Academia Cross RPG
Bem Vindos!!

Aos visitantes e Novatos Na Academia Cross.

Leiam as Regras para participar do RPG.

Regras Gerais, orientações e Sistema do Jogo

Arigato pela Visita e volte Sempre!

Administração Equipe Cross



RPG Vampire Knight
 
Portal CrossInícioCalendárioFAQBuscarRegistrar-seLogin

Compartilhe | 
 

 Residência Homam

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte
AutorMensagem
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Residência Homam   Sab 12 Dez 2015 - 12:35

Relembrando a primeira mensagem :

Residência Homan

Lya havia tomado para si, toda a vida daqueles vampiros nobres ao usar para sua investida na Festa Crow, e fizera da residência seu refúgio, o filho dos Homan estava no lugar quando ela chegou e lhe fez de servo obrigando-o a ser seu lacaio através de sua imponência de sangue puro. Michael Homan estava esperando a chegada dela conforme havia orientado ele teria que prepara a casa para chegada de novos moradores e assim ele fez, deixando dois quartos de hospedes prontos para a chegada desses novos moradores.


Sala Principal


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda

AutorMensagem
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Dom 28 Fev 2016 - 21:31

 Lya + 


Ela olhou o lugar e segurou o jovem agora que lutava para viver, o amparou carregando até o quarto o jovem ex humano que sofria a dor da transformação. 

_Calma bambino, cuidarei de vós, será amparado e não deixarei que nada nem ninguém lhe faça mal, és minha cria agora e será meu melhor servo.- Sussurrava ao ouvido do jovem Will e o levou para o quarto. 

Rice seguia eles apreensiva e ajudava a senhora até chegar ao quarto, mas ela não o levou para o seu quarto e sim para o dela, deitou na cama e pediu a Rice, roupas limpas e material de primeiro socorros para cuidar dele.

_Aqui está minha senhora. - Ela colocou ao lado da cama enquanto Lya deitara ao lado de Will limpando seu corpo e cuidando de seus ferimentos.

_Agora vá e mande Michael cuidar da reforma da casa e mante-la em ordem novamente.

Rice curva-se com a mão sobre o peito olhando-os um tanto chateada, ela queria ser a escolhida de sua senhora para se tornar a serva leal que estava destinada a ser.

Lya olhou-a sair e continuou a cuidar dele, levantou-o e levou ao banho, assim que terminou voltou e o colocou nu na cama e ali voltou a lhe dar o sangue, sugou de seu pulso e abriu seus lábios despejando para que engolisse.

_Beba meu belo e maravilhoso puro, irá despertar na sua plenitude e será tão poderoso que será temido por todos vampiros e humanos.

Aquela noite seria o inicio de uma nova existência para o ex humano.


Encerrado


1a rodada


Will + 3


Sakura 0


2a. rodada


Will + 3


Sakura + 3


3a. Rodada


Sakura + 2


Will + 3


Charles + 3


Pontos de interpretação


Will + 5


Sakura + 5


Charles + 2


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D


Última edição por Master em Sab 5 Mar 2016 - 9:21, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
kagura
SP
SP


Feminino
Char RPG :
Chars: Charles | William | Vincent (Arthur) | Melissa
NPCS: Murtagh | Junes | Junniper | Ryan | Trevor
Humor : Mutavel.
Localização : Brasília
Posts: : 3598
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Qua 2 Mar 2016 - 22:55

++Will++

Seu pescoço ainda doía como uma gazela mordida por um leão, e sua cabeça rodava. Mas isso não lhe significava muita coisa diante da dor de outrora e dos momentos interiores. Ou da outra dor, a que percorria suas veias e seu corpo. A que comprimia seu coração como em um infarto e tornava sua respiração respiração espaçada e difícil enquanto tossia sangue alheio a tudo na sala da casa. De uma hora para outra, todos seus orgãos pareciam reagir como em uma forte crise lupica, enquanto tambores tocavam em seu cérebro o deixando perdido em meio a tudo. E tão perto da morte. Ou será que era assim estar morto.

Tonto, dolorido e hiper-reativo como um boneco zumbi, Willian se agarrou aquele calor próximo. A presença de Lya que mesmo diante da confusão parecia ter ganho aos poucos cores e cheiros novos que ele não sabia definir. Muito menos por aquele caminho até um quarto estranho onde nunca tinha entrado. Não que as formas em geral fizessem algum sentido, ou as falas. Havia apenas a dor, seu morder dos lábios e aquela sensação de sufocamento, além de sua apatia enquanto tudo o que parecia fazer era puxar o ar com dificuldade.

Talvez suas roupas tenham sido tiradas e um material de primeiros socorros tivesse sido usado. Também se lembrava de um banheiro, mas tudo eram formas de uma mente quase alheia. De um doente ainda enfermo e diante do portão da morte. Normalmente ele teria reagido, dito que aquilo não era adequado ou inventado qualquer desculpa para conter sua vergonha. Mas como um boneco agora ele apenas a seguia. Diante da dor e da agitação que pareciam leva-lo ao pico da adrenalina, a voz de Lya e sua presença pareciam ser as únicas coisas que lhe acalmavam naquele estado. Seria a transformação, a morte, a indução? Nada e tudo sentia ali, semiconsciente e semiadormecido quando voltou a cama de uma maneira que nem ele sabia explicar.

E logo sentiu algo molhado lhe atingir os lábios e a boca, aceitando de bom grado e faminto em meio a iminência e proximidade da morte, engolindo com certa sede. No fim, tudo o que conseguia pensar era que aquilo era delicioso, enquanto tentava focar seus olhos em algo que não fosse a confusão mental, o barulho de suas artérias pulsando ou os vultos que, aos poucos ganhavam forma em cores mais vividas que antes.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Qui 3 Mar 2016 - 14:55

+ Lya + 


Os dias passavam e a vampira não saia do lado de sua nova cria, aquele rapaz era algo valioso para ela, a puro tinha um dom e também uma ruína, devido a sua mordida venenosa dificilmente conseguia transformar algum humano. Em todos as tentativas eles morriam assim que sentiam o veneno percorrer o corpo, havia aqueles que ainda resistiam por alguns dias, mas para a frustração da vampira acabavam perdendo a vida. 

Em seu pacto ela prometera as almas daqueles que mordia para pagar pelo poder que recebera e ali diante daquele humano que lutava para sobreviver, pela primeira vez ela desejou que ele não morresse. Queria aquele humano para si, queria ter sua existência compartilhada já não suportava a solidão de sua vida longa e imortal.

Ficou ao lado dele, alimentando-o dia e noite para conseguir suportar a transformação, esperou ansiosa pelo resultado satisfatório, aquele ex humano transformado em vampiro.

Lhe deu o sangue no 5º dia e notou que ele já não agonizava mais e parecia voltar a si algumas vezes, era certo que logo acordaria e para comemorar ela mandou preparar um banquete de sangue e lhe servir como forma de mostrar a ele que ela seria sua eterna companheira.

Lya criara seu futuro companheiro aquele que a completaria e não a deixaria mais só.


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D


Última edição por Master em Sab 5 Mar 2016 - 9:07, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
kagura
SP
SP


Feminino
Char RPG :
Chars: Charles | William | Vincent (Arthur) | Melissa
NPCS: Murtagh | Junes | Junniper | Ryan | Trevor
Humor : Mutavel.
Localização : Brasília
Posts: : 3598
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Qui 3 Mar 2016 - 22:06

++Will++

Foram cinco duros aqueles que se antecederam. A mente de Will não conseguia se manter instável, assim como sua consciência, que constantemente se abaixava ao quase coma, rareando-se os momentos em que gozava de lucidez ou conseguia ver algo. Mais havia uma única coisa que permanecia viva ali é sempre presente: a dor, ela era constante assim como os esforços de seu corpo para sobreviver, mesmo que uma parte de si quisesse desistir. Não eram raros os momentos em que ele perdia o ar e tinha dificuldades em respirar decaindo para o ritmo de Kussmaul, não eram raros também os momentos de dor no seu peito, o queimar em suas vezes e ardor que misturava o veneno dela e o dele em nível insuportável.

Falando em insuportável, em seus momentos de inconsciência e conciencia ele gritava e se retorcia. Seu corpo inteiro chegava até mesmo a beirar o colapso diante da forte taxa metabólica enquanto tudo o que ele fazia era quase convulsionar. Era doloroso e Will queria que tudo parasse. Mas isso não acontecia. Quanto mais dolorido, mais consciente ele ficava. Quanto mais seu corpo insistia em sua morte, mais ele se esforçava para viver engolindo aquele sabor doce que era alheio a tudo. E a única coisa que parecia lhe ligar a realidade.

Cinco dias ou toda a eternidade, quanto o suplício tinha durado? Talvez os dois, talvez nenhum dos dois e finalmente a morte houvesse lhe alcançado como anteriormente alcançará o velho humano que ocupava aquele casco gasto. Não importava. Pelo menos ela tinha parado em partes. Não era tão insuportável mais e sua respiração se acalmava um pouco, assim como sua mente parecia aos poucos voltar a si em definitivo e não apenas aquela dor terrível.

E ainda com os olhos fechados, o loiro se permitiu respirar profundamente e mais calmo no confortável colchão. Finalmente estava estável ali. Finalmente a tortura houvera passado, embora sua cabeça ainda rodasse um pouco quando ele abriu os olhos olhando para o estranho quarto que aos poucos tomava forma. Olhos vermelhos como dois puros e belos rubis.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Sex 4 Mar 2016 - 17:35

+ Lya +


Lya estava dormindo ao lado dele, ela havia ficado ao seu lado todo o tempo, não saia um minuto sequer, lhe dando sangue constantemente, sua lacaia Rice lhe trazia alimento e algumas vezes humanos para se alimentar após capturar na rua da cidade.

Michael lhe servia cuidando de toda a casa e dos negócios da família de onde vinha a fortuna, eles era do setor de construção civil e haviam vários empreendimentos na cidade e no país a qual mantinham todos os bens da família Homan. 

Lya assumira aquela família e fizeram todos os empregados e membros dela seus lacaios e servos, assim mantinha-se protegida e sem o domínio de Magnus, ela queria se afastar dele e procurar Lord Dreizahl antes que o mafioso o encontrasse.

Ali deitada ela dormia e não notou que ele havia acordado. Ela estava semi nua e encostada em seu ombro com o rosto tranquilo a qual quem a via, não imaginaria que era aquele ser demoníaco que discernia o mal.

O ex humano afinal havia conseguido sobreviver, sua mente e corpo suportara aquele período inicial de sua transformação, para Lya era a fase pior já que a maioria que tentou transformar sucumbia a morte nessa fase. Mas quando ela viu que ele conseguira sentiu-se feliz, nunca havia conseguido em sua longa existência desde que sentiu vontade de ter um companheiro, transformar um humano. Seria mais fácil procurar outro puro, mas ela percebia que a grande maioria queria dominá-la e isso era algo que não admitiria nunca. Resolveu que iria criar seu próprio parceiro e inicio sua busca por um que lhe service e suportasse a transformação. 

Willian um frágil humano ali perto dela se tornou agora seu maior bem e por ele cuidaria para ser o seu companheiro, ele suportou a transformação e agora era questão de tempo até se tornar o sangue puro que lhe seria leal para eternidade. Relaxada após sua satisfatória recompensa dormiu tranquila ao lado dele.


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
kagura
SP
SP


Feminino
Char RPG :
Chars: Charles | William | Vincent (Arthur) | Melissa
NPCS: Murtagh | Junes | Junniper | Ryan | Trevor
Humor : Mutavel.
Localização : Brasília
Posts: : 3598
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Sab 5 Mar 2016 - 0:35

++Will++

Um trem havia passado sobre sua cabeça, ou pelo menos algo parecido pelo latejar e a confusão enquanto seus olhos despertos observaram o novo quarto estranho no qual se encontrava. De maneira nenhuma aquele era o seu ou o que estava sendo mantido. Parecia de certa forma maior, embora ele não pudesse dizer ao certo quando tudo parecia mais vivido que antes, inclusive os incontáveis odores novos que o cercavam, como se de repente seus sentidos resolvessem explodir todos de uma vez. Seria esse o peso da transformação ou a própria morte? Se perguntou o loiro, mordendo seu próprio lábio ainda atônito apenas para descobrir que podia sentir algo. Logo, aquilo não era a morte, nem um sonho.

E como podia ser se o seu destino final por idiotisse de seu lado humano seria nada mais do que o inferno? O qual ele apostava ser um tanto mais quente. Respirando quase aliviado da constatação, Willian finalmente deu-se notando outras coisas a sua volta. Talvez um cheiro agradável, resquício de sabor de sangue em sua língua é um peso a mais em seu ombro. Diante do qual piscou dirversas vezes para notar.

Uma bela mulher estava ali, de cabelos loiros, quase pacífica e seminua. Seria aquele um dos testes para sua sina? Não deixou de se perguntar, quase dando um treco com o rosto vermelho ao se pegar Olhando para seu corpo, uma atitude tão atípica para si... Mas como evitar? Ela era tão bonita? Tão estranhamente atraente? E enxerga-la assim fazia o seu olhar involuntariamente se demorar ali... Desde quando? Se perguntou ainda perdido, com o rosto vermelho, quase sem graça, tentando juntar as peças até... Não podia ser... Podia? Elas não tinham nada em comum, aquela garota era tão pequena, tão frágil, e Lya... Um frio na espinha e a surpresa surgiram de forma abrupta com a constatação de que aquela ali era realmente representava.

-Lya-sama? -Pronunciou um pouco alto demais em surpresa, enquanto se levantava de uma vez confuso e se sentando no colchão, com olhar voltado para o lençol e o rosto queimando avermelhado. Desde quando havia parado ali? Seus pensamentos pareciam agitados e rápidos. O que realmente havia acontecido além da dor? Por ele estava ali? Diversas hipóteses se confundiam, todas sem qualquer sentido. - Se desejar que lhe sirva de alguma forma, senhora... - Tentou expressar as mesmas palavras que seu instinto lhe indicava, com a cabeça abaixada, voz baixa e cabelos jogados nos olhos.

Talvez se sentisse tão nervoso pela situação e confuso devido à todo o processo de transformação e o ambiente ao seu redor, que mal notava se ela tinha acordado ou continuava a dormir. Afinal, tudo o que imaginava era a demônio, suas presas e a dor, em contraste, tudo o que via era uma mulher atraente, loira, de pele pálida, face angélical, quase inocente e calma a sua frente, cujo sabor do sangue ainda jazia presente em seus lábios.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Sab 5 Mar 2016 - 9:04

+ Lya + 

A puro dormia enquanto ele estava ao seu lado, quando estendeu o braço não sentiu mais o corpo dele ali deitado, abriu os olhos ao ouvi-lo chamar-lhe, deu um leve sorriso abrindo os olhos amarelos para ele. Delicadamente espreguiçou na cama e levantou, seus longos cabelos loiros quase brancos caíam sobre seu corpo, ela estava somente de calcinha as mechas caiam cobriam seus pequenos seios.

_Banbino fico feliz que acordaste, está se sentindo bem? - Ela apoiou as mãos na cama engatinhando até ele e sentando perto tocando seu rosto. notando que ele estava com os olhos vermelhos. _Sente sede? - Afastou o cabelo do pescoço lhe oferecendo a jugular para ele dar a primeira mordida. _Beba me amore.

Ela estava aparentemente feliz quando ele falou se poderia lhe servir de algo, olhou-o no canto dos olhos dizendo em um tom sensual com a voz embargada e suave, praticamente um chamado a ele.

Will tinha agora um forte laço com ela e a sede seria sempre aplacada quando tomasse do sangue da puro. Ela estava radiante e seu sembrante era pleno e quase luminoso, mal podia se dizer que era a vampira demônio de outrora.


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
kagura
SP
SP


Feminino
Char RPG :
Chars: Charles | William | Vincent (Arthur) | Melissa
NPCS: Murtagh | Junes | Junniper | Ryan | Trevor
Humor : Mutavel.
Localização : Brasília
Posts: : 3598
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Sab 5 Mar 2016 - 16:12

++Will++

Um misto de sensações dominava o corpo de Will, como confusão, vergonha e um pouco de temor. Mas talvez o segundo tivesse mais força, até que o ardor idiopático da sede em sua garganta, enquanto ele escondia o rosto em seus cabelos dourados que, nos últimos dois meses tinham ficado mais longos que o esperado. Só então percebendo que estava nú e deixando seu rosto se pintar mais de vermelho, puxando parte do lençol para cobrir suas partes baixas de forma automática, quando ouviu a voz de Lya, com os olhares desviados.

-Sim... – Concordou ele sem levantar os olhos, quase sentindo o corpo gelar quando ela encostou em seu rosto, principalmente ao encarar, inadvertidamente ela e seu corpo seminu novamente... Enquanto seus dedos jaziam parados apertando o lençol. – Não muita... – Mentiu quase no modo automático, enquanto o receio de estar perto da demônio se somava a taquicardia e a sede pulsando em sua garganta.

Mesmo que, a todo momento, ele tivesse que alertar a si mesmo sobre sua periculosidade. Sobre o risco daquilo tudo. Principalmente porque agora ela não parecia nada mais que uma adolescente. E não parecia tão assustadora.

Will mordeu os lábios, enquanto sentia seu toque, tentando recuar como seria o certo a fazer ali. Mas de alguma forma, outra coisa lhe chamava. Seu cheiro, sua pele, sua sugestão que quase lhe hipnotizava, assim como aquela artéria pulsante em seu pescoço, que lhe chamava, lhe atraia.

Talvez devido a ligação tudo ali em sua frente lhe atraísse, como uma abelha rainha podia fazer com as operarias. E então, sentindo suas presas roçando em seus lábios e vendo aquela pele alva em sua frente, ele se aproximou, e se aproximou, apoiando os braços mais pra frente e então encostando a boca em seu pescoço. E, quase sobre hipnose e dominado pela sede, fincando as presas em seu pescoço e sugando calmamente o seu sangue.

Era delicioso, fazendo com que sugasse com um pouco menos de controle e com mais voracidade que antes, involuntariamente a segurando em um abraço em suas costas, para que não se afastasse. Aos poucos, a sensação em sua garganta se aplacava, enquanto seus olhos voltavam ao tom normal.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Dom 6 Mar 2016 - 16:56

+ Lya +


A puro encostou seu corpo seminu ao dele sentindo seu abraço e as presas fincar a sua pele alva, podia sentir o sangue esvaindo pelos lábios de seu novo servo, ela estremeceu com o toque dele, a sensação do contato de seus seios com o peito daquele ex humano lhe dava muito prazer. Ela começou a deseja-lo além daquele presente que recebera com ele ter sobrevivido a transformação.

_Mi amore sempre que sentir a sede pode me vir que lhe servirei do meu sabor. - Ela murmurou aos ouvidos dele, notando a face do jovem corada, sorriu baixinho.

Afastou o corpo encostando a testa na cabeça dele.

_Precisa se prepara, agora temos muito o que lhe ensinar diante dessa nova existência precisa aprender a lidar com os dons que recebeste. - Elas e afastou e levantou saindo da cama, andou pelo quarto com muita naturalidade, estava apenas de calcinha e foi rumo ao outro comodo que era o local onde havia roupas para vestir. Apanhou um vestido solto e o colocou, era simples até de cor clara e até altura do joelho, voltou para o quarto e esperou que ele se aprontasse.

Spoiler:
 


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D


Última edição por Master em Qua 9 Mar 2016 - 19:15, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
kagura
SP
SP


Feminino
Char RPG :
Chars: Charles | William | Vincent (Arthur) | Melissa
NPCS: Murtagh | Junes | Junniper | Ryan | Trevor
Humor : Mutavel.
Localização : Brasília
Posts: : 3598
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Ter 8 Mar 2016 - 0:18

++Will++

barulho do sangue sendo sugado penetrava seus ouvidos enquanto aquele sabor delicioso percorria seus lábios e língua. Estava sedento, faminto e desejoso por aquele sangue, e talvez por isso suas presas perfurassem a pele de Lya um pouco mais forte do que deveriam. Ou talvez ele não se importasse tanto com a proximidade ou com a vergonha, pelo menos até que ela se afastasse e seus olhos voltassem a cor normal. Embora suas presas teimassem para recuar em sua boca, lhe assentindo com a cabeça enquanto voltava ao seu tom corado habitual.

Ela estava muito próxima, próxima demais e por isso não conseguia se acalmar, mesmo diante do suposto medo que deveria sentir. Nunca tinha ficado daquela forma perto de uma menina, muito menos visto alguma seminua daquela forma, talvez estivesse a ponto de infartar. Não conseguia tirar a face envergonhada enquanto ainda encarava o lençol, escondendo a própria intimidade por baixo dele até que ela saísse para se trocar. Pulando quase com pressa de se trocar, ele se descobriu, quase caindo aos tropeços no caminho para onde suas roupas limpas estavam depositaras, as colocando de forma quase desastrada e apressada, principalmente ao notar que Lya voltava a lhe observar.

Talvez estivesse amassado ou com os botões errados. E seu cabelo estivesse um pouco arrepiado quando tentava abaixá-lo. Mas talvez fosse apenas o nervosismo anterior. O que não o deixava pensar direito.

O quarto era grande e claro, fazendo a mesma espécie de contraste que ela parecia fazer com sua aura negra. Mas Will não prestou atenção, apenas voltando os olhos para a puro sangue assim que estava razoavelmente ajeitado. - Então vamos fazer alguma espécie de treino de autocontrole e magia? - Perguntou Will, quase trocando palavras e esquecendo certa formalidade enquanto se recuperava do nervosismo, lembrando dos treinos que Murtagh costumava lhe submeter.

****

++Murtagh Fallneaves e Vincent Lavoiye (Arthur Lutont)++

O velho ancião vestia uma espécie de traje formal do século XIX quando apareceu na porta da residência Homan naquela noite, acompanhado por seu assistente Hamlet. Seu vesical era impecável, assim como o seu cabelo longo e perfeitamente liso caído jovialmente em seus ombros como um velho lorde inglês.

Tradicional demais? Talvez, mas por que não? Afinal, trataria assuntos comuns com uma dama ali e talvez visse seu neto. Ou pelo menos fora o que solicitara num bilhete formal dias atrás. E, não podia negar que, desde que Elliot lhe contará os boatos, a tal vampira que invocava demonios lhe interessava. Quem sabe não fossem mais parecidos do que pensava e pudessem desenvolver uma boa relação diplomática.

Por instantes, Murtagh apenas encarou seu assistente, Vincent, que lhe acompanhará desde o Ducato. E com um aceno, o falso humano de cabelos muito claros bateu na campainha.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Ter 8 Mar 2016 - 3:45

+ Lya +

Ela olhava-o com um bilho de felina aquele jovem vampiro recém nascido admirada com a sua sorte em finalmente ter alguém ao seu lado. Ele estava muito sem jeito o que lhe dava um certo charme. Isso a fez sorriu de um jeito despreocupado e feliz, a expressão dela era doce que conatratava com a sua aura pesada caisse sobre aquele vampiro.
Sentia o medo dele, natural já que a defesa natural de um ser é a auto defesa diante de um perigo de vida. O medo de William dela seria questão de tempo e conforme ele fosse aprendendo sobre sua nova condição e dons.
_Comecaremos seu treino depois, hoje será um dia para recebermos convidados. -Ela caminhou até ele é passou a arrumar a roupra deixando alinhado já que as vestes estavam postas as pressas e de qualquer forma _Receberemos visita, sua primeira depois de renascer como puro. 
Ela se afastou e olhou-o estava lindo e a aura dele deixava ainda mais atraente. A puro mordeu os lábios quis sentir de perto novamente, mas um soar de batidas na porta do quarto vindo seguida a voz de Rice pedindo permissão para entrar o que foi permitido por Lya.
_Lya-sama -se curva com a mão direita no peito._Há convidados lhe aguardando.
Lya abriu largo sorriso e estendeu a mão a Will segurando e arrastando para fora do quarto.
_Tenho uma surpresa para você mi amore.

++++++++++

+ Michael +

Ele estava no escritório preparando para receber mais daqueles novos vampiros. Ficava se questionando o quanto a vida mudara desde a chegada de Lya e o quanto passou a fazer parte do mundo dos sangues puro.
Lya havia recebido aquele recado, no começo com certa desconfiança, afinal como um humano Hunter seria parente de uma família de vampiros? Resolveu aceitar a presença daqueles e por curiosidade descobrir mais de"SEU" William.
Michael foi de pronto abrir a porta da mansão e olhou os senhores vampiros a sua frente apesar se elegantemente vestidos pareciam ter saído do século passado, que logo os convidou para entrar.
_Sejam bem vindos a mansão Homan ...-mostrou o lugar na sala para se acomodarem e esperar. _Sou Michael Homan sirvo Lya- sama, aceitam uma bebida?
Nesse momento Lya chega arrastando William pela mão. Ela estava sorridente com um ar de menina e chegou ate a sala andando delicadamente. Soltou a mão de Will e estendeu a dela aos vampiros naquela sala. Pela roupas que vestiam imaginou serem ainda formais mesmo naquele século moderno.


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
kagura
SP
SP


Feminino
Char RPG :
Chars: Charles | William | Vincent (Arthur) | Melissa
NPCS: Murtagh | Junes | Junniper | Ryan | Trevor
Humor : Mutavel.
Localização : Brasília
Posts: : 3598
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Ter 8 Mar 2016 - 23:46

++Vincent e Murtagh++

Murtagh e suas manias absurdas como aquelas roupas abafadas e desconfortáveis, de onde seu padrinho havia tirado aquela ideia? Não deixava de pensar Lutont a frente da porta onde o outro ancião dizia estar um de seus filhos. Aquelas vestes eram ridículas, alguém devia colocar algo naquela cabeça orgulhosa que talvez houvesse ficado adormecido por tempo demais. Mas quem o faria? Desde sua mais tenra infância, Murtagh era o único que não caia em suas travessuras ou o deixava fugir de suas responsabilidades. Mais presente que seu pai oficial, talvez isso pensasse do homem de cabelos longos que tanto o influenciava e com quem, por obra do destino, ele preferia não discutir muito. Afinal, oficialmente ele não era seu pai, ou padrinho, e sim mais um suserano chato ao qual tinha que servir. Mesmo que achasse desnecessário toda aquela pompa.

- Vão nos chamar de museus vivos com isso, isso se não dermos azar e algum humano achar que vamos para uma festa a fantasia.

O mais novo dos dois sugeriu com um suspiro, enquanto Fallneaves lhe encarava de forma severa e reprovadora para seus modos, pelo menos até que o tal servo nobre surgisse a porta, os cumprimentando e abrindo o caminho para entrada. Com elegância, o ancião mais velho apenas tinha demonstrado o melhor sorriso.

-Espero que não tenhamos causado qualquer problema a senhorita Merelin por esse encontro... – Sinalizou Murtagh, antes que o mais jovem fizesse qualquer coisa além de um cumprimento da cabeça. Mesmo que o outro tivesse passado dos dois mil anos, sua imaturidade as vezes o irritava, e nem sempre ele era tão adequado quanto deveria ser. – Se tiver algum vinho e não for um incomodo, eu posso aceitar, senhor Homan, você tem uma bela casa. – Elogiava o esguio e magro líder de clã, observando o cômodo com uma expressão satisfeita e educada, enquanto entrava, sendo seguido pelo outro. – A propósito, sou Murtagh Fallneaves, e esse ao meu lado é meu “sobrinho”, Vincent Lavoie.

++Willian++

Desajeitada. Aquela era a melhor forma de se descrever a forma como se vestiu diante do nervosismo do momento. Ou melhor, a pressa com que o fez, já que parecia todo torto, mesmo que mantivesse sua beleza, quando acabou. Tendo que ser alinhado por Lya, mesmo sinalizando que não precisava e que conseguia se virar sozinho. Convidados? De certa forma aquilo atiçou sua curiosidade, embora em parte tenha o deixado apreensivo. Que tipo de convidados? Seria Sakura ou... Seu estomago revirou.

-Seria prepotência de minha parte perguntar quem são? – O garoto questionou, mas não obteve muita resposta a tempo da tal funcionária de Lya chegar. Uma humana, como conseguia notar, alguém que não gostava de si, ou que ele sentia não gostar, que Will cumprimentou com um aceno em educação, antes de dar a mão para a vampira loira, sendo arrastado para fora do quarto. De que tipo de surpresa ela falava? Se perguntou por todo o caminho, agora percebendo não ter qualquer dificuldade para acompanhar seus passos, por mais rápidos que fossem, nem tremer de medo com tanta frequência.

Olhando melhor, a casa parecia diferente agora. Novos cheiros, novas cores, não tão escura como antes. E com aquele odor em particular. Um odor familiar e conhecido, quase nostálgico, que o fez quase parar ante a porta ou tropeçar. – Vovô? – Will perguntou quase em choque, enquanto olhava para o homem de cabelos longos e claros e para o seu acompanhante, enquanto Lya soltava suas mãos.

++Vincent, Murtagh e Will++

No entanto, em meio as suas cortesias, Murtagh logo foi interrompido por duas presenças mais fortes que a daquele nobre para quem antes se dirigia. Dois sangue puros, notou, olhando com expressão sem surpresa para Will e Lya, enquanto seu companheiro apenas erguia a sobrancelha, fazendo uma pergunta quase muda e abobalhada. Não demorou muito para que o homem, no entanto, abrisse um sorriso.

- Senhorita Merelin? – Falou ele com uma reverencia formal, se aproximando e beijando sua mão de forma cavalheiresca. – É uma honra que tenha permitido que tenha vindo aqui, sou Murtagh Fallneaves, o avô de Willian e aquele que escreveu a carta. É um prazer conhece-la. – Sinalizou, se erguendo e a cumprimentando em seguida, como se fazia perante uma anfitriã do território segundo os velhos costumes vampíricos, antes de, só então, olhar para o neto. – Willian, é bom vê-lo novamente. Espero que não tenha demorado muito para vir lhe visitar, tinha que resolver alguns assuntos na Europa.

Vincent, por outro lado, apenas acenou para Lya, mais afastado, com uma reverencia. Apesar de belo como um puro sangue, este irradiava a mesma presença estranha e humana que Will tinha antes de se transformar. E também era parecido com esse, apesar do cabelo ligeiramente mais claro, um parentesco era provável, embora ele se mantivesse calado.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Qua 9 Mar 2016 - 21:03

+ Michael +


Ele acenou para um mordomo e pediu que servissem os convidados, fez um gesto de reverencia aquele puro agradecendo pelo elogio a casa. Nesse momento Lya entra na sala fazendo o jovem nobre se espantar pela roupas que vestia e principalmente pela face de uma menina que se ele não a conhecesse podia jurar ser a coisa mais bela e pura que já viu. Mas aquela criatura era na verdade a vampira demônio e que ele podia dizer que o ditado popular caia-lhe bem... " Lobo em pele de cordeiro". Afastou e ficou perto da porta esperando para ver o desenrolar daquela situação.

"O humano virou vampiro, um sangue puro?!! Como pode isso?!... E tem uma família de vampiros.... Lya-sama deve ser realmente uma anciã muito poderosa, mas mesmo assim muito estranho!"


+ Lya +


Vestido da Lya:
 

A puro sorriu gentil ao outro puro, andou até o sofá e sentou-se cruzando as pernas em uma postura educada.

_ Sr Fallneaves fiquei surpresa com o sua mensagem, mais surpresa ainda o motivo de sua visita. - Olhou Will e fez um gesto para ele sentar e se juntar a eles. _ Quando encontrei Willian eu acreditava ser um humano no máximo caçador até ver a própria natureza, eu o ajudei a aguentar sua condição, mas ele estava muito debilitado quanto a isso, lhe dei a melhor condição de se tornar algo melhor e poderoso. - fez um gesto ao mordomo que a servisse também._Minha existência soube de alguns feitos como os de Willian, imagino que esteja querendo algo mais sério ao lacra-lo? - Bebeu um gole do vinho e sorriu. _Acho que ao transforma-lo, acabei interferindo em algo, certo?

Virou o rosto aos dois vampiros e ainda na mesma expressão de antes continuou.

_A situação foi simples, me encantei por ele e Willian se tornou parte de mim, ficarei muito "chateada" se o afastasse de mim. - Ela mantinha o tom suave e calma, mas na sala podia se sentir a energia pesada e negra da puro.

Lya havia se apegado aquele garoto ex humano, sentia viva com ele e queria lhe dar mais poder e segurança como agradecimento por está com ela. A puro não queria que ninguém viesse e tirasse isso dela.


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
kagura
SP
SP


Feminino
Char RPG :
Chars: Charles | William | Vincent (Arthur) | Melissa
NPCS: Murtagh | Junes | Junniper | Ryan | Trevor
Humor : Mutavel.
Localização : Brasília
Posts: : 3598
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Qui 10 Mar 2016 - 23:23



De modos completamente impecáveis e impressionantes como sempre, mesmo diante de Lya. Aquele era o seu severo avô que lhe fizera nascer de novo dois anos atrás. Pensou Will admirado, apenas assentindo educadamente enquanto mantinha-se ao lado da vampira loira. Vincent, mais atrás, ele conhecia de vista. O cão de guarda do avô ou seu assistente, ele lembrava, embora não fosse de seu costume trocar-lhe palavras normalmente. Apenas um aceno, que logo foi devolvido pelo homem displicentemente, apesar das vestes tradicionais.

Enquanto isso, Murtagh apenas mantinha o sorriso, encontrando um lugar no sofá e agradecendo pelo vinho, o bebericando frente à frente a vampira e com seu assistente do lado, enquanto Will mantinha-se acuado diante da forte presença que não parecia preocupar nenhum dos dois ali. Para falar a verdade, principalmente se tratando de Murtagh, o homem de belos cabelos claros apenas parecia estar no meio de uma apreciação do chá da tarde, mesmo diante das palavras da vampira.

-O verdadeiro sentido do poder e do legado está no sangue, minha cara, e isso quer dizer que de maneira nenhuma poderia deixar de fazer uma visita a Willian, embora não fosse me preocupar muito com isso no momento, afinal, não pretendo causar-lhe chateação lhe afastando de meu neto sem um bom motivo, até porque sou um homem Pacífico, que apenas deseja conversar. -O homem tomou um gole da bebida. Seus olhos tinham um tom lilás esquisito, o mesmo de Will e de Charles, e talvez Lya pudesse sentir a mesma presença de demônio estranha percorrendo o seu sangue, embora ele mantivesse sua aura fraca propositalmente como uma forma de respeito. - Como disse, apenas viemos aqui para verificar como ele estava e suas condições de saúde... - Por instante, ele encarou Will em silêncio. - Teve mais alguma daquelas crises após usar magia?

Vendo o olhar sobre si, o garoto loiro assentiu. - Algumas, mais menos que antes... - Era mesmo certo falar daquilo ali, ele se perguntava mentalmente. Afinal, aquela fraqueza não era um segredo seu que o avô o havia feiro manter?

-Muito bom. - Ou podia ser preocupante, já que aquilo só podia dizer uma coisa. Andará tomando sangue da anciã como pensava. Um pacto de sangue talvez? Se perguntou ele. Ah. Não importava mais... Já tinha imaginado aquilo, agora só precisava ajeitar suas oportunidades. - Fico feliz que sua saúde tenha melhorado, embora... - Murtagh por instantes se viu voltando a encarar Lya. - Senhorita Merelyn, eu tenho que confessar que ainda sinta certo temor pela saúde de meu neto, crianças de meu clã costumam não se dar muito bem com a concentração do próprio sangue nas fases mais precoces de suas vidas, e por isso havia realizado o selo nele até que estivesse fora de risco. E embora admire que pareça saudável agora sem o selo, Vincent e eu achamos melhor entregar-lhe o medicamento que costumava usar para evitar crises.

Ele acenou para o outro homem (o humano), que abriu a bolsa tirando diversas ampolas cheias de um líquido quase azul escuro dentro de cada uma, entregando para Will.

-E também oferecer nossa amizade, minha, como líder dos Fallneaves, e do meu clã. Afinal, como disse, não pretendo afastar William de você. Apenas prezar por seu bem. - os olhos impetráveis do ancião logo voltaram a encarar Lya, ainda mantendo a postura amistosa.

Sim. Ele sabia quem ela era, e sua fama no passado. Mas não a comentava. De certa forma estava curioso pelo interesse dela por Will. Ou tentado a usar o neto para colocar uma nova peça do seu lado do tabuleiro.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Sex 11 Mar 2016 - 3:15

+ Lya +

Lya olhava a todos com um suave sorriso a face, bebericava de sua taça com vinho, levemente misturo com sangue humano. Ela gostava do que ouvia, ao menos eles não levariam seu novo servo, mas ela não queria que ele fosse um servo qualquer.
_Fico feliz com suas palavras quanto a manter Willian comigo, não tive intensão de tirar lhe um dos seus, realmente surpreendeu-me quem ele era na verdade.
Agora ela ficava mais tranquila quanto a ter William com ela, então veio a questão curiosa a ela. Mas preferiu esperar ele concluir aquela parte das injeções.
_Interessante, apesar que ele se alimenta de meu sangue, se preocupa quanto a pureza de minha vitae? Ao contrário dos senhores meu sangue não é misturado com as criaturas do inferno. - Ela fez um gesto com a mão e a sala ocupou com um leve odor de enxofre e alguns olhos vermelhos brotaram da escuridão e não aproximaram._ E um pacto de comum apoio mutuo. -Voltou a fazer outro gesto e as criaturas sumiram._ Não mostrei isso para intimidar apenas que entendam que ele esta com uma puro mais puro que a própria existência.
Sorriu e esperou que William pegasse as ampolas.
_Mas se ele achar melhor pode continuar com seus medicamentos, tudo que desejo e que ele esteja bem.
Virou seus olhos aquele ancião que olhava com seus olhos marcantes deferiu sua curiosidade a ela.
_Está realmente curioso com o que pretendo com o futuro de William? Assim como estou curiosa quanto ao seu clã?
Ela sorriu quando ele lhe ofereceu amizade e aquilo era muito interessante, para a anciã que não tinha nenhum aliado consegui algo assim lhe garantiria uma boa proteção e claro apoio.
_Sinto-me honrada com a sua oferta de amizade, sou sozinha nessa cidade e somente quero proteção. -olhou William e estendeu a mão. _Quando descobrir ele e a forma como ele é fiquei aliviada em encontrar um ser tão propenso a realizações grandiosas que me senti ávida a lhe dar o que precisa para isso.
Soltou a mão dele e apoio o corpo no encosto do sofá.
_Eu posso agora dizer que minha curiosidade fora parcialmente saciada, então andam misturando seus gens com os do mundo inferior?
Ela olhou ambos e o humano que estava com o ancião era algo curiosamente diferente, já que pressentia isso.


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
kagura
SP
SP


Feminino
Char RPG :
Chars: Charles | William | Vincent (Arthur) | Melissa
NPCS: Murtagh | Junes | Junniper | Ryan | Trevor
Humor : Mutavel.
Localização : Brasília
Posts: : 3598
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Sex 11 Mar 2016 - 17:31

++ Murtagh, Will & Vincent++

Sim. Ele tinha noção que o avô pudesse falar algo assim sobre ele, mas internamente Will não pode negar o pequeno calafrio que espinha diante da ideia de ficar com Lya. Não que ela lhe tratasse bem, ou ele não gostasse de seu sangue, mas talvez o medo ainda continuasse ali envolvido. Um trauma que demorava um pouco a passar. Por fim, o loiro pegou a taça de vinho que lhe tinha sido oferecida, lhe bebericando, antes de pegar as ampolas oferecidas pelo humano não-tão-humano assim sem nada falar. Ele não se intrometeria na conversa dos dois a não ser que fosse necessário.

Murtagh, por sua vez, apenas continuava bebericando elegantemente sua taça de vinho. - Não tenho a intenção de ofender seu sangue, senhorita Merelyn, minha única intenção aqui é garantir que Willian seja tratado adequadamente na ocorrência de qualquer problema. - O homem sorriu calmamente. - Mas quanto a pureza de nosso sangue, devo discordar, já que o nosso ancestral é filho de uma vampira que data da mesma época em que o primeiro Vampiro surgiu como uma mutação genética, nunca tendo, ao contrário dos Kurans, se submetido à reprodução com mulheres humanas no mais antigo dos tempos.

Ele se ajeitou no sofá, por instantes deixando seus olhos se modificarem para o mesmo amarelo demoníaco que Lya tinha. - Não... Essa vampira original, acabou se juntando a um demônio, um príncipe do inferno, com quem teve um filho, o nosso fundador... Raziel Fallneaves, a própria reencarnação do pai na terra.

O homem manteve o sorriso calmo, fazendo um sinal pra trás com desdém e, de uma vez, toda a luz da sala pareceu se apagar, ganhando um brilho vermelho, enquanto o ar ar se tornava sufocante é quente, cheirando enxofre, enquanto uma espécie de portal surgia atrás de si, onde ver o interior do inferno era possível. Com outro sinal da mão, o ancião simplesmente fez o portal desaparecer.

- De vez em quando fazemos cruzamentos com demonios, Lya-san, no entanto, esses são fatos raros hoje em dia. Até porque, não precisamos de qualquer Pacto. O nosso sangue é forte por si só para sermos nosso próprio pactuante. - Por fim, finalizou sua oratória satisfeito, esperando que aquela vampira encontrasse novas perguntas. Como parecia ter, conturbando em sua mente.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Dom 13 Mar 2016 - 15:05

+ Lya +

Ela ouvia atentamente tudo que ele falava com certa atenção, no passado ouvira falar Raziel Fallneaves, não teve o prazer de encontra-lo, mas conhecia seus feitos e esperava um dia encontrar com ele. Afinal aquele era um ser nascido do inferno e ela havia entrado naquele mundo e o fascínio que lhe atraiu era o mesmo que estava sentindo quando o ancião lhe contava de todos os feitos daquele clã. 

Ela saiu daqueles pensamentos dando um leve sorriso tentando não mostrar muito a sua empolgação, deixando escapar seu interesse no que eles faziam e suas magias.
_Sr Murtagh, fico muito impressionada já que a conhecidencia desse nosso encontro possa não ser tão conhecidencia assim. - Olhou Willian e voltou a falar com o ancião._Acho que meu encontro com Willian possa ser algo tão proveitoso quanto imaginei. 
Por fim sorriu a ele, tinha ainda algumas questões sobre isso, mas por hora estava realmente satisfeita por aquele encontro.
_Conte-me 
Raziel Fallneaves ainda anda nessa terra? Seria muito interessante poder ter um encontro com tão poderoso ancião.




~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
kagura
SP
SP


Feminino
Char RPG :
Chars: Charles | William | Vincent (Arthur) | Melissa
NPCS: Murtagh | Junes | Junniper | Ryan | Trevor
Humor : Mutavel.
Localização : Brasília
Posts: : 3598
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Dom 13 Mar 2016 - 19:38

++Murtagh, Will & Vincent++

Murtagh não estava dando dados demais? Não deixou de pensar Vincent com uma careta, mas ele nada disse. Talvez tivesse um plano ou talvez tivesse apenas cansado de esconder a grandeza de seu clã do mundo depois de 1000 anos no escuro. Além disso, se ela tinha bebido de Will. Vincent apenas manteve os olhos azulado no filho que parecia perdido e acuado. Nunca entendia porque o padrinho insistia em enfiar crianças naqueles tipos de coisa, devia ter pedido pelo menos uma conversa particular.

O ancião mor, por outro lado, parecia não dar atenção aos receios de Vincent. Ele era o líder e esperto por si só, além do mais, o que dizia não eram segredos, apenas fatos arrancados de livros de história por pessoas que não queriam se lembrar do poderio que eles possuíam e, há muito tempo, tentou apaga-los da historia. Os orgulhosos herdeiros de Raziel.

-Talvez as coincidências tenham forte corrente as atando com o destino, senhorita Lya, embora eu seja velho demais para acreditar no último – Até porque ele pode ser armado e modificado. Pensou, se lembrando de sua neta, Junniper e seus dons de visão, que ele costumava usar ao seu favor.

Então ele colocou mais uma gota de Liquido em seus lábios, diante do nome de Raziel. Aquela era uma pergunta complicada de responder, embora não tivesse qualquer problema em revelar profecias escritas em certos relatos de livros antigos.

- Infelizmente ele morreu muito antes de eu nascer, minha cara, embora não possa lhe precisar exatamente o ano. Foi morto por um arcanjo guardião, sob o mando de deus, que o considerava uma criatura indigna de atravessar a terra, no entanto, quando digo que morreu, quero dizer apenas seu corpo físico... – Ele tomou outro gole. – Raziel, ou, o cerne da alma dele, o próprio príncipe Mephisto, são impossibilitados de desparecer de sua existência terrena enquanto seu sangue circular sobre a terra. Sua alma tende a ressurgir a cada três gerações, embora por falta de cuidado, em todas as anteriores tenha morrido pelas mãos do mesmo anjo antes de alcançar seu amadurecimento e recuperar sua existência completa, suas memorias e seus poderes.

Mas daquela vez seria diferente. Naquela vez, tanto Dante, quanto ele haviam dado um jeito em eliminar todos os Tsukinos. E aquela menina japonesa seria a próxima e a última, aquela cuja a alma seria oferecida a Charles em sua cerimonia de despertar definitivo, querendo seu neto ou não.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Seg 14 Mar 2016 - 19:23

+ Lya +

Era incrível como aquele ancião acreditava naquelas ideias, sim na mente dela não eram coincidências, mas algo poderia ser dito, havia um força maior que levava aquele encontro, aquele garoto humano e aqueles vampiros. Conforme ele contava sobre os seus ela olhava atenta a todos eles com seu suave sorriso bebericando daquele vinho.

Lya sabia quem era aquele que fora o ancestral daquele Clã, sabia de sua fama e de quanto poderoso era, por muitas das vezes a tríade no passado evitava o contato com esse ser, não por teme-lo e sim por evitar que fossem caçados por anjos enviados para destruir o vampiro demônio.
Dreizahl por algumas vezes dizia que eram seres que ele evitava pois na certa tinha destinos fadados a findar existência através do divino.

Mas agora ela estava ali sentada diante do ancião daquele clã e seus descendentes. Ela sorriu ainda mais com a história da volta de Raziel e pensou em quanto seria divertido soltar tal ser naquela terrar e assistir distribuir o caos.

_Interessante, mas que pena que sempre há alguém que vinha e estragava os planos, agora pela sua expressão parece que dessa vez é garantido, ou existe algo impedindo a sua volta?

Estaria muito curiosa em dar um certo apoio e ajuda ao retorno daquele ancestral.

_Pergunto isso, pois quero lhe dá total apoio ajudando no retorno de seu ancestral para a gloria do seu clã sr Murtagh.


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
kagura
SP
SP


Feminino
Char RPG :
Chars: Charles | William | Vincent (Arthur) | Melissa
NPCS: Murtagh | Junes | Junniper | Ryan | Trevor
Humor : Mutavel.
Localização : Brasília
Posts: : 3598
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Qua 16 Mar 2016 - 17:49

A vampira estava interessada, o que era muito bom. Pensou o ancião sem mudar a expressão e apenas a observando. Muito embora Vincent por sua vez parecesse entediado e distraído, como era de sua natureza, e Will parecesse mais acuado que tudo. Não era de sua natureza falar de demônios, muito menos se sentir confortável falando deles, mesmo que seu sangue tivesse relação com eles.

Murtagh apenas acenou com a cabeça diante da questão de Lya, mantendo o sorriso calmo, e bebendo outro gole. Sim. Ele havia garantido aquilo, mas aquela não era a hora de falar de tais assuntos em particular.

- Tudo ligado ao plano divino é findável, minha cara. Principalmente quando os anjos tem uma recusa natural pelo poder e por desrespeitar leis divinas. – Outro gole se deu. – Digamos que, nesse caso em especial, o assunto tenha tomado um rumo quase final dessa vez devido a alguns estímulos certos. – E por que não, hilário? – Mas é quase certo que dessa vez nada vai atrapalhar a sua Ascenção. – Seus olhos tinham um brilho quase sóbrio que naturalmente impunham respeito e davam credibilidade. – De qualquer forma, não me preocuparia com esses assuntos por enquanto, Lya-san

Não da frente de seu neto que ainda era fraco e tinha compaixão para com aquela humana em especial.

Por fim, Murtagh se ergueu, sinalizando para que Vincent fizesse o mesmo. – De qualquer forma, foi bom conhece-la, senhorita Merelyn... Embora tenha que me retirar para resolver uns assuntos em relação a minha chegada na cidade. – Ele fez uma reverencia educada a ela, então indo até o neto. – Willian, é bom ver que está saudável, entre em contato em caso de mal estar ou de ataques de crise de sua doença e... – Ele tirou um pequeno cartão no bolso, escrevendo um endereço. – Aqui está o endereço onde estou hospedado... Evite passar na Mansão principal, por enquanto, Dante não sabe ainda que já chegamos na cidade e pretendo manter essa surpresa até que eu e Vincent resolvamos alguns assuntos complicados.

Enquanto Murtagh conversava com Willian, Vincent apenas se virou para Lya. O homem tinha aparência muito parecida tanto com Will, quanto com Charles, embora seus cabelos fossem mais claros, e ele emanasse uma aura quase humana, enquanto lhe dirigia os olhos azul gelo. – Lya-san, foi um prazer conhece-la. – Ele estendeu a mão com seu sorriso nada formal e um pouco relaxado, não parecendo ter qualquer medo da vampira-demônio. – Seria um prazer podermos nos encontrar novamente no futuro. – Embora não possa manifestar tanta empolgação em reviver Raziel dentro de meu filho, pensou ele em silencio.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Sex 18 Mar 2016 - 4:10

+ Lya +

A vampira notou que o ancião não queria falar daquele assunto naquele momento, afinal a preocupação era William.
_Compreendo suas restrições quanto a esse assunto, fico contente que o seu ancestral logo ira acender, espero poder esta presente quando ele se reunir ao clã.
Ela estendeu a mão se despedindo dele e sorriu a William feliz por ele ficar com ela.
O outro que acompanhava o ancião veio finalmente lhe falar, era hhumano, ela sorriu e estranhou a curiosamente ele querer conversar com ela. Pensou ele ser um servo daquele ancião.
_Se o seu ancião permitir será bem vindo, alias minha casa e casa de William então seus parentes são bem vindos a hora que precisar visitá-lo. - olhou Will e completou _Não és prisioneiro aqui, nunca foi tem o direito de ir e vir... mas o mais prudente e primeiro aprender sobre seus dons e controla -los para poder andar entre humanos e poder ver seu avô quando quiser sair.
Por fim ela se levantou e se dispediu deles.
_ Agora vou me escolher ainda preciso ver algumas pendências com meus servos. 
Ela se despediu e saiu deixando -os na sala com William.


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
kagura
SP
SP


Feminino
Char RPG :
Chars: Charles | William | Vincent (Arthur) | Melissa
NPCS: Murtagh | Junes | Junniper | Ryan | Trevor
Humor : Mutavel.
Localização : Brasília
Posts: : 3598
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Sex 18 Mar 2016 - 16:31

++Will, Vincent e Murtagh++

-Tenho certeza que ele não irá se opor, senhorita Merelyn... – Completou ele, levantando de sua reverencia, enquanto ajeitava mais o anel no dedo. Aquilo tinha um aspecto diferente, mais escuro que o normal, e ainda sobrenatural como uma pedra de diamante completamente pura. Sua pedra de salvação para fugir de seu antigo eu, que agora não mais poderia aparentar. Pelo menos por enquanto. Por fim, e ainda com postura tranquila, o humano se aproximou de Willian e de seu antigo tutor.

-Acha mesmo correto, deixa-lo aqui, Murtagh? – Perguntou com sua postura jovial e mãos nos bolsos, enquanto observava o outro dar um cartão ao filho. Mesmo que o tivesse ignorado a vida inteira ou que seu sangue compartilhasse traços com os dos Fallneaves, o velho Arthur Lutont ainda não gostava daquele aspecto. Afinal, fora por causa daquele maldito aspecto que sua família fora destruída não é? Então porque envolve-los novamente com um insano grupo conhecido como tríade ou continuar com a chuva de loucuras... Além disso, ainda havia outro porém, quanto a Will em particular e o porque ele tinha se mantido como humano até ali. – Afinal, sabe da rejeição que ele tem por causa daqueles malditos caçadores. Sabe que ele ainda não recuperou totalmente para isso, mesmo que tome injeções infinitas e... – Olhou para Will, mordendo os lábios. Podia ver medo nele quase todas as vezes, ou um trauma, ou aquilo seria paranoia de pai? Paranoia que acabasse sendo consumido. – Ele ainda é uma criança ao que me recordo.

Murtagh apenas balançou a cabeça, acariciando os fios loiros de cabelo do neto. – Criança ou não, é mais consciente que você com a idade dele... – Cortou Murtagh em um sussurro. – Pelo menos ele se comporta e respeita ordens, não é Will? – O vampiro sorriu, encarando Will. – Se importa em ficar com Lya-san, Willian? – Perguntou quase em coação e já sabendo da confirmação. Afinal, não precisava criar uma guerra civil com a anciã, e sim arranjar aliados.

O Loiro mais novo, apenas confirmou, embora estivesse ainda um pouco apreensivo por ficar ali. Não que Lya houvesse lhe tratado mal, mas talvez aquela primeira impressão e sua verdadeira natureza o atormentasse um pouco. Além de toda aquela história de demônios e magia, com a qual não houvera ainda se acostumado. – Não me importo em ficar, vovô, não me é um incomodo. – Apesar de tudo ele confirmou com um aceno respeitoso de cabeça para o outro, em meio a revolta silenciosa de Vincent.

-Ótimo, portanto, só precisamos acertar um ultimo detalhe... – Murtagh sorriu com um uma face enigmática, então acenando para que o neto desfizesse os botões de sua camisa, mostrando parte dos ombros e do peito. – Devemos quebrar esse selo por completo. – E, com expressão calma, Murtagh esticou a mão, até ali, tocando sua pele e enfiando suas garras ali. Negras, venenosas e afiadas, enquanto um sinal em seu ombro brilhava e algumas palavras em língua de eram pronunciadas. Um minuto, essa fora a duração do ato, até que aquele sinal desaparecesse, e o ancião se afastasse, limpando os dedos em um pequeno pano antes de voltar a colocar suas luvas.

Pronto, ali estava seu presente para Lya. Um verdadeiro Fallneaves desperto, não apenas um puro sangue semi liberto por uma mordida. E talvez a anciã pudesse notar isso mais facilmente, quando Will obedientemente fechou novamente a roupa. Aceitando o pequeno frasco de uma substancia escura e quase negra como sombras que Vincent colocou em sua mão. – É um presente, entregue para Lya-san e tome junto se ela permitir, tenho certeza que vai apreciar... – Murtagh sorriu ao falar, antes de se despedir, saindo dali junto ao seu assistente e deixando o loiro sozinho na sala com o frasco na mão.

Sangue de demônio. Pensou ele em silencio mordendo os lábios em meio a sala agora vazia.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Seg 21 Mar 2016 - 3:13

Sessão encerrada 

NPC somou pontos para William 

5 pontos


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Sex 8 Abr 2016 - 15:54


O inverno fora para ambos um tanto aproveitoso aos olhos da puro, contente com a presença de Willian ficava por muitas vezes conversando com ele, instruindo-o sobre seus novos dons e ajudando-o a controla-los.

Percebia que ele por muitas vezes tinha receio dela, mas a vampira queria ganhar a confiança dele de outra forma, gostava daquele vampiro, sentia-se bem com ele e queria que fosse reciproco aquele sentimento novo que albina estava sentindo.

Preferiu se aproximar aos poucos ganhando a confiança dele e assim durante aquele inverno ambos ficaram se conhecendo, Lya sempre dava a liberdade para Willian sair e ver o avô ou por muitas vezes sair apenas para ver a vida fora daquela mansão.

O presente dado pelo avô de Willian fora guardado com todo cuidado, era algo precioso que usaria no momento certo, talvez uma de suas marionetes para poder manipular serveria aquele sangue de demônio.

Por muitas vezes deixou Willian sozinho naquela mansão, tinha que manter as aparências com Magnus na Amadeus e assim evitar que descobrisse que já havia criado aliados na cidade e em um clã. Resolver ficar perto para descobrir se aquele humano estava em busca do local onde jazia o corpo de Lord Dreizahl. Lya pretendia chegar ao seu senhor antes de Magnus, para assim acorda-lo e leva-lo para longe do mafioso.

Estava findando o inverno e a cidade havia promovido um festival de esculturas de gelo, a vampira pedira a Willian que a levasse, iria aproveitar aqueles momentos sem a presença de Magnus lhe dando ordens. 





~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
kagura
SP
SP


Feminino
Char RPG :
Chars: Charles | William | Vincent (Arthur) | Melissa
NPCS: Murtagh | Junes | Junniper | Ryan | Trevor
Humor : Mutavel.
Localização : Brasília
Posts: : 3598
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Sab 9 Abr 2016 - 0:34

O tempo se passava, e com ele, Willian podia ver os pequenos flocos de neve se tornarem mais frequentes na bela janela noturna. O inverno, frio como aquela casa, mas de certa forma menos assustador que antes. Sim. Pois sua pele não tremia a mínima menção “dela”, e o medo não lhe consumia mais, apesar do receio que costumava sentir, mas que aos poucos, parecia imergir para dentro de seu novo eu. Do Will que não era um prisioneiro, e sim um hospede.
 
Um nobre puro sangue que a cada dia mais sentia o peso de sua condição e suas consequências, não apenas sozinho ou com a vampira, mas também com o avô em seus encontros particulares e aulas, que giravam em torno de boas maneiras, politica e como controlar seus poderes e capacidades. E talvez agora ele entendesse a frase dita antes. – A escuridão não é para ser temida ou negada, apenas aceita, pois todos tem uma, e só a abraçando pode se tornar meu verdadeiro neto. – E sim, ele tinha e talvez houvesse a descoberto naquele tempo enquanto conversava com Lya, como seu recanto. Sua calmaria perante seus traumas anteriores, que aos poucos cessavam. Ou simplesmente tomassem conta de si por completo.
 
O humano que antes habitava aquele corpo? Esse havia dado lugar a outro, ao monstro que ele temera mais que a vampira, e que agora se tornara um com ele. Não haviam mais caminhos ali para a infância ou inocência. Não havia necessidade de ser bondoso ou ajudar quem quer que precisasse, como um dia o menino que queria se tornar médico idealizava. Também não havia o porque temer ferir ou hesitar perante a tudo. Puro sangues não o faziam, e agora seu sangue e experiências apenas comprovavam que esse não passava de um caminho sem volta para o fracasso. Um caminho sem volta que o levaria a decadência inegável e a enlouquecer por causa da sede.
 
Ah sim... A sede, um problema agora constante que não se resolvia através de simples injeções e sangue empacotado. Ela parecia mais selvagem agora, mais exigente desde que Murtagh o fizera tomar a primeira das oferendas, obrigando-o a matar um humano à sangue frio, e então outro apenas por satisfação própria. Aquela era outra lição que aprendera naquele tempo, e também o quanto “ela” era primordial para ele à princípio, ou o seu parecia ser para livrá-lo das “crises”.
 
Lya Merelyn, a vampira que outrora assombrava seus pesadelos, mas que agora despertava-lhe o tipo de interesse mais estranho. Uma relação paradoxal, agridoce, da qual ele com o tempo não conseguia se afastar, como um prisioneiro sem correntes ou vontade de fugir. Um laço tão forte e incomodo, que o fazia sempre desejar seu sangue mais do que gostaria, como um vício, um ópio ou uma droga forte, mas não querer mata-la, apesar do medo. Era estranho dizer, ou talvez fosse seu lado masoquista restante tomando frente a uma síndrome de Estocolmo estabelecida, mas a verdade é que não a odiava. Nem ao menos temia mais aquelas conversas, mantendo-se o mais calmo possível, apesar das reações de rejeição involuntárias criadas por si mesmo, que aos poucos, como todos aqueles que matara ou lhe lembravam de sua humanidade, viravam pó.
 
E assim aquele mês se passou até seu fim, o mês onde a luz do dia fora apagada dos seus olhos violetas, sendo substituídas pela fria e aconchegante escuridão noturna, que agora via com uma familiaridade quase inata durante as noites onde optava por passear sozinho. Perdido em sua própria existência, e sentindo o ar noturno percorrer seus fios de cabelo dourados. Ou pelo menos, aquela era sua rotina quando ela não estava e seu avô viajava, e seus ombros podiam relaxar um pouco de seu treinamento. Mesmo que ele nunca houvesse se incomodado em cumprir à risca suas responsabilidades.
 
Mas aquela noite não seria como as outras com as quais tinha se acostumado, e, portanto, ao invés do casaco simples que usava para disfarçar sua falta de frio perante aos humanos, ele havia optado para algo mais adequado. Um sobretudo mais elegante do que o que normalmente usava, e roupas de inverno, apesar de modernas, que caiam perfeitamente bem ao seu belo rosto.
 
-Pareço um nobre? – Talvez fosse adequado perguntar perante ao espelho, principalmente considerando que teria que escoltar Lya por todo o evento, embora a resposta não precisasse ser transcrita ali. Um príncipe de cabelos dourados e olhos claros recém saído de um livro, essa era sua aparência... Não que ele o achasse. – Acho que deve servir, era a melhor veste que tinham para esse tempo...
 
Concluiu finalmente, andando em postura quase perfeita pela casa, e perguntando aos servos da vampira se o carro estava pronto. Com a confirmação, seguindo em direção aonde o odor da outra puro indicava. – Lya-sama... Está pronta para irmos ao festival? O carro está preparado para nós levar até lá... – Comentou de forma formal e respeitosa, com uma reverencia perante a puro sangue, estendendo a mão em sua direção, como se a convidasse para acompanha-lo.
 

Receio? Sim. Ainda restava minimamente, mas ali ele não o expressava. Embora achasse ser mais paranoia sobre o que ela queria fazer por lá do que um medo de sua pessoa propriamente dito. Afinal, de onde havia surgido aquele pedido incomum? Haveria mais uma chacina causada por demônios no evento?

Não parece que esse festival será tão pacifico. Talvez tenha pensado, mas, estranhamente, aquilo não parecia incomodá-lo.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Residência Homam   Hoje à(s) 11:06

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Residência Homam
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 3 de 4Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Academia Cross RPG  :: Província Ambarantis :: Ambarantis :: Cidade Alta-
Ir para: