Academia Cross RPG
Bem Vindos!!

Aos visitantes e Novatos Na Academia Cross.

Leiam as Regras para participar do RPG.

Regras Gerais, orientações e Sistema do Jogo

Arigato pela Visita e volte Sempre!

Administração Equipe Cross



RPG Vampire Knight
 
Portal CrossInícioCalendárioFAQBuscarRegistrar-seLogin

Compartilhe | 
 

 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central    Ter 15 Mar 2016 - 16:58

14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central
 


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central    Ter 15 Mar 2016 - 18:36

+ Alanis + Noah + Pierre+

Na delegacia a vampira olhava tudo sem tocar em nada, afinal aquele lugar era o último que pensaria entrar, não que já tenha dado de cara com polícia na boate, eles sempre apareciam, mas Magnus tinha o que era preciso para não serem incomodados, mas daquela vez ir para a delegacia fora o fim do mundo. 

_Sinceramente tinha que ter algo de errado, agora estamos aqui e na certa os advogados vão demorar.

Pierre olhava para Noah que estava meio eufórico, alem de está fora da boate o garoto vampiro estava achando tudo muito legal como naqueles seriados americanos tipo CIS. 

_Muito maneiro ^^

_O chefinho não é maneiro não... podemos ser presos... "eu não tenho faculdade" vou ficar no meio dos malucos =.='

_Eu sou criança, não fico no meio dos malucos, mas deve ser maneiro também cheio de malucos para sugar o sangue ^^

_Shiiii quieto chefinho aqui não sabem de nós =.= '

_Agora esses policiais vão fazer milhares de perguntas. - Alanis senta ao lado deles dois esperando.

A delegacia tinha um entra e sai de meliantes com alguns policiais trazendo-os presos, havia algumas pessoas fazendo queixa de roubo e outros de ataques onde um ser mordia e fugia na escuridão. Aquela noite de neve estava bem agitada e o delegado resmungava entre alguns guardas que ainda ia só começar aquela confusão já que a narcóticos e FBI estavam vindo com alguns suspeitos de uma boate.

No lado de fora da delegacia um carro preto para e salta dele um homem de óculos bem vestido com outros dois homens de terno preto carregavam pastas e entraram na delegacia foram até o balcão de atendimento.

_Sou Franklin Miller advogado e procurador legal do pub's Amadeus, meus clientes já chegaram?

Alanis estava sentada falando com Noah e Pierre quando reparou no grupo de homens de terno e no meio deles o advogado de Magnus, levantou e foi até ele rapidamente.

_Francklin que bom que veio...- passou a mão na cabeça.

_Srta Alanis, vim o mais rápido que pude, sr Sorel me ligou trouxe a documentação, já entrei com algum pedidos junto ao juiz para que não passem mais que horas aqui.

Alanis colocou as mãos na cintura e jogou um pouco a cabeça para trás demonstrando alivio que logo sairiam dali.

Francklin chegou perto de Noah e Pierre.

_Melhor tirar isso... Não queremos que pensem que esse garoto está preso conosco, certo? 

_Essa coleira não sai assim Francklin. - Alanis falou baixo.

Ele suspirou e olhou os outros dois seguranças, como tirariam aquela coleira do garoto sem levantar suspeitas.

_Garoto é desses adolescentes rebeldes e gosta de usar essas coisas no pescoço para chamar atenção. - Olhou Alanis com essa desculpa.

_Ok

_Hei - Noah rosnou para o advogado, cruzando os braços fechando a cara. _Cara idiota. - No fundo sabia que falava a verdade era mesmo rebelde e se a coleira não tivesse magia hunter ele bem que usaria.

_Esperar o restante da Amadeus chegar, Magnus já foi informado e não ficou contente já adianto lhe dizer.

Alanis revirou os olhos e foi sentar ao lado de Noah, sabia que assim que Magnus voltasse iria ter o "sermão da montanha" depois daquilo.


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Master RPG
Recem Criado
Recem Criado


Feminino
Char RPG : NPCs
Posts: : 160
Inscrição : 30/08/2009

MensagemAssunto: Re: 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central    Qui 17 Mar 2016 - 0:33




o Pub estaria fechado, e ao menos por 24 horas não funcionaria até que todas as buscas fossem feitas. Walter permaneceu no lugar enquanto Natalia e Erick voltaram para o laboratório, se juntariam ao resto da equipe para processar aquele medicamento que fora encontrado. dentre outras coisa que acharam,  algumas cápsulas de armamento e algumas gotas de sangue, mas nada que denunciasse algum tipo de tortura ou execução, mas que seria facilmente explicado como acidente de trabalho. (visto que a quantidade era mínima, e a forma que havia manchado o chão, indicava que não era grave).

para Horation aquilo parecia ser um bom caso, mas se fosse depender da boa vontade do delegado, talvez a investigação não fosse a diante, o motivo era simples, alguém lá dentro era subornado, mas apenas uma investigação pela corregedoria diria isso, mas para iniciar, precisavam de provas.

o caminho até a delegacia foi lento devido a chuva e o risco de derrapagem na pista. mas assim que chegaram, la estava um engravatado junto com um casal e uma criança, pelo o que ouviu de seus agentes, o advogado era do pub, não precisava ser um gênio para saber que então aqueles que haviam sido apreendidos nos fundos querendo fugir. o ruivo se recostou contra a parede que levava as salas de interrogatório e as celas temporárias e observou a morena. ela era linda, mas era do tipo perigosa, a pessoa certa para convencer quem precisava. seu ar soberbo foi quebrado por um leve sorriso ladino quando uma das agentes fardadas passou por ele e ele a chamou.

- Christine, aqueles três lá já foram fichados?
a policial olhou para  onde o ruivo apontava e então balançou a cabeça em negativa. ela entendeu o que significava, e  logo que deixou a papelada sobre a mesa de outro colega, ela voltou para o trio.

- poderiam me acompanhar por favor? vamos coletar os seus dados, fazer algumas perguntas. seu advogado pode vir conosco enquanto faremos as fichas de vocês.


******
aquilo parecia um pouco longe de acabar. estava sentado na sala adjunta da sala de interrogatório, ali havia um dos empregados que prestava seu depoimento, formalmente, eram apenas cúmplices fo que estava acontecendo. na outra sala estava Nero, como responsável e como decidiu acompanhar sem a necessidade de força policial, não foi preciso algemas,  mas ser levado por uma viatura sim, isso foi necessário e dava ate um certo gostinho.

- pelo o que parece, não há documentação o suficiente para funcionar a boate subterrânea daquele lugar- disse o agente Marson que analisava os documentos.
- mas não adianta nada por enquanto, o advogado dele está com o trio, logo, ele não vai falar com ninguem.
- não vai aproveitar a chance horation?
- e ouvir piadinhas de como eu conduzo o meu trabalho? não, quero ter o prazer de destrui-o com todas a suas defesas.- o ruivo olhava pela janela camufada de forma centrada, era seu objetivo, e ele estava determinado a conseguir.



Voltar ao Topo Ir em baixo
Fabi
SP
SP


Feminino
Char RPG : Nero Sorel (B)

Lillian (Lily) Sorel (B)

Órion Sorel (B)

Lewis S. Murdock (A)

Lucius Sallazar (A)

Leon Gianni (Hunter)



Humor : Sei lá
Localização : Rio de Janeiro - Brasil
Posts: : 1389
Inscrição : 06/09/2008

MensagemAssunto: Re: 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central    Qui 17 Mar 2016 - 13:32

+ Nero +



"Olha no que fui me meter..." 



Nero havia aceitado ir de bom grado não somente para não levantar maiores suspeitas e fingir que estava colaborando, na verdade ele também não queria ser algemado, como não havia sido. Passara a viagem lenta de carro até o local em silêncio e não havia gostado nada de ter visto Alanis, Pierre e Noah ali. Xingou internamente, praguejando por não terem conseguido fugir quando tiveram a oportunidade. Bem... ainda teriam tempo, desde que não voltassem para a Amadeus quando fossem liberados dali.

"Pelo menos aquele advogado foi rápido" pensou enquanto permanecia naquela sala de interrogatório. Havia visto o homem junto com os outros vampiros e esperava que ele não demorasse muito para resolver o problema daqueles três.

Nero suspirou e se encostou na cadeira, tamborilando os dedos na mesa de forma impaciente. O bom de ter convivido a maior parte da vida se escondendo e convivendo com humanos era que se aprendia a ser como eles. Alguém inexperiente no assunto não saberia dizer que o ser ali sentado era um vampiro, o ruivo estava ali parecendo desconfortável e trocava de posição de tempos em tempos apesar de não precisar fazê-lo. Na verdade, estava tão acostumado a agir daquela forma que já nem se esforçava mais. 

Passou a mão pelo pescoço discretamente, a sede o incomodava e ele começava a se sentir cansado, logo amanheceria e ele não iria conseguir descansar ali. Seria um longo dia... Subiu a mão e massageou a nuca enquanto olhava na direção do vidro fosco. Não conseguia enxergar através do material, mas sabia, sentia que estava sendo observado por aqueles humanos. Que desconfortável... O que pretendiam? Cansá-lo enquanto o faziam esperar? Desestabiliza-lo? Ia ser inútil. O ruivo já era desestabilizado por natureza, iriam precisar mais do que aquilo para fazê-lo perder a postura. 

"Quem diria que as aulas de etiqueta daquele desgraçado serviriam para alguma coisa..." pensou com amargura e voltou a encarar a mesa. "Será que ainda vai demorar muito?" E voltou a tamborilar os dedos.




Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central    Sex 18 Mar 2016 - 1:09

+ Francklin +

O advogado observou toda movimentação e apontou para os dois outro que o acompanhava que ficassem com Alanis e os demais. Seguiu até a sala de interrogação e se apresentou ao detetivo como responsável e advogado do pub. Entrou na sala e estendeu a pasta sobre a mesa olho o vampiro e pegou alguns papéis.
_Vamos esclarecer a situação, não se preocupe resolvermos tudo, já dei entrada com juiz.
Sentou a mesa desabutuando o palito e esperando junto ao vampiro pelos agentes.
_Responda as perguntas conforme o inspector lhe fizer se achar que esta sendo arbitario estarei aqui para evitar que seus direitos sejam violados.
Olhou a frente para aquele vidro fumê a qual sabia que estavam sendo vistos.


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Master RPG
Recem Criado
Recem Criado


Feminino
Char RPG : NPCs
Posts: : 160
Inscrição : 30/08/2009

MensagemAssunto: Re: 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central    Sab 19 Mar 2016 - 1:17

Marson olhava para aquele vampiro ( sim ele sabia, não  era atoa que sua jurisdição o permitia saber muito mais do que os outros agentes normais do FBI) o motivo que ele estava ali, era para assistir, queria suas provas, aquele caso de narcotráfico nada significava para o seu real objetivo. mas foi o olhar de horation que fez uma pequena centelha despertar dentro do agente.

- olhe bem para ele Mason, a forma como ele se movimenta, seus olhos demonstram impaciência, enquanto seu corpo demonstra tensão, como se estar na posição que está não significasse nada.
- deve ser impressão sua, me parece que esta nervoso, isso sim, olha como ele tenta aliviar a tensão do corpo e tamborila os dedos.
- não este é diferente... ah, olhe só chegou o advogado.
- é a hora do show?
- primeiro quero ver outra pessoa....

o olhar perspicaz de Horation havia percebido a mudança de atmosfera local, havia alguma coisa que o agente do FBI não havia contado e a facilidade para o mandato foi grande, lógico os outros três ali na outra sala vieram de brinde, e no final o ruivo queria brincar era com a paciência do federal. ele se serviu de café e foi olhar para a outra sala. a Agente Christine estava dando uma espécie de bronca, ela estava de pé e esbravejando com os três.

*****
- que espécie de responsável legal é você? não importa se tem a tutela por ser a tia dele, esta criança deveria estar na escola, e não vagabundeando aquele horário em um local para maiores de idade. se este garoto se desvirtuar e ir para a vida de crimes, pessoas como eu:- colocou a mão sobe o próprio peito - terão que  procura-lo e prende-lo, isso se as consequências não forem piores. e você criança, acho bom que eu não te veja mais por aqui, ou da próxima vez, será preso e não pense que a vida é fácil num reformatório.

ela então pigarreou depois de apresentar o camnho, eles tirariam as fotos e as impressões digitais pra ficar arquivado, depois daquilo fpram liberados.


*****

horation havia se levantado antes do trio sair dasala ao lado e então pegou a pasta cpmos documentos do bar, num rompante ele se levantou e foi em direção a sala de interrogatório, Mason foi em seguida.

- senhores- começou ele enquanto se sentava de frente a dupla.-recebemos uma noticia anônima que drogas eram comercializadas dentro do pub.

o ruivo começou a tirar as fotos mostrando a movimentação de pessoas, so demonstrava que estavam fazia algum tempo os observando, ele então pegou o alvará e a documentação entregue e o relatório sobre a funcionalidade do lugar.
- me parece senhores, que a parte subterrânea não consta nem mesmo na prefeitura... temos o problema de obras ilegais, temos um possivel caso de homicidio, já que o local tambem não consta nem mesmo com uma licença do corpo de bombeiros, e qualquer acidente ali seria o mesmo que vocês cometessem assassinatos. trafico de drogas, e nem vamos entrar no mérito de haver um menor de idade dentro do lugar...

o ruivo se recostou na cadeira e então abriu o paletó e olhava para o suspeito e o seu advogado.
- sem a parte das pirulas achadas, tenho o suficiente para arrancar a licença de funcionamento local,  o que eu acho aqui, que seu dono, não ficaria feliz com o prejuízo recbbido


Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central    Sab 19 Mar 2016 - 2:34

+ Francklin + Alanis + Noah + Marlon +

O advogado observava as informações que o agente passava não mudou a sua expressão. Calmo e centrado somente observava os documentos expostos a mesa com as informações que faltava alvarás e licenças.
Assim que o agente finalizou ele abriu a pasta e começou a retirar documentos e colocar sobre a mesa.
_Sr peço desculpas pela displicência de nosso assistente, esses documentos são antigos, pelas datas já foram revogados e já temos umas licenças provisórias com datas mais a longo prazo. - entregou a ele. _Se preferir pode confirmar a veracidade dos documentos. 
Ele olhou Nero e sentou voltando a falar.
_Agora quanto a denúncia de venda de drogas no local, foram encontrados algum tipo de drogas ilícitas? - Retirou da pasta uma licença onde havia uma autorização provisória para a venda de pastilhas que seriam alguns clientes Vips. _Nós temos autorização pra vender esse novo composto que seria uma espécie de vitamina energética autorizada pela Associação Central (Nome da instituição oficial perante aos humanos que era a Associação de Caçadores), isso não é considerado droga senhor agente.
Aqueles argumentos derrubavam as questões, mas provavelmente iria dar dor de cabeça futura ou pelo menos os olhos daqueles agentes em cima para qualquer passo em falso cairem em cima como urubus na carniça.
_Sr Sorel esta totalmente disposto a responder quaisquer dúvidas ou indagações.
Ao lado de fora a agente falava com Alanis que olhava-a com certa chateação. Mas aquela situação iria ser útil ela viu a mensagem de Marlon antes daquela a gente chegar lhe dando bronca onde o matador dissera que iriam agir aquela noite pois Magnus chegaria na noite seguite. Teria agora que tirar o garoto dali e pensou numa justificativa. 
_Eu entendo, mas eu trabalho no local como garçonete e levei ele porque não tinha quem ficasse com ele no apartamento. -olhou para Noah continuou falando._ Ele é um tanto rebelde, sabe como é, esta entrando na adolescência e não posso deixar ele sozinho. _Ele não ficou la na boate foi a primeira vez lá... Não vai acontecer novamente.
Assim que resolveu as pendências burocráticas voltou junto com Pierre e O garoto.
_MEU DEUS NOAH... Essa coisa esta te sufocando...- piscou para Noah e Pierre e o garoto entendeu colocando as mãos na garganta fingindo sufocamento, sentando no chão da delegacia._ Alguém ajuda por favor... tem que tirar isso dele.
A encenação convencera e alguns guardas chegaram e agentes para ver, mandaram chamar a ambulância.
Do lado de fora da delegacia em uma esquina perto Marlon estaciona o carro e de lá fora da visão deles, desligou o motor e ficou dali enviando mensagens a Alanis.
"Estou esperando para levar o garoto"
~Estou agindo~
~*~*~*~*~*~*~
Spoiler:
 


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Fabi
SP
SP


Feminino
Char RPG : Nero Sorel (B)

Lillian (Lily) Sorel (B)

Órion Sorel (B)

Lewis S. Murdock (A)

Lucius Sallazar (A)

Leon Gianni (Hunter)



Humor : Sei lá
Localização : Rio de Janeiro - Brasil
Posts: : 1389
Inscrição : 06/09/2008

MensagemAssunto: Re: 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central    Sab 19 Mar 2016 - 4:28

Rolagem de dados

Labia (3) + Manipulação (5) + Inteligência (3) = 11 dados




Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central    Sab 19 Mar 2016 - 4:28

O membro 'Fabi' realizou a seguinte ação: Lançar Dados


'D10' : 1, 6, 8, 7, 10, 1, 8, 10, 8, 8, 8


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Fabi
SP
SP


Feminino
Char RPG : Nero Sorel (B)

Lillian (Lily) Sorel (B)

Órion Sorel (B)

Lewis S. Murdock (A)

Lucius Sallazar (A)

Leon Gianni (Hunter)



Humor : Sei lá
Localização : Rio de Janeiro - Brasil
Posts: : 1389
Inscrição : 06/09/2008

MensagemAssunto: Re: 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central    Sab 19 Mar 2016 - 9:40

+ Nero+

Quando o advogado chegou, o vampiro se ajeitou na cadeira quase com alívio e um tanto de irritação. Ouviu as instruções dele e concordou com a cabeça. Nunca havia sido preso daquela forma mas já havia assistido alguns seriados com a filha para presumir o tratamento que os policiais dariam a ele.


- Certo - murmurou sobre falar apenas se achasse que os direitos dele não estivessem sendo violados. Estava entediado, na verdade. Era um saco manter aquele teatrinho quando se queria ir para casa dormir. Uma pena que não pudesse fazer aqueles policiais de lanchinho.


Ouviu as acusações do outro ruivo e quase sorriu quando o advogado do Pub entregou os documentos ao policial. Aquele humano parecia louco para prendê-lo... Adoraria ver o rosto dele quando saísse daquela sala para a liberdade. Podia até mesmo esquecer o quão irritado estava de aquelas merdas de documentos não estarem a mais tempo nos arquivos da boate.


- Claro - concordou com um leve sorriso calmo no rosto - Responderei as suas perguntas, senhor policial - disse para Horatio r aguardou o interrogatório.




Voltar ao Topo Ir em baixo
Master RPG
Recem Criado
Recem Criado


Feminino
Char RPG : NPCs
Posts: : 160
Inscrição : 30/08/2009

MensagemAssunto: Re: 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central    Dom 20 Mar 2016 - 12:23

- até o momento eu não fiz nenhum questionamento senhor Sorel, apenas afirmativas  baseadas nas evidências, então acalme-se. inicialmente quero  apresentar formalmente as acusações que recaem sobre os responsáveis do pub para o se advogado tome ciência.

seu olhar demonstrava um tanto de  tédio enquanto olhava despreocupadamente para os papeis a sua mesa em conjunto as fotos, ele sabia, não eram provas o suficiente e qualquer deslize poderia ser sua ruína, Horation sentado frente ao investigado e o advogado, leu os papéis ali presentados,  queria que eles tomassem ciência que ele estava sendo bem cauteloso.


*****
- faça-me o favor senhora montgomery, garotas de programa entram aqui todos os dias e deixam seus filhos até com vizinhos, a sua desculpa comigo não cola, eu vejo a escoria da sociedade todos os dias, e sua irresponsabilidade não será justificada com uma desculpa barata dessas.- disse Christine com uma expressão de desgosto.

- e você garoto, é melhor tratar de estudar e ter uma vida digna, sua ta pode ser uma irresponsável, mas ela é sua família, é melhor tratar de protege-la e parar com esta rebeldia barata, se rebele pelas coisas certas e não por conta de  um modismo, agora vão estão liberados. mas avisem caso façam uma viajem...

eles eram suspeitos mas não formalmente declarados, talvez o mais inteligente entre eles compreenderia, mas isso não tinha importância.

a encenação de noah não era digna de uma estrela do cinema, mas seria o suficiente para causar algum reboliço, principalmente se tratando de um menor de idade. as pessoas que estavam ali esperando para serem atendidas, como testemunhas, reclamantes, familiares e outros civis, se assustaram e  com curiosidade começaram a se aproximar, juntamente com os policiais quando um ligava para a ambulância e outro chamava  algum dos legistas para tentar ao menos aplicar os primeiros socorros.

****

- mas as coisas me parecem um tanto esquisitas neste instante, afinal dentro da documentação que o próprio senhor Sorel me entregou, não é registro da parte inferior do pub, o funcionamento de uma casa noturna ou até mesmo a planta com aquele complexo, e depois da batida policial o senhor advogado chega até aqui com o restante da documentação que me resta.. e este aqui *aponta para o documento* bem, como um órgão publico, eu nunca ouvi se quer falar dele, e este dá  uma permissão para venda e distribuição de  um comprimido do tipo energético para pessoas com deficiências especiais... como não suspeitar de algo estranho?

a pausa era propositalmente dramática enquanto o ruivo olhava para ambos de uma maneira indecifrável, ao que parecia ele não precisava sequer acusar ninguém, afinal parecia que o advogado estava um tanto atrapalhado e colocando provas contra ele mesmo. ele então ergueu uma das sobrancelhas enquanto puxou do fundo da pasta alguns documentos de alvará que marcava a data de poucos dias antes da batida, em conjunto com o horário.

- isso torna as coisas interessantes, já que nos arquivos da prefeitura, não havia nada dizendo sobre isso ou sobre estes documentos legais apresentados, não se sintam invadidos, foi feita uma busca sobre as propriedades de todos os sócios do pub, afinal é sempre bom saber com quantos envolvidos estamos lidando.

foi então que as fotos com as outras propriedades e os documentos foram apresentados, quando estes estavam dentro de um envelope pardo dentro da pasta.
- mas a denuncia ocorreu dentro do Pub, então não saberíamos se a culpa é do dono ou de algum funcionário da segurança, afinal quantas pessoas trabalham lá ao todo?  mas o que se tornou interessante é que seu advogado me apresenta documentos que não aviam registros até então, então agora senhor Sorel, eu te faço uma pergunta. devo ignorar o fato e considera-los verdadeiros e uma incapacidade do governo em passar os dados atualizados para a delegacia? que seu advogado falsificou documentos públicos? ou quiçá, subornou agentes públicos para um alvará de ultima hora para livrar o Pub de uma acusação formal? o que me diz?

as coisas pareciam favoráveis ao Ruivo, que tinha lá suas suspeitas sobre a integridade dos agentes, e imaginou que alguém de dentro da corporação havia avisado sobre a batida policial. mas uma confusão havia começado do lado de fora quando  era possível ver pela porta de vidro que as pessoas andavam apressadas de um lado para o outro, mas o barulho não conseguia chegar até eles.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Fabi
SP
SP


Feminino
Char RPG : Nero Sorel (B)

Lillian (Lily) Sorel (B)

Órion Sorel (B)

Lewis S. Murdock (A)

Lucius Sallazar (A)

Leon Gianni (Hunter)



Humor : Sei lá
Localização : Rio de Janeiro - Brasil
Posts: : 1389
Inscrição : 06/09/2008

MensagemAssunto: Re: 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central    Dom 20 Mar 2016 - 13:54

+ Nero +

O vampiro aguardou outro ruivo analisar os papéis que seu advogado entregara mantendo a expressão calma quando por dentro sua vontade era esganar aquele humano ou dar uma bela mordida. Que policial insuportável. Nero estava com sede, cansado e com sono e aquele desgraçado estava o mantendo ali, o enrolando para conseguir algo. Se a Associação não estivesse tão perto ele cogitaria uma bela mordida, mas não deveria arriscar. Já estava sendo caçado por outros motivos.

- Ora, senhor policial, vejo que o senhor não é daqui, não é? - o ruivo ronronou e deu um sorriso de falsa doçura - A Associação Central é um local bem conhecido e antigo em Ambarantis, o senhor poderá verificar por si só ou até mesmo com seus caros colegas nativos daqui. Não há com o que se preocupar.

Nero bem que gostaria de passar aquele cara chato para ir perturbar os caçadores, se ele corria o risco de ser encontrado por eles então que fizesse a merda feder para eles também.

- O que eu lhe digo? - o vampiro deu de ombros - Digo-lhe que não estou há muito tempo no meu cargo para poder opinar sobre documentos antigos do estabelecimento, além disso todo documento deve ser renovado de tempos em tempos. Arquivar e legalizar documentos do meu serviço ou de órgãos como a prefeitura não é o meu trabalho. Sou apenas o gerente. Devo me preocupar com estoque, vendas, satisfação dos clientes e essas coisas - ele passou a mão pelos cabelos e jogou a longa trança sobre o peito - Mas se o senhor pode ver que todos os documentos estão devidamente legalizados independente da displicência de terceiros ou não. E os senhores não podem prender algo que está dentro da lei.

Ele olhou o advogado com calma e deu um suspiro cansado. A maldita sede arranhava sua garganta. Que inferno.

- Os senhores estão se preocupando demais com um caso tão simples. Investigar todas as propriedades? Isto é mesmo permitido? Um bom negociante sempre tem muitos investimentos e propriedades são algo comum, que eu saiba... São apenas lugares comuns como o senhor mesmo pode ver, senhor policial - ele apontou as fotos com a mão - Posso ir agora? Trabalhei a noite toda, estou cansado - reclamou esfregando os olhos.

Nero ouviu a movimentação e não se importou nem um pouco com aquilo. Era a droga de uma delegacia, que eles resolvessem seus problemas. E se fosse os outros vampiros..  Bem, Alanis e Pierre podiam cuidar de Noah. Então não importava. Só queria sair daquela merda de cubículo e da cadeira desconfortável.




Voltar ao Topo Ir em baixo
Master RPG
Recem Criado
Recem Criado


Feminino
Char RPG : NPCs
Posts: : 160
Inscrição : 30/08/2009

MensagemAssunto: Re: 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central    Seg 21 Mar 2016 - 0:28

- para falar a verdade senhor Sorel, eu estou no meu cargo a mais de 2 anos, e se não ouvi falar deles, é por que eles não devem ser exatamente uma repartição publica, caso o contrario seria de ciência de todos estudar suas jurisdições.

O ruivo se levantou da cadeira achando aquela confusão toda um pouco demais, pela movimentação alguém devia ter brigado ou passado mal

 - de qualquer forma não adianta tentar se esquivar. Seu advogado me mostrou documentações que não batem com o sistema, seria algo que no mínimo deveria estar em dia, e o documentação do estabelecimento, sinto lhe informar mas a incompetência vem do seu próprio pessoal que poderia ter evitado todo este desconforto de investigações se mantivesse tudo em seu devido lugar e documentado.

Ele então caminhou para a janela da sala e fitou de maneira vazia e melancólica.

- se acha que o problema com o trafico de entorpecente é algo simples, talvez seja porque nunca presenciou o drama de preso neste mundo, desejando se libertar, mas tendo que agir como um escravo para sobreviver e manter a família viva...

Ele se lembrava de Marisol, assassinada... Ela que vivia neste mundo junto com seus pais, com muito custo seguiu os concelhos do irmão que havia virado policial, mas depois da noticia de sua doença terminal e casada com Horation, foi vitima de um atentado por ter saído do mundo do crime, sua mãe havia falecido e por isso seu pai e ela haviam se prendido ao meio podre da sociedade. o pai de Erick com muito custo conseguiu comprar sua liberdade. este estigma havia ficado gravado no peito de Horation que sofreu um processo após se vingar e matar friamente o algoz de sua falecida esposa.

— de qualquer forma senhor Sorel, foi um crime com denuncia, então sim temos que investigar todos os lugares suspeitos, afinal “servir e proteger” é o meu juramento, mas não fique triste, você é apenas um suspeito até que as investigações acabem, caso o contrário, você já estaria preso.
Com um sorriso sínico de alguém que havia acabado de explicar o óbvio a uma criança se formou enquanto se virava aos dois sentados naquelas cadeiras.

- por hora estão dispensados, mas não se esqueça de avisar se for sair da cidade, se não quiser ter alguma dor de cabeça no futuro...
Horation se apoiou contra a parede a espera da saída daqueles dois, seu objetivo havia sido alcançado.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central    Seg 21 Mar 2016 - 3:01

+ Francklin + Alanis + Noah + 

Francklin ouviu o agente tinha um ar calmo sem se abalar, já conhecia a estratégia da Polícia intimidar para consegui o que deseja, uma confissão. Ele manteve se tranquilo o trabalho já havia sido feito e estava ali somente para liberar os funcionários da Amadeus.
Logo que o agente acabou seu discurso relatando suas referências profissionais o advogado falou -lhe ainda calmo com a certeza que tudo que fora jogado e afirmado não ser verídico seria apurado.
_Sr acredito que a forma que veio colocar a situação dos documentos e algo assim, talvez as fontes que recebeu não lhe informaram corretamente desses documentos, mas são legais e liberados com as assinaturas necessárias.
Ele olhou Nero e manteve a expressão a mesma calma e certa de que não havia provas para manter aqueles funcionários na delegacia.
Quando o agente levantou informando que o vampiro para não sair da cidade.
_Estamos abertos a esclarecimentos assim que desejar, podemos ir agora.
Enquanto isso a movimentação na recepção causada pelo garoto chamara atenção de todos, quando a ambulância chegou levaram o garoto e Alanis o seguiu. Ela resmungava da agente que descaradamente acusara de prostituta.
_Cuidado Agente com as  acusações sou garçonete e em nenhum momento você viu eu comentendo tal ato, sei dos meus direitos e está começando abuso de poder com tudo isso. 
Ela saiu dando as costas aquela humana, seria perfeito se a desgraçada tivesse um fim ao tomar um cafezinho e engasgar ? Pensou a vampira ajudando Noah.
Eles entraram na ambulância e um enfermeiro veio examinar e pegou um bisturi e começou a cortar aquela coleira. Demorou um certo tempo ao que parecia o material era bastante resistente, finalmente aquela coleira fora tirada, ainda tinham marcas e ferida do material.
_Garoto não usa mais essa coleira ou algo assim pelo que parece tem alergia a esse material.
O garoto concordou com a cabeça e olhou para Alanis estava finalmente livre e a fuga seria certa. Havia uns policiais junto a eles e após ser tratado e enfaixado o pescoço liberaram para eles voltarem a delegacia.
_Pronto agora sim esta LIVRE dessa coisa agora ver se para de usar essas coisas de modismo.
_Sim tia ^^. - a mente do garoto olhava o local e um rastro de sangue percorreu o lugar ele estava usando os poderes para deixar aquele lugar e se encontrar com a irmã e soltarem o pai.
Nesse momento veem Nero com o Advogado e se aproxima dele Pierre.
_Hei chefe... tudo certo? -olhou para Noah e Alanis. _Aqui esta tudo certo. -Ele mantinha a expressão tranquila sem deixar que notem que estão apreensivos com aquela situação.


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Fabi
SP
SP


Feminino
Char RPG : Nero Sorel (B)

Lillian (Lily) Sorel (B)

Órion Sorel (B)

Lewis S. Murdock (A)

Lucius Sallazar (A)

Leon Gianni (Hunter)



Humor : Sei lá
Localização : Rio de Janeiro - Brasil
Posts: : 1389
Inscrição : 06/09/2008

MensagemAssunto: Re: 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central    Seg 21 Mar 2016 - 13:46

+ Nero +


O olhar do vampiro ficou momentaneamente sombrio quando ouviu as palavras do policial. Não entender como era a vida de alguém preso ao narcotráfico? Sim, ele já havia presenciado. E era pior do que a porcaria das drogas comuns que aqueles humanos se viciavam tão fácil.

"Você não tem ideia de como é ver um vampiro preso pelo vício, humano. Não me venha com lições de moral" pensou com desgosto. 

No entanto, sabia que de jeito algum poderia proferir aquelas palavras, então as engoliu como se ingerisse uma pedra que pesou em seu estômago. Ele viu o que Louis havia feito. Ouviu as palavras dele sobre o que ele havia feito. E então ouvira as palavras daquele saco de batatas nojento que fora Pablo sobre o que seu moreno estava sofrendo naquele exato momento.

"Aguente só mais um pouco... Só mais um pouco e vai estar livre" pensou angustiado, desejando que o outro pudesse ouvir seus pensamentos onde quer que estivesse.


- Não preciso me esquivar de algo que não tenho culpa - mentiu com toda a calma do mundo - E pode ter certeza de que não estou nem um pouco triste.

A vontade dele era de esmurrar aquele policial pelas provocações. Se aquele filho da puta soubesse o que ele era e que era muito mais velho do que ele não agiria como se Nero fosse uma criança. Teatrinho idiota. Esse era o mal de parecer ser apenas um jovem adulto humano (não que ele não fosse como um vampiro, mas isso não vinha ao caso).

Será que valia a pena pegar alguns dias de prisão por agredir um "agente da lei"? Talvez em algum outro momento, em um beco escuro... Mas não naquele momento. Deu um falso sorriso ao outro ruivo enquanto saía da sala pensando em uma resposta cabeluda sobre ter que avisar se saísse da cidade.

O sorriso permaneceu mesmo após sair da sala, mas pelo olhar assassino que o vampiro estava era possível ver que estava sendo muito difícil para ele manter aquele mínimo de paciência. Só se comportara porque não estava nem um pouco afim de ficar preso ali e depois Magnus comer seu fígado - o que provavelmente já iria acontecer por causa de toda a confusão que estava acontecendo.

- Tirando a minha vontade de esganar um e do esporro que levaremos do Big Boss, sim, tudo certo - falou sorrindo calmo mas com a voz carregada de mau humor - Vamos dar o fora daqui.

Olhou o advogado e acenou em despedida, verificava o celular e via a mensagem de Marlon. Respirou fundo, ansioso. Estava na hora de agir. Então saiu da delegacia com os outros.




Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central    Seg 21 Mar 2016 - 17:57


Os três olharam Nero e o advogado Franklin chegarem, como Pierre fora o primeiro a se aproximar, a vampira esperou por eles junto ao garoto. 

Ele sorriu vendo que agora nada mais o seguraria ali, só era sair da delegacia e iria desaparecer já havia chegado ao seu limite em ficar preso, agora iria soltar seu pai de qualquer maneira.

Alanis respirou fundo e ainda nãos e sentia bem em esta ainda ali, assim que saíssem de lá iria até Órion no hotel.

O advogado fora resolver as papeladas finais enquanto o grupo se reunia, assim que foram liberados eles seguiram o grupo de Franklin.

_Sr Sorel fomos muito bem hoje, mostrou total maturidade ao lidar com essa situação, Magnus ficara satisfeito em partes com o desfecho parcial dessa situação, o importante agora é agilizar o mais rápido a retomada dos negócios, já que amanhã a noite iremos nos reunir com ele. - Na porta da delegacia eles se despediram e o mesmo entrou no carro junto com seus dois acompanhantes que eram na verdade seguranças dele. 

_Agora vamos ao que interessa.- Alanis olha para Noah e vira de costa para falar com Nero e Pierre. _Eu vou levar ele, posso dizer que ele fugiu de mim no caminho.- ela se virou e segurou o garoto pelo braço tomando o rumo da calçada iria se encontrar com Marlon.

Pierre ficou tenso, tudo agora dependia de Marlon e soltariam Louis daquele lugar, mas a preocupação seria o depois, ele sabia que não poderia mais voltar a Amadeus.

_hei chefe, vou sumir, ver o que acontece, estarei por perto até soltarem Arthur. - ele colocou o gorro na cabeça, ajeitando o casaco a neve começou a cair. _Vou agir na hora que precisar, mas agora não poderei mais voltar a Amadeus, já que era eu que cuidava do garoto. -Deu um tapinha no ombro do vampiro e saiu caminhando sumindo na esquina.

Nero agora estava ali aguardando instruções de Marlon, que não demorou muito e recebeu uma mensagem.

" Vamos soltar a notícia se prepara que o rato irá sair da toca e será todo seu."

Agora era questão de tempo, até o final daquela noite soltariam Louis.

22:45 h...

Aquela situação da Amadeus repercutiu de forma alarmante já que associação havia liberado o comércio das pastilhas naquele local. O importante era evitar que as informações sobre os vampiros fossem expostas para os humanos que desconheciam a existência dos mesmos. Com isso Kaito juntamente com outros Hunter foram ate a delegacia prestar esclarecimentos sobre a liberação do documento que era uma licença provisória. 
Kaito havia estranhado aquela liberação dada por Zero, mas como ele havia pedido e informado que na hora certa saberia o motivo resolveu acatar e ir ate a delegacia.
Conversou rapidamente com os agentes e precisou ser mais enérgico quando se tratava de resolver os assuntos da associação.
Os agentes da narcotráfico foram informados por uma ligação do comando do FBI onde foram informados que assumiram o caso e que deveriam sair do caso.
Feito o blá blá blá de sempre, gerando então uma situação que atrito entre os dois órgãos.  O agente Marson e agente Agnes estavam no lado de fora da delegacia esperando pelo grupo que saiu da delegacia.
Assim que avistaram o ruivo (Nero) sozinho esperaram ele sair do local e o seguiram, quando o vampiro ia pegar o táxi, eles o abordaram.
_Sr Sorel? Agente Marson e essa é a agente Agnes. -mostrou o distintivo e olhou envolta. _Não vamos incomoda-lo muito somente queremos te perguntar, Arthur Linvisck ainda trabalha para Magnus? - ele parecia um tanto preocupado.


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Fabi
SP
SP


Feminino
Char RPG : Nero Sorel (B)

Lillian (Lily) Sorel (B)

Órion Sorel (B)

Lewis S. Murdock (A)

Lucius Sallazar (A)

Leon Gianni (Hunter)



Humor : Sei lá
Localização : Rio de Janeiro - Brasil
Posts: : 1389
Inscrição : 06/09/2008

MensagemAssunto: Re: 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central    Ter 22 Mar 2016 - 17:42

+ Nero +


Ele praticamente ignorou o elogio do advogado por ele ter sido maduro. Ele não se sentia maduro e tampouco bem em ter se comportado daquela forma. Ainda tinha vontade de botar aquele lugar abaixo com todos os humanos dentro, mas tinha que se controlar. E não havia como ficar feliz sabendo que na noite seguinte Magnus estaria ali arrancando o couro de todo mundo. 

Mas tudo bem, Louis estaria a salvo, era aquilo que importava.

Olhou Alanis saindo com Noah e acenou uma despedida com a cabeça para o garoto. Metade do plano já havia sido concluído com sucesso. 

- Tudo bem - falou a Pierre - Vê se toma cuidado, peste - desejou a ele com sua forma "gentil" de tratar os outros.

Sentiu o celular vibrar e sorriu ao ver a mensagem de Marlon. Estava na hora de iniciar sua vingança. Voltaria para a Amadeus para buscar seu carro e então se prepararia para emboscar Victor. Daquela noite aquele humano desgraçado não passaria. 

Mas assim que iria entrar no taxi ele fora abordado outra vez. Mais agentes? Inferno... Que cú era aquela porcaria de abordagem uma atrás da outra. Os encarou de visível mau humor e semicerrou os olhos ao ouvir a pergunta.

- Aquele magrelo com cara de mulher? - perguntou fingindo desdém ao falar de Louis - Não, ele se escafedeu e eu fui promovido pro cargo dele. Magnus o despediu faz alguns meses. Sabe-se lá onde aquele estranho foi parar - estalou a língua com impaciência - Por que a pergunta?


"Anda logo, humano, tenho outro pra matar e é pra hoje" pensou, mesmo que estivesse curioso para saber porque o outro perguntara sobre o moreno.




Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central    Qua 23 Mar 2016 - 21:05

+ Marson + Agnes +



Ambos os agentes se olharam quando o vampiro respondeu, o humano aparentemente não gostara da resposta e a mulher sacudiu a cabeça negativamente, havia algo entre aqueles agentes e Arthur/Louis, algo que o ruivo ali desconhecia, mas deixara a impressão de tal situação.

_Seria importante sr Sorel, já que ele era um dos funcionários da boate nos das algumas esclarecimentos.- estendeu ao vampiro seu cartão de visitas._Fique com isso caso encontre peça que me ligue, vai que ele resolve aparecer. -O agente se afastou com a outra ao seu lado somente acenando com a cabeça e seguindo para dentro da delegacia. 

+ Kaito + Daniel + Aidan +


Nesse momento o vampiro iria tomar o táxi, mas parecia que as abordagens daqueles policiais não pararia, ouviu novamente seu nome se pronunciado, mas ao se virar para responder acreditando ser os agentes novamente deparou com 3 humanos a paisana e um deles se aproximou.

_Sr Sorel está sendo convocado pela associação, para esclarecimentos sobre o local de seu trabalho e claro das pastilhas. - Kaito parecia apressado e impaciente não iria levar aquele vampiro no momento por ordens de Zero, isso era irritante já que o mesmo poderia fugir, infelizmente teve que cumprir ordens do presidente. É uma convocação sem resposta negativa, esperamos sua presença em 24 h.-Ele estava acompanhado de Daniel e Aidan como precaução para caso algo acontecesse.

Viram o vampiro concordar e por fim deixaram ir.

_Acredita que ele irá a associação? - Daniel perguntava a kaito desconfiado. 

_Espero que sim, por mim levávamos ele hoje mesmo, mas zero disse sem apreensões por enquanto.- pegaram o carro onde Aidan assumiu o volante e foram para a sede da associação

Pontos desses Arco:
 


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: 14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central    Hoje à(s) 21:20

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
14ª Delegacia de Polícia - Cidade Central
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» ? Central Park
» Los Angeles, a cidade dos ``anjos´´
» Central Park
» Ruas de Viridian - Despedida da Cidade Natal
» Sozinho e com novos objetivos em uma cidade desconhecida!

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Academia Cross RPG  :: Província Ambarantis :: Ambarantis :: Cidade Central-
Ir para: