro canto Nero e suspirou baixando a cabeça.

- Fique calma vamos dá um jeito, vou tirar você daqui... - Daniel falou em outro idioma para ela, que entendeu .

Os seguranças gritaram com ambos e um deles soca o estomago de Daniel que tosse e se encolhe.

- Calados... O chefe vai adorar ter um lanche ao despertar... rs
Falou o grandão de terno que era vampiro.



~* Narrador Master *~
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Master
Administrador
Administrador
avatar

Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2336
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Sab 15 Abr 2017 - 23:41

Dentro da casa abandonada lado oposto a fazenda de Magnus…

Aidan e Lara sabiam que havia presenças naquele lugar, um ninho. Alguns vampiros estavam se escondendo e passavam pelos cantos subindo ao andar de cima, eram Level E, foi quando nesse momento um deles apareceu carregando uma menina que aparentava ter uns 5 anos nos braços, a criança chorava e ele levou-a para o andar superior seguindo outros totalizando uns 4 vampiros.

Aidan poderia pedir reforços e olhou Lara ao longe que aparentemente mantinha a guarda ativa para fazer algum ataque se fosse preciso.

A criança chorava muito e ouviu vozes uma bem suave, voz feminina, ela cantarolava.

~ Se essa rua... ~se essa rua … ~fosse minhaaa, eu mandava, eu mandavaa ladrilharrr, com pedrinhas, com pedrinhasss de brilhantes, para o meu, para o meu amor passar... ~

Uma vampira de longos cabelos loiros desceu as escadas com a criança nos braços e cantava para ela se acalmar, sentou por fim no banco junto ao piano e abriu a tampa.

~ Vamos tocar algo meu amor...? ~

A criança fungava e choramingando chamava pela mãe. Os outros vampiros desceram atrás e ficaram resmungando atrás da vampira.

- Vai ficar com a comida só pra você Nastasia? - o mais alto e magrelho rosnou.

Ela pouco ligou para ele e continuou a tocar o piano mostrando para a criança humana.

- Não vai dividir, tudo só dela... - a outra vampira com a expressão sedenta estava quase avançando nela para pegar a criança.

- Estou com sede, está doendo tanto – Um vampiro franzino estava encolhido no canto da sala e tinha os olhos vermelhos. - Eu quero comer... -rolou os olhos vermelhos e choramingou se arrastando até aos pés da vampira loira no piano.

A loira continuava a tocar o piano e quando notou aquele vampiro no chão ao seus pés, olhou-o com olhos vermelhos e feroz segurando firme a criança. Ele se encolheu e afastou.

- Vai dividir logo, estamos famintos, anda logo Nastasia... - o grandão avançou para tomar a criança que voltou a chorar.

Nesse momento o corpo do vampiro alto começou a queimar a partir das pernas.

- DESGRAÇADAAAA... - ele rosnou alto e furioso e se afastou largando a criança que estava muito assustada.

Nastasia levantou e afagou o rosto da criança.

~Minha filhote, mama não irá deixar que lhe toquem ~ afagou o rosto dela ~Xiii... Não chore, vou levá-la para o quarto. ~

Olhou a vampira e o que estava no chão e rosnou para ambos ferozmente. Olhou então para a janela e estremeceu.

~ Não... Sentem isso? ~ - ela caminhou com a criança humana nos braços e abriu a porta indo até a varanda.

Os demais vampiros se esgueiravam até a varanda e farejaram o alto e gemeram baixo se encolhendo atrás dela. O magrelo alto voltou bufando depois de apagar as chamas em suas pernas.
Olhou para a direção que a vampira olhava e estremeceu.

~Vamos mudar daqui... Aquela fazenda estará cheia do odor desse vampiro, ele vai nos matar … ~

Os três concordaram e voltaram para dentro rapidamente, Nastasia ainda estava com a menina nos braços e afagou os cabelos dela.

~Calma my Anny, vamos embora antes que o grande puro desperte e mate a todos...~

A vampira entrou depois e mandou que os demais fechasse toda a casa. Ela olha a outra fazenda ao lado oposto da que viviam, podia se notar uma forte iluminação vindo de lá e Aidan percebera que fora o caminho que Layla e Daniel tomaram para colocar o equipamento de monitoramento.



~* Narrador Master *~
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Makie
E
E
avatar

Char RPG : Personagens:

Freya Gatemberg - Night Class
Aidan Becker - Day Class
Lilac Löfgren - Universitária
Juliet Glotieb - Prof.ª Ed. Fisica
Posts: : 335
Inscrição : 26/08/2015

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Dom 16 Abr 2017 - 11:55

A mira estava focada para os vultos que logo tomavam forma, não havia tanta dificuldade pois muitos deles estavam próximos o suficiente para ouvir o que diziam. havia uma menina que chorava e aquilo tocou o coração do moreno de tal forma que sentiu ódio, mas aquele tipo de sentimento era seu pior inimigo numa arma que precisava de precisão e de uma situação bem delicada. 

haviam vampiros demais e pessoas de menos, Aidan sabia que apenas com a lara seria um suicídio, era necessário ao menos mais alguns para cobrir algumas das inúmeras entradas que haviam naquela casa.

ainda com a arma em punhos, o moreno foi recuando com a arma em punhos até o ponto onde estava Lara, e ao sussurro indicou que deviam voltar ao ponto de extração.  

***

a arma ja estava abaixada( poem ainda a segurava em suas mãos)  quando se aproximou do veículo, o moreno bateu no vidro do automóvel e esperou que Adrian o abrisse.

- tem muita gente lá e eles estão com uma criança, uma menina pequena. sei a, parece ser bem nova, estava chorando muito... e estavam falando algumas coisas bem estranhas, parece que estavam fugindo, alguma cosa de errado esta acontecendo. mas precisamos salvar a menina.


mushu:
 
coisas que apenas o chat explica!


Última edição por Makie em Dom 16 Abr 2017 - 12:42, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador
avatar

Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2336
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Dom 16 Abr 2017 - 11:55

O membro 'Makie' realizou a seguinte ação: Lançar Dados


'D10' : 7, 2, 2, 10, 1, 3, 8, 6



~* Narrador Master *~
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Fabi
SP
SP
avatar

Feminino
Char RPG : Nero Sorel (B)

Lillian (Lily) Sorel (B)

Órion Sorel (B)

Lewis S. Murdock (A)

Lucius Sallazar (A)

Leon Gianni (Hunter)



Humor : Sei lá
Localização : Rio de Janeiro - Brasil
Posts: : 1418
Inscrição : 06/09/2008

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Dom 16 Abr 2017 - 12:40

Teste para uso dos poderes


Tentativa de libertar os caçadores com seus poderes sem ser visto.


Destreza (5) + Ocultismo (3) = 8 dados


Dificuldade 8




Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador
avatar

Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2336
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Dom 16 Abr 2017 - 12:40

O membro 'Fabi' realizou a seguinte ação: Lançar Dados


'D10' : 10, 6, 7, 7, 3, 3, 10, 4



~* Narrador Master *~
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Fabi
SP
SP
avatar

Feminino
Char RPG : Nero Sorel (B)

Lillian (Lily) Sorel (B)

Órion Sorel (B)

Lewis S. Murdock (A)

Lucius Sallazar (A)

Leon Gianni (Hunter)



Humor : Sei lá
Localização : Rio de Janeiro - Brasil
Posts: : 1418
Inscrição : 06/09/2008

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Seg 17 Abr 2017 - 3:17

+ Nero + 


"Retomada ao poder..." Nero pensou "Então realmente será hoje que esse maldito tentará retornar à sua forma anterior..."

O vampiro ruivo pensava que era injusto que uma pessoa tão maldita como aquele homem ainda tivesse a oportunidade de retornar à sua glória. Se ao menos essas porcarias de rituais que transformavam vampiros em humanos fossem irreversíveis... 

O nobre acenou com a cabeça e então andou ao lado de Marlon seguindo o humano fajuto. Ao chegar na sala, olhou ao redor. Quanta parafernalha, seria mesmo necessário ter tanta coisa para um despertar? Para um ex-vampiro mais velho que todos ali juntos, Magnus era moderninho até demais. Cheio de frescura. Outro vampiro seria mais clássico e usaria uma banheira ou piscina com sangue e nada mais. Ao menos seria mais digno do que luzinhas piscantes em aparelhos que o monitorassem como se fosse um humano doente. 

E toda aquela platéia... Nero recuou o passo quando Marlon o puxou e teve que se controlar para manter a expressão neutra. Magnus era mesmo um megalomaníaco. Queria soberania, poder e mostrar a todos o quão grandioso ele era. Aquele showzinho era uma prova concreta de sua loucura e ambição. 


- Se isso acontecer mesmo... - Nero sussurrou - Apenas se certifique de fazer alguns desses puxa-sacos sangrar antes de nós. Ao menos nos dará tempo de fugir de um possível puro ensandecido de sede. 

Quando voltou a olhar para frente, a visão o fez fazer uma careta. Não que não fosse esperar por aquilo, mas ver aquele humano se despindo diante de todos e ficando com uma ridícula cueca samba canção seria a visão mais bizarra daquela noite, o nobre imaginava.

"Dio... Que eu morra antes do dia ficar murcho como esse maracujá de gaveta" pensou com os olhos semicerrados em nojo.

Depois ficou aguardando silencioso e tenso o início daquele ritual que, Nero tinha certeza, marcaria um novo patamar de inferno em sua vida...


~Bernard




Entre aqueles inúmeros aliados de Magnus, um jovem rapaz observava o início do ritual com atenção. Mesmo que estivesse no meio das pessoas, seus cabelos albinos acabavam por chamar a atenção. Representando sua senhora, o carniçal ali estava para ser os olhos e ouvidos de Isabella Bragatti, a senhora de Roma. Não seria de bom grado para que sua bela mestra pura estivesse presente para ousar ofuscar o retorno de seu aliado. Tampouco seguro tentar entrar no território dos Kuran escondida. Não... para aquilo, apenas um servo serviria. Seu servo mais leal e dedicado, Bernard pensava com orgulho.

O carniçal estava ali como representante do contato romano de Magnus, e também sua espiã. Era claro que o mafioso tinha olhos e ouvidos em todos os lugares do globo, e aqueles com boas informações eram sempre melhores recompensados. E a recompensa para entregar informações sobre dois queridos traidores fugitivos estava sendo bem gorda. O albino olhou na direção do vampiro ruivo do outro lado da sala e sorriu. Sorel. Um vampiro da mesma família daquele que ousava esconder os traidores. Um clã que achava ter poder, mas somente graças à benevolência de sua senhora. Por uma boa recompensa, ela poderia lidar com as consequências de se livrar daquele pequeno transtorno sem que o mafioso tivesse que sujar suas mãos. Seria mais um território para a extensão daquele império.

Ainda com o sorriso suave nos lábios e brincando com a cruz de prata em seu peito, Bernard voltou a atenção para o ritual, observando com um interesse quase voraz e orgulho de poder exercer seu dever como o servo predileto.


+ Nero + 


Mesmo que estivesse atento ao que Magnus fazia, Nero não deixara de observar tudo o que acontecia ao redor. Em dado momento, notou uma movimentação com a visão periférica e olhou discretamente na direção. O coração quase saiu pela boca com o que viu. Layla e Daniel sendo acorrentados na parede. O que aqueles caçadores estúpidos estavam fazendo por ali? Que puta azar resolverem rondar a propriedade justamente no dia que corriam maior risco de serem descobertos! Dito e feito! E agora? O que podia fazer?

Pensou em Louis e sentiu um frio no estômago. Ele não tivera a chance de contatar os caçadores depois que saíra da casa do moreno. Louis precisava de mais ampolas do antídoto para melhorar. Se aqueles humanos morressem, seu amado poderia...

Xingou mentalmente, tentando não transparecer a irritação em seu semblante. Agora tinha que se arriscar para salvar a vida daqueles filhos da puta. Que ótimo, pensou com amargura. 


"Pensa, Nero, pensa... Como você vai libertar dois prisioneiros de uma sala cheia de pessoas sem que ninguém note a fuga deles ou que você é um maldito cúmplice duas caras?" fechou os olhos, pensativo. Só conseguia pensar em um jeito e começou a rezar para dar certo.

Abriu os olhos e olhou para Layla e Daniel e baixou de leve a cabeça como sinalizasse algo a eles. Então voltou a olhar para frente fingindo prestar atenção e deu uma cotovelada discreta em Marlon.

- Me ajuda... - sussurrou quando o algoz o olhou e, sem desviar o olhar, apontou discretamente para os prisioneiros - Me cobre...


Ele esperou Marlon entender a dica. Se não entendesse, que ao menos o ajudasse e depois ele explicaria tudo. O importante agora era tirar a salvação de Louis da linha de fogo. Mas, agradecendo a todos os deuses que conhecia, Nero viu o assassino se encaminhar para onde os prisioneiros estavam. Quase sorriu quando o viu convencer aos guardas de que ele tomaria conta dos prisioneiros.


Agora era a hora. Cruzou os braços, escondendo uma das mãos. Esticou aquela mão na direção dos prisioneiros e semicerrou os olhos para que escondesse a coloração rubra ao usar seus poderes. Nada de fogo de cor brilhante e chamativa. Não, o nobre não era estúpido àquele ponto, e era muito mais habilidoso que aquilo. No poder de fogo, também se incluía calor.


Aqueceu com o máximo de cuidado e rapidez possível a junção das algemas que prendiam os caçadores para que o metal derretesse e os libertasse. Assim que o truque estava feito, os olhos de Nero voltaram ao normal e ele voltou a olhar sério para a frente, ainda com os braços cruzados, fingindo que nada havia acontecido. Já arriscara demais a sua pele, não havia mais nada que pudesse fazer. Agora a fuga do casal só dependeria deles e da ajuda de Marlon. 




Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador
avatar

Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2336
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Qui 20 Abr 2017 - 7:26

+ Adrian +

Adrian fazia o acompanhamento da equipe através da tela do monitor, conforme iam instalando as caixas de monitoramento recebia o sinal e configurava para sincronização inclusive das imagens, foi quando nesse momento ouviu batidas na janela porta da van e estranhou, olhou para o monitor que tinha uma câmera externa e viu que era Aidan e Lara, ambos haviam retornado. Rapidamente abriu a porta lateral da van e olhou ambos.

- Algum problema?

Conforme Aidan relatava, o outro hunter se alarmava. Estava certo que havia um ninho, porém o relatório informava que só havia um vampiro na residência. Passou esses detalhes a Aidan e Lara e decidiu armar um plano para retirar a criança humana daquele lugar antes que fosse devorada pelos vampiros.

- Faremos o seguinte, Aidan é bom atirador a longa distância, já eu posso ir de frente e atrair os vampiros para fora da residência. - Pegou as balas as quais tinha um líquido azulado no seu interior e entregou dois pentes a Adrian e depois a Lara. - Essas balas matam instantaneamente, esse grupo está perdido, vamos abate-los, assim que estiver livre eu e Lara entramos na residência e resgatamos a menina, vamos atrair todos para fora.

Assim que Adrian fechou a porta da van, já devidamente preparado com armas de matar vampiros, retornaram a fazenda pela mata.

~*~*~*~*~*~*~

+ Layla + Daniel + Marlon +

A dupla de hunters olhavam tudo atentos, a necessidade de descobrir uma rota de fuga era quase que de imediato. Daniel é ótimo fisionomista e decorou cada um que estava naquele lugar, inclusive os que acompanhavam do alto em camarotes de amplas janelas.

- Minha nossa, veja isso Layla, até políticos de vários lugares estão aqui. - ele estava surpreso com aquilo, havia realmente chefes de estado e muitos senhores de pequenos clãs territorialistas juntos, aguardando a finalização daquela volta de Magnus a PB.

- Eu acho que nem Kiryuu-san e muito menos o rei dos vampiros faz ideia do que está rolando aqui.
Layla olhou por baixo dos olhos para Nero, ele parecia querer dizer algo, porém para ela era vital que ele mante-se a farsa e não fizesse nada que denunciava está ajudando a associação.

- Eu vi uma forma de fugirmos, olha a lateral do galpão, tem uma passagem por ali.

Daniel sentiu algo nas correntes e fez um leve careta pelo ardor na pele, logo em seguida Layla também sentiu, foi quando ela olhou rapidamente para Nero e depois para Daniel, ambos sentiram que o metal das correntes amolecera e quase que derretesse em seus pulsos.
Ficaram apreensivos quando outro capanga de Magnus se aproximou e falou com os seguranças que de pronto foram fazer aquilo que ele havia pedido. O matador se aproximou de ambos e falou baixo quase em um sussurro.

- Estão livres das correntes?

Ambos olharam um instante confusos, porém entenderam de imediato que estavam sendo ajudados pelos dois, Nero e aquele homem forte e alto. Resmungaram um sim e aguardaram as instruções.

-A coisa aqui vai ficar séria, vamos criar uma rota de fuga, ao nosso sinal fujam o mais rápido daqui.

A dupla concordou e agora era questão de tempo e oportunidade de fuga daquele lugar.

~*~*~*~*~*~*~*~

Na fazenda oposta a de Magnus, a vampira loira chamada Nastasia ainda estava com a criança no colo quando atravessou a sala voltando para seu quarto na parte alta da residência. Os três vampiros ficaram resmungando e acabaram por caçar ratos para se alimentarem, porém o mais alto e forte deles queria a criança e rosnava feito cão faminto andando de um lado para o outro.

Adrian se aproximou da casa lentamente e parou perto da janela, usou um pequeno espelho para ver seu interior sem ter que abrir a janela, apenas encostando perto da parte onde a cortina estava entre aberta.

- Vejo somente dois dos vampiros, um macho alto e forte e uma fêmea, magrela e baixa, ambos estão muito agitados.

Lara se posicionou na outra lateral da casa que dava para os fundos da mesma e de lá pegou o ângulo de uma possível fuga dos vampiros, preparou a arma e se posicionou mirando para a porta dos fundos e ficou escondida na mata aguardando o sinal de Adrian.

Aidan tinha a opção de abater os vampiros a distancia e ficou com a parte da frente da residência.

Logo depois, Adrian usou uma granada de gás lacrimogênio com um pós de espantar vampiro através de magia hunter para tira-los de dentro da residência. Assim iniciou o ataque aquele lugar lançando a granada que explodiu dentro da sala.



~* Narrador Master *~
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Dark_Rose
B
B
avatar

Feminino
Char RPG : Rose Valentine (PB)
Lara Kapetine (Hunter)
Humor : Incompreesível
Localização : Inglaterra
Posts: : 673
Inscrição : 06/09/2008

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Sex 21 Abr 2017 - 22:16

Lara se mantinha atenta a tudo que acontecia dentro da casa, seja barulho, luzes ou vultos. Aquela criança tinha que sair ilesa daquele lugar.
Ela não tinha medo dos vampiros, mas ficou realmente assustada com aquele ser inocente prestes a virar comida.

A sua mira focava na porta, a arma estava engatilhada pronta para a ação, sabia que qualquer segundo era crucial para que algo pior acontecesse. E era isso que não queria de jeito nenhum acontecesse.  Ouviu o barulho da granada ficou à espera da reação deles.


Lara Kapetine
Voltar ao Topo Ir em baixo
Makie
E
E
avatar

Char RPG : Personagens:

Freya Gatemberg - Night Class
Aidan Becker - Day Class
Lilac Löfgren - Universitária
Juliet Glotieb - Prof.ª Ed. Fisica
Posts: : 335
Inscrição : 26/08/2015

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Dom 7 Maio 2017 - 10:51

O moreno caminhou cuidadosamente pelo lado de fora da casa, Adrian havia se posicionado em uma das entradas e já começava a ataca, Lara estava ali para dar a cobertura que ele precisava, e eu precisava fazer a limpa e garantir sua segurança. Apoiei o rifle e o encaixei contra meu ombro, pela mira eu conseguia ver o inicio da movimentação por conta da granada de gás, mas o que me preocupava era a menina que parecia ser ameaçada por mais três outros que pareciam mais agitados, a unica que parecia "garantir sua segurança" era uma loira que ninava a criança em seus braços ( e com que iria me preocupar mais? a Loira poderia ataca-la a qualquer momento, mas se acaso a matasse primeiro os outros três iriam rasgar o corpinho da menina, opções? na verdade nenhuma, mirei para o primeiro próximo a janela  enquanto a confusão na parte mais baixa e confirmei que não era a mulher com a criança nos braços antes de atirar.






Ataque de Aidan com -2 na dificuldade do teste


mushu:
 
coisas que apenas o chat explica!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador
avatar

Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2336
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Dom 7 Maio 2017 - 10:51

O membro 'Makie' realizou a seguinte ação: Lançar Dados


'D10' : 10, 2, 10, 5, 7, 10, 4, 7



~* Narrador Master *~
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Master
Administrador
Administrador
avatar

Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2336
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Seg 8 Maio 2017 - 19:08

 Adrian + 

Urros e gritos das bestas foram ouvidos, dois deles sairão pela varanda atordoados e gritando quando o primeiro tombou com o tiro certeiro de Aidan que o acertou e no mesmo momento fez virar cinzas, o segundo correu assustado e pulou da varanda, porém era tarde, outro tiro o acertou na cabeça, derrubando a fera começou a rolar e debater. Adrian manteve uma distância segura e apontou para a criatura, a mulher gemia baixo respirando com dificuldade, o tiro na cabeça tirara um pedaço expondo pedaço do cérebro e sangue jorrando. 

- Não costumo ter compaixão com pragas, mas hoje estou com pressa...- Adrian saca a arma e dá o tiro no peito que faz a criatura virar pó.

Afasta e levanta a mão para tanto Aidan e Lara veja que já foram duas das criaturas, restava somente mais duas e provavelmente a mais forte era que estaria com a criança. Voltou caminhar rasteiramento até a porta de entrada que agora estava aberta e apontando a arma pronto para atirar entrou na sala principal. Procurou na parte baixa da casa pelo restante, no entanto não encontrou-os, agora restava a parte superior e estariam com certeza as escondidas, já que o barulho e possivelmente viram os dois serem mortos.

- Eles estão na parte superior da casa, vou subir as escadas, me deem cobertura. - Adrian enviou pelo rádio pedido de apoio aos dois huntes no lado de fora.

No andar de cima, a casa estava muito suja e coisas espalhadas e amontoadas pelos cantos, andou ainda procurando os demais vampiros. Ouviu murmurinhos vindo de um cômodo com a porta entre aberta, se aproximou e apontando a arma entrou encontrando o terceiro macho daquele bando.


O rapaz estava na janela, ele tinha um ar catatônico olhava para fora e murmurava baixo algo como perdão a Deus enquanto parecia fazer uma oração, os olhos vermelhos arregalados fixos não se viraram para o hunter que acabara de entrar.

~ O santo Deus, perdoe-me seu servo que sucumbira ao mal, sedento e cruel agora peço que caia sobre mim toda a sua fúria e destrua o monstro que me tornei... ~ - Assim dizia as palavras daquela criatura repetidas vezes falava em múrmuros.


Adrian apontava a arma para a criatura.

- Rezar não vai lhe ajudar muito rapaz, está somente jogando palavras ao vento, Deus não ouve monstros...- engatilhou a arma e apontou para a cabeça do rapaz. - Hora de realizar seu pedido... - puxou o gatilho e o barulho do ser caindo no chão e virando cinzas durou pouco mais de meio minuto.

Faltava a criança e a vampira que ele podia deduzir ser a senhora do bando, saiu do comodo e voltou a procurar, foi quando ouviu som de melodia vinda de um piano. Caminhou parando diante de outra escadaria que levava para baixo e esperou.

- Aidan... Lara... Cerquei a última criatura, venham vou precisar de cobertura, estou no segundo andar da casa, corredor a esquerda depois que subirem a escada, aguardo.

Adrian ouvia a melodia, era triste e ao mesmo tempo tinha um ar mórbido de sofrimento, quando de repente a porta de um comodo se abriu e o som ficou mais forte, dali ele a viu tocando e a criança dormindo em um berço ao seu lado.



~* Narrador Master *~
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Master
Administrador
Administrador
avatar

Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2336
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   Sab 20 Maio 2017 - 21:25

No galpão da casa grande ...

O mafioso continuava entoando aquelas palavras em um idioma antigo, a sua volta podia se sentido a energia mudar, era como se algo estivesse chegando, a sensação de calafrio pode ser sentida em todos naquele recinto, algo muito além do que eles poderiam imaginar estava por voltar, uma força maior que há muito tempo não se sentia pela presença e poder.

- Expergiscimini ... De radices eius et ad omne necesse est esse quod sanguinem ejus ad harum balnea recuperandæ ventrem Expergiscimini essentia, Expergiscimini ( Acordai ... De toda existencia volta a sua raiz ... O sangue que banha a entranha voltar a sua essência... Despertai... Despertai...)


Um leve tremor de terra pode ser sentido por aqueles que estavam próximos assim que ele encerrou as últimas palavras, virou-se de costas a todos e caminhou até o enorme recipiente retangular transparente que a qual estava imerso um corpo no liquido rubro e subiu as escadas para por fim entrar no lugar. O liquido começou a movimentar-se envolvendo o corpo do mafioso e ele deitou-se mergulhando o corpo até desaparecer dentro do liquido.

O aroma inconfundível não negava que se tratava de sangue, banhando o corpo do mafioso que imerso ali ficou. Quatro outros vampiros se aproximaram e tomaram posição em cada ponta do caixão de acrílico e começaram a entoar novamente as palavras ditas anteriormente por Magnus.

O sangue dentro do lugar começou a movimentar-se como se entrasse em fermentação, o local foi impregnado desse aroma e todos os vampiros ali presentes foram tomados pelo desejo daquele liquido, diversos pares de olhos vermelhos brilharam em todo o local.

- Expergiscimini ... De radices eius et ad omne necesse est esse quod sanguinem ejus ad harum balnea recuperandæ ventrem Expergiscimini essentia, Expergiscimini – o quarteto falava sem parar repetidamente e aumentando o volume da voz. Conforme falavam o sangue fervilhava

- EXPERGISCIMINI … EXPERGISCIMINI ….EXPERGISCIMINI...

O som da terra provocando aquele leve tremor e as vozes do quarteto gritando aquelas palavras deixava o clima ainda mais tenso, a energia de um puro começou a ser sentida e quando finalmente tudo se acalmou e o sangue parou de fervilhar todos ficaram observando atentos ao caixão de sangue.

Começa a erguer do liquido rubro o corpo, que tomado pelo liquido mostrava uma figura vermelha e de cabelos curtos, esguio e forte. Um rugido começou a brotar do ser e todos sentiram a força daquele ser.

Valery se curvou e um tanto cautelosa pegou uma túnica, chegou perto e observou, ainda não tinha certeza de que estaria segura.

- Magnus... Está bem, meu senhor?

A figura coberta de sangue virou os olhos para ela e sorriu baixo.

- Perfeitamente bem minha cara Valery... - a voz suave e ao mesmo tempo firme de timbre forte ecoou até ela. - Venha até mim...- estendeu a mão a vampira.

Valery se aproximou e segurou a mão do puro, imediatamente ela curvou a sua presença e estendeu a túnica. Magnus saiu de dentro daquele lugar imundado de sangue e desceu a escada pegou a túnica e vestiu, após soltar a mão de sua leal serva.

- Eu posso sentir meu poder voltando, minha essência fortalecendo e … - Parou olhando em volta, seus olhos avermelharam e com uma velocidade fora do normal ele correu entre aqueles quatros seres que haviam entoado o ritual, atacou e devorou um a um sugando o sangue até que virassem cinzas.

Todos que estavam próximos se assustaram com aquele ataque e alguns correram para longe procurando saída.

Marlon olhou a dupla de hunter dando a entender que aquela era a hora da fuga, ou estariam mortos. Voltou o olhar a Nero e fez um sinal para a fuga, apontando uma porta lateral.

Daniel e Layla se assustaram com todo o desenrolar daquele ritual e o ataque do sangue puro devorando vampiros. Os próprios aliados do mafioso que estava em segurança no camarote superior apreciavam a matança da enorme janela de vidro, onde o recém desperto sangue puro praticava.

- Dany é agora, vamos sair daqui... - Layla olhou em volta e soltou as mãos das correntes já soltas com ajuda anterior de Nero, puxou o parceiro hunter para se esconder atrás dos enormes caixotes de equipamentos.

Daniel a seguiu e ambos se esconderam ali observando a saída que estava alguns metros deles a frente. 

Gritos e rosnados de alguns vampiros que eram atacados fora ouvidos por todos.

Valery foi amparada por Richard que a levou escadas a cima e assim protegendo-os entrando em um camarote, dali ambos assistiram todos os assistentes e seguranças serem mortos e virarem cinzas para alimentar o sangue puro sedento.

Marlon puxou Nero para subir escadas até outro camarote e ali das escadas perto da porta avistaram a dupla de hunter pronta para fugir.

Magnus atacava todos e se alimentava, sua rapidez sobrenatural lhe permitia atacar e devorar em fração de segundos suas vitimas e pouco a pouco os gritos foram diminuindo até o silêncio tomar o lugar.

O puro caminhou até o centro do lugar e olhou a volta sorriu e inspirou farejando o lugar, sentiu o cheiro de humanos.

- Sangue humano direto da fonte... Excelente... - estendeu a mão e o solo começou a trepidar, raxando o chão, a terra se moveu criando uma onda até os equipamentos amontoados lançando-os longe.

Daniel e Layla sentiram a terra se mexer e correram para a porta a qual ainda estava trancada, o moreno retirou do forro falso da calça uma massa que ao entrar em contato com a fechadura começou a corroer. Nesse momento os equipamentos são arremessados longe e Magnus aparece na frente da dupla que empurra a porta e cai no lado de fora.

Magnus segura Daniel que empurra Layla para longe e dependurado agarrado pelo pescoço o jovem hunter se debatia tentando escapar das garras do sangue puro.

- Minha primeira refeição humana, acalme-se rapaz tens a honra de servir a mim... - avançou contra a garganta do moreno, quando um estalar de algo sendo armado chamou atenção.

Daniel tinha na mão uma granada e havia retirado o pino, piscou para Magnus.

-Esperto...rs – O mafioso ex humano soltou o rapaz lançando longe com aquele artefato explosivo e vez erguer uma parede de terra para se proteger.

Layla gritou e correu em direção oposta a eles, desesperada, tentou se proteger da explosão.
-DANIELLLL... - Gritou se jogando no chão para não receber o impacto da granada que explode em seguida.

Magnus volta para dentro do galpão caminha até o centro sendo observado pelos seus aliados.

- Valery …

A vampira desse as escadas do camarote apreensiva e chega perto dele, curvando-se suspira baixo ainda assustada com toda aquele ataque.

- Minha doce Valery, não temas, não lhe farei mal algum … - Se aproximou mais dela e tocou seu rosto pálido manchando a pele com o sangue que ainda tinha em si. - Solte os level E para ir atrás da hunter, não posso ter a associação informada sobre minha volta. - caminhou e olhou os aliados que estavam no camarote oposto observando tudo. - Caros amigos logo me reunirei com vós, meus servos irão leva-los a segurança de minha residência, peço que sejam rápidos, creio que fomos delatados e esse lugar logo estará cercado de hunters. - Voltou-se a Valery dizendo enquanto andava a frente para o lado extremo do lugar. - Destrua tudo, sem rastros e provas.

A loira vampira seguia-o com leve sorriso de alivio e satisfação de ter sido útil ao seu senhor e ordenou assim que passaram pela outra porta de entrada levando-os a um carro e uma van.

Magnus entrou na van e ela seguiu-o depois de dá as ordens e fechou pedindo que partissem, diversos carros foram saindo do lugar e os servos que ficaram começaram a destruir tudo e colocar fogo no lugar. 

Marlon chamou Nero e apontou para seguirem o comboio de carros que saiam da fazenda e assim o matador entrou em seu carro e partiu observando de longe o galpão. 

Richard parou a moto em frente a uma enorme porta e se aproximou, retirou o cadeado e abriu-a rosnados foram ouvidos e diversos pares de olhos vermelhos começaram a brotar de lá de dentro e pouco a pouco foram saindo e correndo pela fazenda para vários rumos diversos, farejando tudo e sedentos.

Layla se arrastava entre o mato alto e choramingava, não acreditava que Daniel cometera aquela loucura, detonar uma granada, não podia ser real. Ainda se esgueirando levantou um pouco a cabeça e viu vários carros partindo e o galpão aonde estava emanar um brilho e depois labaredas de chamas se formaram.

- Botando fogo em tudo... Desgraçados, tenho que chegar na van o mais rápido possível … -Levantou e correu para adentrar ainda mais na mata tomando o rumo do local onde o irmão estava com a van.

Grupos de Level E avançavam pela mata e ferozmente caçavam os humanos que já havia pego o rastro do odor dele.



~* Narrador Master *~
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Galpão - Fazenda Casa Grande   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Galpão - Fazenda Casa Grande
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Fazenda Casa Grande
» Uma casa de doces?! (missão)
» Ateh quim fim coloquei Net Na minha casa!!!!
» Ora veja só! Essa crônica tem um nome tão grande que passa até a impressão de ser muito boa! - Parte 1 de 1 (Crônica Oficial)
» A Grande Profecia

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Academia Cross RPG  :: Província Ambarantis :: Ambarantis :: Zona Rural-
Ir para: