Academia Cross RPG
Bem Vindos!!

Aos visitantes e Novatos Na Academia Cross.

Leiam as Regras para participar do RPG.

Regras Gerais, orientações e Sistema do Jogo

Arigato pela Visita e volte Sempre!

Administração Equipe Cross



RPG Vampire Knight
 
InícioCalendárioFAQBuscarRegistrar-seConectar-se
Conectar-se
Nome de usuário:
Senha:
Conexão automática: 
:: Esqueci minha senha
Últimos assuntos
» Sala do Trono
Dom 3 Set 2017 - 16:34 por Adrian Ivashikov

» Green path - Central Park
Dom 3 Set 2017 - 15:39 por Tohru Kuran

» Royal Kinnokate
Dom 2 Jul 2017 - 11:01 por Makie

» Clã Sorel - Roma
Sab 1 Jul 2017 - 16:43 por Master

» Galpão - Fazenda Casa Grande
Sab 1 Jul 2017 - 16:11 por Master

» A missão ?! - Cidade Alta
Sab 24 Jun 2017 - 21:16 por Makie

»  Lirion Gatemberg
Sab 24 Jun 2017 - 18:18 por Master

» Hall de entrada/sala da mansão
Seg 19 Jun 2017 - 18:15 por Dorii'

» Sala de Estar e Jantar
Dom 18 Jun 2017 - 21:50 por Dorii'

Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Votação
Como conheceu Vampire Knight?
1. Através do mangá.
34%
 34% [ 23 ]
2. Através do anime.
66%
 66% [ 44 ]
Total dos votos : 67
Top dos mais postadores
Dorii'
 
kagura
 
Lohanne
 
Master
 
Aga-chan
 
Fabi
 
Fernanda Shanira
 
Marcelo
 
Hauro
 
Alucard
 
Dezembro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      
CalendárioCalendário

Compartilhe | 
 

 Laços de Sangue - Mihaela

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Lohanne
SP
SP
avatar

Feminino
Char RPG : Lohanne - Hunter
Yan Yuriev - Vampiro Puro Sangue

Posts: : 3153
Inscrição : 15/05/2009

MensagemAssunto: Laços de Sangue - Mihaela   Sab 19 Dez 2015 - 6:01







“Hey Sister, do you still believe in love I wonder”


Stelian mal notava as pessoas no saguão quase lotado, a maioria das pessoas ali eram da imprensa, chegavam aos montes para noticiar e cobrir da melhor forma os acontecimentos na cidade de Ambarantis após o suposto ataque terrorista.

Apressado, ele andou de balcão em balcão, de cada companhia, desesperado por uma passagem que o levasse a Romênia o mais rápido possível. A única disponível para aquela madrugada ainda demoraria duas horas para embarcar.

Não houve escolha. Ele pagou por aquela passagem e voltou para a área de espera, sua cabeça doía e seu coração batia de forma descompassada, o gelo que ele controlava agora parecia tomar conta dele.

Com o bilhete de embarque e o passaporte em suas mãos, ele batia um dos pés de forma nervosa no chão, sua mente voltando e remoendo aqueles gritos que havia ouvido no telefone quando ligara para casa. O que estaria acontecendo?

Ele não sabia, mas algo dentro dele desenhava um cenário do qual ele se negava a acreditar.

Stelian passou a mão pelo rosto, os olhos cinzas estavam angustiados e cheios de dor, em sua alma, dedos de pavor tocavam sua espinha, arrepiando cada pêlo em seu corpo.

Yan Yuriev o havia dispensado, seu pai não lhe dera nenhuma resposta, sequer lera seu e-mail e sua mãe…

Ele estremeceu. Leila não era sua mãe biológica, mas fora a única que conhecera ao longo da vida, visto que sua mãe verdadeira, Carmem, havia falecido em seu parto, pois era humana.

Leila Mihaela era prima de Victor e o casamento fora arranjado pouco depois que Stelian nasceu. A família acreditava que Victor não deveria mais se envolver com humanos, portanto, o mais sensato seria formar uma família nobre, com filhos nobres.

Apesar disso, Victor nunca abandonara Stelian, como muitos da corte romena costumavam fazer, pelo contrário, fizera de tudo para que o vampiro mestiço fosse o mais belo e nobre entre todos da família, lhe dera a melhor educação e Leila, por sua vez, sempre se empenhara no mesmo.

Apesar do casamento arranjado, logo nos primeiros anos, Leila e Victor despertaram um grande sentimento de afeição entre eles, ao modo deles. A lealdade velada que corria entre eles, formando uma corrente única, dera a Stelian a segurança que precisara para crescer dentro da corte.

Cerca de dez anos depois, quando Leina nasceu, a relação entre o casal parecia se consolidar ainda mais e Stelian, pela primeira vez, sentiu algo que jamais experimentara: o amor.

Ainda não havia nenhuma nuance de romance ou algo assim, mas sempre que olhava para Leina, seu coração se enchia com um sentimento único, algo que ele não conseguia descrever.

Leina era a primeira pessoa na imensa mansão que Stelian ia procurar ao acordar e a última que via antes de dormir.

Ele tocava harpa para ela todos os dias e lhe contava histórias e mais histórias, sempre buscando mais livros em sua biblioteca, para mantê-la presa em sua atenção.

Todo aquele carinho era correspondido sempre a altura e logo Leina e Stelian logo se tornaram inseparáveis. Leina se tornou uma jovem agitada, sua beleza de adolescente chamava a atenção e, ao contrário dele, com uma educação mais rebuscada, Leina mantinha sua personalidade conforme sua aparência de adolescente e, mesmo com seus noventa anos, parecia ter nascido naquela sociedade moderna e atual.

Gostava de tirar fotos, de sair com suas amigas humanas, a maldade contida no sangue romeno parecia que, de alguma forma, não a havia afetado. Talvez fosse a mesma fórmula mágica que fizera com que seus pais mantinham o amor entre eles.


“Leina, o que aconteceu com você?” - Stelian sentiu seu coração apertar ainda mais, tentando, em vão, entrar em contato com sua irmã.

Arrasado, Stelian sentia que o mundo à sua volta desabava. A certeza de que Leila e Leina, assim como seu pai estavam mortos, era uma realidade que se desenhava mais concreta em sua mente, mas, algo dentro dele, ainda teimava em dizer que não.

Não conseguia entender quem ou o motivo para que todos de sua casa fossem mortos.



“Yuriev… ele… ele seria capaz?” - Stelian estremeceu. Por que Yuriev mataria eles? Não havia razões, sempre foram fiéis ao clã de puro sangue local, sempre apoiaram os projetos de grandeza daquele império que começava a se formar.

Seu corpo estremeceu quando seu celular tocou, a foto de Leina aparecendo em sua tela, seu coração disparando.

-Stelian! - a voz de Leina era esganiçada e parecia que ela estivera chorando - Stelian… papa… mama… eles…. eles morreram! - o tom de desespero dela partiu o coração de Stelian no meio, ele queria estar ali para abraçá-la.


-Aquele… homem...ele… ele matou a todos! Ele… ele...- o telefone fora arrancado da mão de Leina e o som de uma briga se fez ouvir, móveis sendo quebrados, peças de procelana e vidro caindo no chão.


- Stelian, por favor, não volte! Não volte ou eles vão matar você! Por favor! Fuja! - a voz de Leina implorava ao fundo, até o momento em que a chamada fora finalmente encerrada.

Ofegante, Stelian desligou seu celular, sua mente trabalhava de forma frenética, seu coração ainda mais descompassado. O que estava acontecendo afinal?

Ele olhou para a passagem em suas mãos e hesitou. Leina dissera para que ele não voltasse, ou seria morto. Morto.

Leina, naquele momento também poderia estar morta e pensar naquilo fez com que Stelians e enchesse de fúria. Ele precisava voltar, precisava saber o que havia acontecido. Além disso, se Leina e seus pais estavam mortos do que adiantava viver?

“Vingança…” - foi essa a única resposta que Stelian encontrou em sua mente.

As duas hora seguintes se arrastam e ele finalmente estava sentado ali, olhando o céu de Ambarantis de cima, a cidade ficando para trás.





"We greeted death as an old friend"
Voltar ao Topo Ir em baixo
Lohanne
SP
SP
avatar

Feminino
Char RPG : Lohanne - Hunter
Yan Yuriev - Vampiro Puro Sangue

Posts: : 3153
Inscrição : 15/05/2009

MensagemAssunto: Re: Laços de Sangue - Mihaela   Qui 31 Dez 2015 - 11:11









O gerente do banco trouxe mais e mais papéis para que Stelian assinasse, aquilo parecia ser uma coisa sem fim. Ao lado dele, o advogado de sua família acompanhava tudo com olhos atentos, indicando onde ele deveria assinar, rubricar, colocar um visto, ou simplesmente ler com maior atenção.

Stelian mantinha uma expressão séria e concentrada mas, por dentro dele, o fogo queimava derretendo todo o gelo de sua atenção, sua mente gritando para que terminasse aquilo o mais breve possível e fosse atrás de Leina, embora soubesse que aquilo seria inútil de qualquer forma.

Assim que desembarcara na Romênia fora para a casa de alguns nobres vampiros que conhecia, ao norte da cidade. A princípio, eles não poderiam dispostos a recebê-lo, mas Mariah Bordea, matriarca da família e prima de Leila fez com que todos seus filhos e netos e calassem e deu abrigo ao jovem Mihaela.

A vampira, com clara aparência aristocrata e vestes da era vitoriana tinhas frios olhos negros como uma noite sem estrelas e era uma das poucas na corte que não inteira sangue Yuriev com frequência ou frequentava seus salões.

Nos dias em que ficou sob o teto de Bordea,  a vampira lhe contou o pouco que sabia sobre o acontecido,  fofocas e nada mais,  então ela não podia lhe assegurar que eram noticias verdadeiras.

Leina estava sob a guarda da família Razvan e seria casada com um dos descendentes deles, estava ali para que estivesse segura após o terrível e inimaginável ataque à mansão Mihaela.

Não havia notícias de Victor e apenas o corpo de Leila fora encontrado, mas alguns suspeitavam de que ele, Stelian, havia feito uma terrível traição contra Yuriev, juntando-se a Kuran e por isso o clã havia sido punido, por isso Stelian corria grande risco estando naquele território.

Ainda atordoado com todas aquelas notícias, Stelian havia procurado seus advogados humanos e contestado seu testamento. No fundo, nada mais lhe importava e, se encontrasse Yuriev ou qualquer um de seus lacaios, ele daria um jeito, afinal, se fora capaz de derrotar todos aqueles caçadores com um único golpe, poderia lutar contra alguns transformados.

Finalmente todos os papéis haviam sido assinados, todas as procurações estavam devidamente em seu nome e agora ele assumia os negócios de seu pai. Na verdade, tudo o que pretendia fazer era vender as ações e propriedades da família e sair da Romênia, não sem antes levar Leina.

Talvez realmente fizesse aquilo que estava sendo acusado de fazer: se juntar a Kuran, poderia, em troca das informações que tinha, conseguir asilo para ele e para a irmã em Ambarantis.

Lembrou-se então da jovem Kuran, o principal alvo de Yuriev. Será que, o que quer que houvesse acontecido no Japão, teria influência?

Bom, aquele não era um problema para ele, não naquele momento.

Livre do banco, Stelian caminhou até o ponto de táxi, embarcando no veículo e oferecendo o endereço da mansão. O motorista o encarou em silêncio por alguns segundos e Stelian teve uma estranha sensação.

“Estou ficando paranóico” - ele pensou, afinal o homem era apenas humano.

O motorista então guia o táxi através do trânsito, entrando e saindo em ruas, parando então diante de um hotel, um lugar diferente do endereço do que havia indicado.

-O que esta fazendo?! - Stelian agarrou o banco da frente e se ergueu, mas o motorista permaneceu impassível. O coração de Stelian então parou.

Aproximando-se do caro vinha duas pessoas, uma delas teria feito um sorriso surgir em seus lábios, mas, ao ver quem a acompanhava Stelian sentiu seu corpo inteiro tremer.

Leina estava ali, diante dele, seu rosto abatido, mas ainda mantinha a postura ereta, orgulhosa.

Logo atrás dela aquele demônio de cabelos brancos que havia arruinado sua vida vinha, vestido num terno completo, escuro, com uma única gravata vermelha destacando.
Stelian deixou seu corpo cair de volta ao assento e então esperou. Não havia mais nada a fazer.







"We greeted death as an old friend"
Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Laços de Sangue - Mihaela
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» O Meio-Sangue Filho de dois deuses
» A vida de um meio sangue.
» Culto de Sangue - Entre a Serpente e a Estrela (Crônica Oficial)
» Nine - Lua de Sangue
» Selva de Sangue

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Academia Cross RPG  :: Província Ambarantis :: Clã Pure Blood :: Clã Yuriev-
Ir para: