Academia Cross RPG
Bem Vindos!!

Aos visitantes e Novatos Na Academia Cross.

Leiam as Regras para participar do RPG.

Regras Gerais, orientações e Sistema do Jogo

Arigato pela Visita e volte Sempre!

Administração Equipe Cross



RPG Vampire Knight
 
Portal CrossInícioCalendárioFAQBuscarRegistrar-seLogin

Compartilhe | 
 

 .:Toys in the attic:. ~Arco de Freya~

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Makie
E
E


Char RPG : Personagens:

Freya Gatemberg - Night Class
Aidan Becker - Day Class
Lilac Löfgren - Universitária
Juliet Glotieb - Prof.ª Ed. Fisica
Posts: : 323
Inscrição : 26/08/2015

MensagemAssunto: .:Toys in the attic:. ~Arco de Freya~   Dom 6 Dez 2015 - 23:30


“Voices on the staircase
Toys in the attic are
Calling from the rafters
Ghost of a sight”

Freya havia saído do quarto de Denis e Alana, quando dentro do elevador, pode sentir seu corpo e sua mente entrando em colapso. Será que este era o seu fim? Tudo havia se resumido aquela noite, todos os seus esforços em vão? A Ruiva estremecia como o frio que a consumia por dentro, seu hálito saia esfumaçado como se todo o gelo do inverno europeu se acumulasse dentro daquele cubículo do elevador.

Com as mãos entorno de si, freya se agachou no canto  esperando que aquilo acabasse, ou que alguém a ajudasse, mas tudo que sentia eram as sombras em seu coração, sabia que não haveria ninguém ali para ajudar. Sentindo as lagrimas se acumularem quentes em seu rosto gelado pelo pânico, se lembrou de algumas pastilhas na bolsa, e então as mastigou feito drops de hortelã enquanto mentalmente repetia. “eu preciso aguentar, só um pouco mais, apenas um pouco mais”. Ela nunca teve a intenção de sobreviver um dia amais que o necessário, mas não queria que fosse ali, muito menos naquele instante, não queria ser morta pelas mãos de seus amigos.
 
Sneaking up the staircase
Toys in the attic are
Waiting for me
Eyes in the dark"

As portas se abriram tá no térreo quando um dos ajudantes a olhou acuada em um canto, com o rosto choroso, freya se espantou quando o humano se aproximou, o empurrando contra a parede do elevador e correu pelo saguão em direção a saída. Não se importava se esbarrava em outras pessoas ou se algo estava a sua frente, seu rosto estava manchado pela tristeza e húmido pelo choro.

Quando finalmente encontrou o ar  frio da madrugada freya diminuiu os passos até chegar a duas quadras de distancia do hotel, a caminhada seria longa, e já estava cansada demais quando resolveu pegar um táxi com um endereço certo.
No meio do caminho Freya havia adormecido no banco do passageiro.
“ criança....”

Seu coração acelerava com aquela voz alguém tão familiar e ao mesmo tempo um desconhecido
“era escuro, e o sangue pingava do teto, corpos estavam espalhados por todos os lugares como peças em uma fabrica de bonecas, mas havia uma sombra, uma sombra mais escura que as outras, nela, surgiram dois olhos vermelhos como rubis, e a fitavam, não com ódio, mas era um olhar duro, não sabia se era como alguém com zelo, ou como alguém que a julgava, mas a cada passo que dava em direção a sombra, o mundo escurecia, o cheiro de sangue aumentava e o lugar ficava frio."

Tremendo de frio e medo, freya desperta próximo ao Mausoléu onde estava Tuomas, e então resolveu descer ali mesmo. não poderia ficar no taxi naquele momento fora de controle. Jogou algumas notas no banco da frente e correu em disparada para perto de Tuomas.

"I could fly I wanted to
I could reach for the sky
We can swim like the dolphins
We can laugh' till we cry”

Freya não era esperada aquela madrugada. Tuomas o olha um pouco confuso com o que acontecia, a ruiva correu direto para os seus braços, tremendo e chorando, ele a abraçou forte contra seu peito e então caminhou com ela até a cama, tirando seus sapatos e seus agasalhos. Já deitados, Tuomas cantarolava alguma canção de ninar antiga, algo que fez para Britta quando podia segura-la em seus braços.
Freya ainda soluçava enquanto ele cantava, mas por um momento parou e levantou seu queixo, estava deitado de lado virado para ela, e ela para ele, o abraçando forte:

— o que foi meu rubi? — disse Tuomas preocupado.
— Pai, por que me doi tanto assim? Meu peito dói tanto, minha cabeça dói, essas vozes não se calam...
freya chorava triste, com medo da sua condição. Quando aceitou aquele desafio não imaginou que as coisas ficariam assim, muito menos Tuomas. O Vampiro a olhou com certa tristeza e então a abraçou ternamente enquanto cantarolava mais uma vez para sua menina. A ruiva chorava ao ponto de molhar sua camisa, mas isso não importava para o loiro, ele só queria que aquilo melhorasse. Nem mesmo ele pensou sobre isso, ela suportaria até o final? Ela teria que ser forte, seria triste se tudo acabasse de uma forma tão simplória, ele não podia deixa-la morrer.

“But there's nothing to say
Dolls made of clay
We can play all day
Toys in the attic…”


Tuomas mordeu a própria língua enquanto trazia mais o corpo de freya contra o seu, sua outra mão que erguia seu queixo agora empurrava seus dedos para separar os dentes da vampira. E então num beijo invasivo, Tuomas alimentou sutilmente Freya, ela não retribuía o beijo por amor, mas sugava a língua do puro sangue num ato se saciar sua sede. O loiro então deslizou as mãos por seu pescoço e seio até chegar ao seu quadril.A ruiva tentou se soltar ao sentir aquele toque intimo. Mas estava presa naquela armadilha.


Tuomas se aproveitava em seus beijos fogosos quando percebeu que nem mesmo provocar sua ira adiantava. O loiro bufou separando sua boca da ruiva e então apenas a aninhou em seus braços de maneira carinhosa.
- durma minha pequena, esta noite você não sonhará! Eu te prometo. E amanhã se alimentará bem antes que volte às aulas.
 
                                          "Sneaking up the staircase
"Toys in the attic are
Waiting for me
Eyes in the dark"

Num ponto Tuomas havia errado, Freya havia sonhado novamente com as sombras, mas desta vez seus olhos vermelhos pareciam não mais encara-la com dureza, apenas a observava, como se olhar fosse o bastante para sua existência. Ao abrir os olhos, Freya estava sozinha na cama, uma pequena mala e duas passagens sobre a mesa, Tuomas não estava por lá, mas ao invés disso, Lirion a esperava dentro do carro. Seus dedos tamborilavam sobre o volante esperando por ela que vestia as mesmas roupas da noite anterior com os cabelos levemente bagunçados, tudo o que havia dentro da pequena mala de mão era um casaco, objetos de higiene e o selo dos Gatembergs para que pudesse entrar sem revistas. Assim que entrou no carro, Lirion a cumprimentou, cordialmente e seguiu viagem até o aeroporto. Próxima parada Dinamarca. Freya apenas olhava durante a viajem a paisagem do lado de for a, o mundo parecia pequeno naquela manhã, as sombras pareciam sufoca-la.
 
"Looking for my marbles
Bats in the belfry and
I hear music start to play"
(continua)


Última edição por Makie em Seg 7 Dez 2015 - 23:20, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Makie
E
E


Char RPG : Personagens:

Freya Gatemberg - Night Class
Aidan Becker - Day Class
Lilac Löfgren - Universitária
Juliet Glotieb - Prof.ª Ed. Fisica
Posts: : 323
Inscrição : 26/08/2015

MensagemAssunto: Re: .:Toys in the attic:. ~Arco de Freya~   Seg 7 Dez 2015 - 23:19

"Looking for my marbles
Bats in the belfry and
I hear music start to play"
Lirion segurava a própria mala enquanto chamava por um taxi na porta do aeroporto. Ainda era cedo, e a ruiva se sentia mais sensível a luz do sol. Seus olhos escondidos por trás dos óculos escuros fitavam o horizonte, com a mente vazia, as olheiras haviam retrocedido, mas sentia o corpo cansado da viagem e da noite agitada e dolorosa. O seu tempo estava acabando e escorrendo por entre seus dedos  como os grãos de areia em uma ampulheta. Mas o que ela poderia fazer?
 
Seguir em frente....
 
O taxi chega e as malas são jogadas no porta malas do carro. Lirion se sentou ao lado do motorista indicando o caminho enquanto freya se sentou no banco de trás. Colocou os fones de ouvido plugados ao celular e colocou alguma musica para tocar. Se sentia mole e fraca aquela altura, para sua sorte o moreno havia percebido sua condição frágil e se apressou em cuidar dela. por sorte o motorista era apenas um humano e não entenderia se a qualquer momento a ruiva tentasse morder seu pescoço.

***

Depois do longo percurso de taxi, freya e lirion estavam dividindo o mesmo quarto num hotel, não poderiam voltar para casa, não com ela assim. Ao menos no hotel estaria mais segura. A Ruiva voltou a se deitar tirando apenas os sapatos e se jogando na cama. O moreno apenas bufou algo se sentando ao seu lado na cama, com os pés sobre o colchão enquanto resolvia seus problemas pelo celular. E neste momento teria que também resolver os dela.
 
"This will be my happy home
And I'll never be alone
We will swim beneath the trees
All my happy friends and me"

Freya despertou já de noite com lirion deitado e cochilando no lado oposto da cama, era um quarto para casal com uma cama enorme. A ruiva então se levantou e foi cuidadosamente até o banheiro, escovar os dentes e tomar um banho, alguns minutos depois lirion entrava no banheiro deixando a mochila da vampira sobre a pia saindo em seguida.
Freya demorou mais alguns minutos quando se deparou com lirion a vontade, era a primeira vez que o via como uma pessoa qualquer ao lado dela, mas talvez estivesse tão cansado quanto a ruiva, foi então que ele levantou a cabeça serio e a fitou
 
- vamos caçar!
 
"Hush baby, don't you cry
Cheer up and dry your eyes
Come join the happy games
Toys in the attic…"

Era noite quando sairam do hotel, Freya estava com fome, mas nada que indicasse uma crise, afinal não entendia o porque daquela crise de frio e pânico na noite anterior. Lirion tinha um endereço e uma emboscada pronta enquanto a ruiva olhava para a noite a procura daqueles olhos vermelhos, será que eles a estariam vigiando neste momento?  A vampira sacudiu a cabeça tentando esquecer seus pensamentos inoportunos enquanto se dirigia para o endereço em questão, uma residência ligeiramente afastada da cidade ( o que obrigou que Lirion e freya andassem por mais de uma hora naquela noite.
As luzes estavam fracas como se originarias de alguma vela, alguns seguranças do lado de fora. Lirion reconheceu alguns deles, principalmente os que se diziam seus aliados (esses eram os alvos principais do moreno!) nos esgueiramos por entre os jardins ate achar uma entrada mais estratégica.  O objetivo desta noite seria um massacre. Faltavam 4 membros do clã para finalizar a tarefa, Inga, uma das meia irmãs de Lirion, Witta, uma das primas de Lirion essa tinha o pai Puru sangue, mas que já avia partido a muito tempo desde antes do tratado de paz da família. Havia ulric Filho de Mathias, o verdadeiro herdeiro da família que foi destronado. E Lirion... mas talvez eu não consiga...
Esta noite, era a vez de Witta...
 
"Frolicking in frenzy
Toys in the attic are
Dancing crazy
Whirling around
Spinning through the cobwebs
Bone and lace twirl in time
As the clock dissects the rhyme"
(continua)


mushu:
 
coisas que apenas o chat explica!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Makie
E
E


Char RPG : Personagens:

Freya Gatemberg - Night Class
Aidan Becker - Day Class
Lilac Löfgren - Universitária
Juliet Glotieb - Prof.ª Ed. Fisica
Posts: : 323
Inscrição : 26/08/2015

MensagemAssunto: Re: .:Toys in the attic:. ~Arco de Freya~   Ter 8 Dez 2015 - 23:10

Frolicking in frenzy
Toys in the attic are
Dancing crazy
Whirling around

A noite estava silenciosa, parecia premeditar o que ocorreria em breve. Era a primeira vez que Lirion ajudaria freya em uma caçada dessas, mas ele estava disposto a ingressar naquela luta. Por algum motivo ou motivo algum, as intenções do moreno eram sempre duvidosas, não que ele traísse seus ideais ou amigos por dinheiro, ele não se aliava a ninguém além de seu pai. Mas desta vez ao lado de freya causaria alguma estranheza.
Os dois andaram sorrateiramente a poucos metros frente a casa de Witta, não que eles quisessem pega-la de surpresa, apenas queriam que os vizinhos não os vissem. Lirion congelou a tranca do portão, o fazendo abrir enquanto provavelmente tocava algum alarme silencioso. Alguns metros a frente e começaram a aparecer os primeiros empregados e seguranças lirion tomou a frente caminhando com a mesma postura e petulância de Tuomas enquanto congelava a grama por onde pisava. Freya seguia atrás com uma distancia segura, quando um pequeno numero de funcionários foram suas direções para taca-los.

Freya logo tomou seu chicote rubro em punho enquanto Lirion simplesmente esperava para começar o massacre. Os funcionários na sua maioria eram lvl’s c e alguns ex humanos, não foi difícil destruí-los, o problema começaria quando entrassem em casa, Witta esperava sentada na sala tomando uma taças deum liquido viscoso, quando Lirion e Freya entraram porta a for em sua casa carregando os corpos de seus empregados (ou parte).

Witta era forte, já devia ter seus 600 anos, mas isso não significava nada para o moreno.  Ela era alta, com os cabelos amarelos como trigo e olhos acinzentados. Tinha feições delicadas e suaves aparentando ser uma mulher no auge dos seus quarenta anos. Ao se levantar, ela caminhou em direção a lirion sem ao menos cogitar olhar para Freya.  Seus paços decididos e leves pareciam fazer com que ela deslizasse até o moreno, enquanto eles se olhavam cara a cara.  Eles conversavam algo em Dinamarquês e a ruiva não entendia nada, em meio esse debate acalorado, uma nuvem de poeira parecia sugir dos pés, mas a poeira era fria como um nevoeiro de inverno!, Freya olhava para os vampiros debatendo e eles pareciam mais e mais distantes enquanto a ruiva sem entender, começou a caminhar em direção a ambos. A casa que estava escura foi preenchida por sombras que tentavam abraça-la e a puxar seus braços. Usavam tanta força que Freya sentia dor. Ela queria sair dali mas de alguma forma não conseguia. Lirion havia esquecidos  de comentar a Freya que Witta era mestre em ilusão.
 
Spinning through the cobwebs
Bone and lace twirl in time
As the clock dissects the rhyme
“criança, é muito perigoso”…
“ah de novo essa voz? Qum será ele que habita os meus sonhos? Será que ele é o Kairen?”
“Eu cometi muitos erros...”
“eu não posso estar ao seu lado”
“ah...  eu queria conhecer este tal de Kairen que tanto falam...  será que ele traria calma ao meu peito?’
“será que ele me perdoaria pelo o que fiz e pelo o que farei?”
“será que ele se lembra de mim? Denis disse que sim”
“será que um dia ele viria me salvar?”
“...eu acho que não...”
 
Com os pensamentos confusos e cheios de tristeza, Freya soltou seu emaranhado de espinhos, criando ao redor de si um pequeno casulo, e pela sala um labirinto refletindo o estado de sua mente. Ninguém a atrapalharia, e ninguém a machucaria naquele momento

I could fly I wanted to
I could reach for the sky
We can swim like the dolphins
We can laugh' till we cry

A ruiva andou pelos caminhos prolongando mais a caça, enquanto Witta tentava tocar nas parede do labirinto para mandar os impulsos ou simplesmente enganar com seus poderes, modificando a estrutura da sala, mas toda vez q ela fazia isso,  um ramo de espinhos se enrolava em sua pele e a cortava profundamente.

Tudo o que ela podia fazer era correr os esperar a ruiva para um ataque direto, mas ficar parada significava que os ramos iriam ataca-la. A cada curva que fazia, o caminho parecia mais e mais estreito. A vampira não conseguia enganar Freya, não por que não pudesse entrar em sua mente, mas por que os espinhos pareciam ter percepção e vida própria, guiando a ruiva pra sua direção. Ou seria o moreno?

A cada curva de paredes estreitas witta deixava algumas gotas de sangue para tráz, ativando mais e mais o desejo de matar dos ramos. Até que a loira entrou num peco onde não havia volta, quando se virou freya seguia pelo caminho com as mãos sobre as paredes se ramos. Sua cabeça estava baixa e seus olhos pareciam fechados.  A vampira teria que aproveitar ali para atacar. mas assim que havia começado a brincar com as memorias da Ruiva, os ramos envolveram seu pescoço, braços e pernas. Estava acabado.Freya abriu os olhos parada ainda frente a Witta enquanto os ramos a estrangulavam e os espinhos a cortavam, o labirinto estava se desfazendo aos poucos enquanto lirion se aproximava lentamente, mantendo uma distancia saudável.
- o que acontecerá no final?
- tudo acabará sua tola
- tudo?
- ai depende... depende do que você vai fazer com tudo o que conseguiu, mas o fardo é grande demais, você aguentaria?
- eu preciso...
- e por que?
- pra poder viver a minha vida, que vocês nunca deixaram...


Witta engoliu com dificuldade. Aquela resposta egoísta significava que não havia negociação. Ela estava decidida em seguir. Custe o que custasse. A ruiva comandou os ramos.  Trazendo o corpo de witta para próximo, se enrolando em sua cabeça e a prendendo para que não se movesse.  Freya então a mordeu começando a sugar seu sangue....

“—inga, acho que isso será um problema... se essa menina realmente conseguir o que quer, isso pode ser um problema e causar um grande desequilibrio...
—como assim witta?
— se um ex-humano  puder destruir uma linhagem inteira, quantos outros não se rebelariam? Outros vampiros não nos ajudariam muito menos os caçadores...
— Apenas se eles caçarem os mais influentes e os sangues puros”

Era uma memória amais que ficaria guardada  com freya.
A ruiva sugou o sangue mais e mais, a vampira se debatia cortando a própria pele, enquanto tentava sobreviver, e então o golpe final, o punho da ruiva perfurava o coração de Witta e o arrancava do peito terminando de beber as ultimas gotas. A vampira estava lentamente se quebrando enquanto assistia a cena de Freya mastigando e ingerindo o coração de witta que estava em suas mãos, enquanto a Vampira se transformava em poeira lentamente.
 
Lirion apareceu alguns minutos depois que a poeira havia se dissipado ingá estava desacordada e presa jogada aos pés de Freya
- de alguma forma elas moravam juntas. O que era de se imaginar... ela sempre foi a mais nova....


Não havia um bom relacionamento entre todos os filhos de Tuomas, de alguma forma, depois que Britta faleceu, tudo havia ficado de cabeça para baixo. Tuomas era pacifista e hoje causava uma grande guerra por vingança. Da mesma forma que seus irmãos haviam o separado de sua amante, e de sua filha, principalmente tirando vida das duas, o Loiro havia perdido a cabeça, praticamente declarando guerra com qualquer um que fosse contra ele.
Olhar para Lirion e para ingá foi algo que deveria ser doloroso, mas não foi isso que sentia. O corpo estava em êxtase pela nova força que ganhava, aplacando sua fúria e refreando sua queda. O moreno saiu da casa enquanto esperava que Freya terminasse com tudo, ele se sentou sobre um banco que havia no jardim, com os cotovelos sobre as coxas, apoiando a cabeça com as mãos. Seus olhos estavam fechados e assim permaneceram, ate que uma presença negra e densa se aproximava calmamente. Se sentando ao seu lado.

Freya tinha lagrimas nos olhos e suas mãos tremiam . Lirion a abraçou apoiando a cabeça dela em seu ombro enquanto a ruiva demonstrava pelos dois a tristeza em prantos naquela noite.
Mas estavam próximos do fim...?
But there's nothing to say
Dolls made of clay
We can play all day
Toys in the attic

(continua)


mushu:
 
coisas que apenas o chat explica!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Makie
E
E


Char RPG : Personagens:

Freya Gatemberg - Night Class
Aidan Becker - Day Class
Lilac Löfgren - Universitária
Juliet Glotieb - Prof.ª Ed. Fisica
Posts: : 323
Inscrição : 26/08/2015

MensagemAssunto: Re: .:Toys in the attic:. ~Arco de Freya~   Dom 13 Dez 2015 - 9:46

But there's nothing to say
Dolls made of clay
We can play all day
Toys in the attic

Os fatos que ocorreram depois que Freya terminou de chorar nos braços de Lirion ate o momento que acordara, havia simplesmente desaparecido.  A ruiva dormia com uma camisa social do vampiro, que dormia ao seu lado, de mãos dadas a ela. A expressão serena de lirion não conseguira esconder as lagrimas que também escapavam de seus olhos enquanto dormia.  Freya apenas observava aquilo de mãos dadas a um dos vampiros que havia dito que odiava. isso nunca fora culpa dos dois, mas agora tinham que tomar para eles as dores e preocupações de um futuro distorcido e ainda por ser escrito . Ela não tinha noção exata da hora que deveria ser, mas de alguma forma, estavam tristes o suficiente para não quererem sair da cama. Era de manhã quando chegaram, mas era muito cedo, o sol se levantava preguiçosamente no horizonte, e agora o sol começava a se esconder.

- está com medo? – disse Lirion

Freya arregalou os olhos assustada tentando recolher a mão, mas o moreno a impediu segurando firme sua mão, e então entrelaçando os dedos aos delas, Lirion olhava praquele gesto, talvez nunca mais pudesse fazer isso novamente, principalmente se Freya tivesse outra crise,  ele sabia e se lembrava de tudo o que havia acontecido na vida dela, por isso resolveu se afastar, sabia que aquelas lembranças a causariam dor, e ele também se machucaria ao vê-la sem se lembrar de suas histórias, mas o que faria quando se reencontrasse com suas memórias perdidas? Será que foi isso que aconteceu? Será que por isso ela estava caindo? Ele teria que ser mais presente, não para a ruiva, mas para evitar que seu passado entrasse em choque tão brutal com ela.
Freya o olhava sem entender, até que ele a soltou, e se sentou na cama coçando a cabeça, procurava, as roupas sujas de sangue estavam jogadas em um canto do quarto, a desculpa que haviam sofrido um acidente e voltavam do hospital havia colado, mas aquelas roupas estavam imprestáveis.  Ele ligou para recepção pedindo um vestido para a garota que o olhava sem entender o que de fato havia acontecido, ela vestia a blusa do moreno, mas sabia que era apenas isso, ainda havia sangue em seu cabelo, quando resolveu ir para o banho.

Só haveria agora dois problemas, as guerras das casas vassalas, Lirion precisava administrar o dinheiro para Freya, e colocar outro para dominar o lugar antes que existisse algum problema! E caçar Ulric para então fechar aquele ciclo.

Hush baby, don't you cry
Cheer up and dry your eyes
Come join the happy games
Toys in the attic…

Os dias haviam se passado, Freya parecia feliz e saudável. Isso era bom, talvez tivesse mais alguns meses ou alguns anos assim. A Dinamarca fazia bem para ela, havia paz, e as vozes não a perturbavam, mas era visível que ela ficou por dias com traços de personalidade de Inga e Witta, mas aos poucos foram retornando ao normal,  ela precisava de tranquilidade, até as aulas voltarem.

Era véspera do inicio das aulas quando os dois  resolveram voltar. Ambos estavam no aeroporto esperando seu avião  quando o telefone de Lirion toca, Tuomas lhe dava noticias sobre alguma coisa que havia achado, aquilo o assustou um pouco mas resolveu deixar em segredo, Ulric estava bem perto, mas ele não queria apressar tudo, ainda faltavam os outros trechos do ritual para encontrar, eles precisavam era de tempo.

O voo foi anunciado e os dois se encaminharam para a área de embarque, problemas estavam a caminho... mas nada mais importava para o moreno que queria curtir o restante de sua vida, sem a certeza do amanhã.
 
Toys in the attic…
Toys in the attic…
Toys in the attic…


mushu:
 
coisas que apenas o chat explica!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Master
Administrador
Administrador


Feminino
Char RPG : Narradora

Loran Kuran

Louis/Arthur

Lya Merelin

Aldoph Magnus

Lord Drei Dreizahl

Kyoshiro

Humor : Vai depender de sua postagem >D
Localização : Rio de Janeiro
Posts: : 2213
Inscrição : 26/01/2009

MensagemAssunto: Re: .:Toys in the attic:. ~Arco de Freya~   Seg 22 Fev 2016 - 19:01

Encerrado

Freya +5


~* Narrador Master *~
_Agora repita comigo: Nunca mais desobedecerei um DEUS!
Assim você evita levar um mac ban feliz >D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.recantodasletras.com.br/autores/isamiranda
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: .:Toys in the attic:. ~Arco de Freya~   Hoje à(s) 11:06

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
.:Toys in the attic:. ~Arco de Freya~
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Treinamento com Arco e Flecha
» Freya Gatemberg (Freyja)
» Loja de Mascotes
» Uma casa de doces?! (missão)
» Os primordiais

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Academia Cross RPG  :: Província Ambarantis :: World Places :: World Places-
Ir para: